1 é pouco, mas é só o que tem!

Chegou nesta semana a notícia de que Terriers foi cancelada ainda em sua primeira temporada. Surpresa foi o motivo do cancelamento: baixa audiência. Considerando que séries de TV a cabo não precisam necessariamente se preocupar com índices, Terrier pode marcar uma mudança desse pensamento.

Infelizmente, essa não é a primeira vez que uma boa série é cancelada em seu primeiro ano. Nesta semana, o Box Five relembra séries notáveis que sofreram com um cancelamento prematuro, privando seus fãs e telespectadores de uma história promissora. Relembre e se revolte conosco!

5. The Comeback (HBO, 2005)

Lisa Kudrow e Michael Patrick King colidiram as naves Friends e Sex and the City para criarem essa brilhante série sobre uma estrela esquecida de uma sitcom (interpretada por Kudrow), cuja a tentativa de criar mais uma série de sucesso é documentada em um reality show. Como Valerie Cherish, Kudrow era hilária. Sua interpretação causava aquela sensação de vergolha alheia, não por ser ruim, longe disso! Acontece que a maioria das situações da personagem de Kudrow envolvia uma situação meio #EpicFail. Tudo dava errado na vida da mulher e a inquietação do telespectador pelo que estava acontecendo na sua frente foi a maior prova de que a série convencia.

4. Rubicon (AMC, 2010)

Rubicon era um suspense estrelado por James Badge Dale (The Pacific) no papel de um analista de dados de agências governamentais com Arliss Howard (Medium) como seu seu chefe. A série desenvolveu um trabalho interessante, mostrando um grupo disfuncional de analistas a procura de indícios sobre possíveis planos terroristas. Mas para decepção de sua legião de fãs crescentes, Rubicon foi cancelado pela AMC após sua temporada de 13 episódios. Casos como essse chegam a ser estranhos quando pensamos que séries de qualidade deveriam, por consequência, atrair audiência significativa. No entando, a série mal marcava presença na mídia e em premiações, mesmo tendo um público bem fiel. Neste caso, outro fator que não ajudou é que a AMC ainda reserva pouco espaço para séries em sua grade, elas são transmitidas apenas aos domingos.

3. Firefly (Fox, 2002)

Criada pelo escritor/diretor Joss Whedon, criador de Buffy, Angel e Dollhouse, Firefly foi cancelada após somente onze dos catorze episódios produzidos terem ido ao ar. A série mostrava um mundo futurístico e uma realidade política quase absurda, porém, genial. Nela, os EUA e China tem suas potências unidas formando um único governo: a aliança, que governa o sistema solar. Graças à fama da série, Whedon decidiu rodar um filme baseado nela: Serenity, nome da nave espacial apresentada em Firefly. Joss Whedon chegou a admitir que planejava manter a série por 7 anos no ar. Mas não deu.

2. Freaks and Geeks (NBC, 1999–2000)

Indiscutivelmente, a série mais influente que durou pouco. Freaks and Geeks era um drama inteligente sobre os desafetos dos adolescentes. A série nos deu Seth Rogen, James Franco, Busy Philipps, Jason Segel e muito mais. O produtor-executivo, Judd Apatow, também foi revelado pela série e começou a fazer filmes (entre eles, Ligeiramente Grávidos e O Virgem de 40 Anos). Sendo voltado ao público adolescente, o cancelamento da série causou protestos dos fãs. Excluindo qualquer tipo de comparação, séries adolescentes sofrem com o fantasma do cancelamento. Vejamos os exemplo mais recentes The OC, que foi cancelada após seu baixo desempenho em audiência em sua quarta temporada e Gossip Girl, que está com a corda no pescoço. Talvez o grande problema seja que as séries esqueçam de crescerem junto com seu público.

1. Jack & Bobby (The WB, 2004–05)

Este drama inteligente estrelava Matt Long (o redator insolente de Mad Men) como Jack e Logan Lerman como Bobby, irmãos que são destinados à carreiras políticas, mas que na série são apresentados como adolescentes conturbados. O show insinuava que esses meninos poderiam ser os irmãos Kennedy. O elenco de apoio incluia Bradley Cooper (Esquadrão Classe A), Christine Lahti (Studio 60) e John Slattery (também de Mad Men), e foi co-criado por Greg Berlanti (No Ordinary Family) e o romancista Brad Meltzer. A grande sacada da série era mostrar o futuro dos personagens ligando as situações com os dramas vividos por eles no passado. A série também não escondia que um deles se tornou presidente e o outro morreria. Mas se quiser saber quem é, recomendo que assista a série. Vale a pena!

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

The Handmaid's Tale voltou!!! O que rola de novo nesta temporada? Descubra mas SEM SPOILER!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!