11 episódios essenciais de Dawson’s Creek

De janeiro de 1998 até junho de 2003, o extinto (e saudoso) canal The WB levou adolescentes a loucura e ajudou a definir os traumas de uma geração! Dawson’s Creek era o show ideal para ser assistido devotadamente por meninos que falavam de maneira eloquente, meninas morenas inteligentes e tímidas que escondiam um grande amor, piadistas sem grandes pretensões na vida, loiras misteriosas que tentavam se enturmar e rapazes gays que não sabiam como sair do armário nem se enquadravam em nenhum padrão homossexual. Todo cara queria um ULTRAMEGASENSUAL Jen ou uma “girl next door” Joey para chamar de sua. Toda menina queria um romântico e tímido Dawson ou um engraçado e apaixonado Pacey!

Filmado no estilo câmera única com muitas cenas externas, aspecto bucólico, verborragia e um roteiro rápido e esperto fazendo referências a Neruda, Shakespeare, John Hughes e muito Spielberg, o dano causado pelo show na geração que hoje tem entre 20–30 anos (e alguns mais velhos) jamais poderá ser sanado e os 11 episódios abaixo vão te explicar porque!

1- Pilot-1×01

Dawson Leery (James Van Der Beek) é um habitante de Capside, cidade interiorana rodeada de riachos, que vive uma existência sonhadora ao lado de seu melhor amigo, Pacey (Joshua Jackson) e sua vizinha, Joey (Katie Holmes Cruise). Ela nutre sentimentos que não consegue explicar por seu vizinho, que não tem olhos para ela e sim para a recém chegada Jen (Michele Williams), que veio de Nova York cheia de mistérios para ajudar sua avó a cuidar de seu avô moribundo. O jovem Leery é fã de Spielberg, pacato e inteligente e sua vizinha escala sua janela e entra por ela quando quer, sem nenhum apelo sexual (aham). Eles passam tardes vendo Tubarão e E.T e filosofando sobre sua vida adolescente.

É essencial porque: é o início de tudo! A chegada de Jen — descendo daquele taxi e apaixonando multidões — a obsessão de Dawson por filmes, o beijo entre Pacey e sua professora e a implicância com Joey! Tudo isso forma a semente de 3 temporadas excelentes e de outras 3 nem tanto assim. Esse episódio nos traumatizou porque propôs a noção de que você pode ser um completo mané (como Dawson era) e ainda assim ter duas mulheres maravilhosas apaixonadas por você (como Joey e Jen eram!). Acorda bundão! Isso jamais irá acontecer!

Olha a cena inicial da série, com direito a filminho e a descida do taxi da Jen!

2- Detention- 1X07

Dawson, Jen, Joey e Pacey, juntamente com a complicada Abby Morgan (Monica Keena) estão de detenção num sábado por diferentes infrações e vão ter que lidar uns com os outros. Dawson vai ter que encontrar uma forma de “perdoar” Jen após ela ter revelado o real motivo que a levou a morar com sua avó. Joe explica os motivos de não gostar muito de Jen. Dawson e Pacey brigam e tudo culmina em bastante verborragia e uma quantidade irreal de autoconhecimento e explicações sobre seus próprio sentimentos para adolescentes de 15 anos.

É essencial porque: Os personagens estavam abalados. Joey tinha descoberto o caso que a mãe de Dawson mantinha, além disso, o protagonista estava sobre grande pressão após revelar seus sentimos por Jen e ouvir dela — alguns episódios atrás — que tinha vindo a Capside porque, em linhas gerais, era bem vagabunda em Nova York. O fator que catalisou a reação foi a encrenqueira Abby, que ainda tinha muito o que mostrar. Esse episódio foi baseado no filme de John Hudges, Breakfast Club, e só por isso já merece estar aqui! Todos temos que procurar um psicólogo graças a esse episódio porque nele Jen jura ser uma ex-piriguete e diz que mudou, que se arrependeu, que sofreu muito e dissertou com palavras bem complicadas todos os seus sentimentos. E existe ex-piriguete, gente? ( )sim (x) não

No video abaixo, Dawson cita a referencia óbvia a Hudges e Pacey elogia Mighty Ducks (filme que lançou ele ao estrelado)

3- Double Date — 1×10

Numa comédia de erros, Dawson e Mary Beth (Meghan Perry) se juntam a Jen e Cliff (Scott Foley) num double date. Na verdade, é um plano dos primeiros para fazer ciúmes nos outros dois que, obviamente, não dá muito certo. Além disso, Joey e Pacey devem fazer um trabalho de ciências juntos. Eles até aqui se odiavam e terminam se divertindo, apesar de muito sair diferente do previsto. Quando descobre da aventura dos amigos, Dawson fica enciumado.

É essencial porque: Os primeiros lampejos do triângulo que guiou o seriado são vistos aqui. Além disso, o roteiro do episódio e a forma como ele é passado, que já tem uma média boa para uma série adolescente, atinge um novo patamar nesse episódio. Mas o grande dano subconsciente que ele causou foi nos fazer acreditar que se uma menina nos odeia, se implicarmos, brincarmos e eventualmente rirmos juntos, ela vai passar a nos amar. Olha, amigão, ela te odeia hoje? A chance é que ela continue te odiando por um bom tempo! Não se engane!

Bônus episode: 3.1 — Beauty Contest 1×11

Joey se inscreve num concurso de beleza. Na hora do concurso, Dawson parece finalmente notar ela e Jen nota essa atenção súbita do seu ex-namorado. Esse episódio não é essencial, mas deu para Katie Holmes a noção de que ela sabia cantar. Avaliem vocês o que ela faz com On My Own de Les Miserables.

4- The Kiss — 2×1

Na season finale da primeira temporada, Dawson e Joey ficam juntos e tudo parece lindo…. até que de repente, não. Joey, que tinha planos de ir para França, desiste deles para ficar perto de Dawson, que entregou o pai dela para a polícia. Além disso, é introduzida nesse capítulo Andie (Meredith Monroe) — que automaticamente chama a atenção de Pacey. Seu irmão Jack (Kerr Smith) só apareceria no episódio seguinte.

É essencial porque: Os produtores não sabiam se haveria uma segunda temporada do show, por isso ao final dos 12 capítulos da primeira temporada eles finalizaram a série da melhor maneira que podiam. Só que agora eles precisavam de história para mais uma temporada inteira, então introduzem Andie (e depois Jack) e começam a criar tensões entre o casal de protagonistas para eventualmente separá-los e deixar o barco correr! O maior dano psicológico que esse episódio nos causou foi nos vender que Meredith Monroe, de 30 anos de idade na época, era uma adolescente de 15, mas com uma carinha de 40. Jamais nos recuperaremos.

5- To be or not to be/ That’s the question — 2×14/15

Esse episódio duplo subverte a pergunta de Shakespeare e nos faz questionar a sexualidade de Jack. Namorado de Joey, Jack foi bem avulso nessa função. Tímido e retraído, eram pequenas as suas participações e o que havia para ser apreciado nele. Numa aula de redação o professor o obriga a ler em voz alta seu texto — praticamente expulsando o pobre coitado do armário! Indignado, Pacey defende seu amigo dando uma bela prensa no professor!

É essencial porque: Tirar um personagem do armário num seriado adolescente em horário nobre é algo grande. Se esse personagem é interesse romântico da personagem principal, mais ainda. A questão de Jack é que ele não tinha nenhum esteriótipo de gay e, no final das contas, a própria audiência ficou tão em choque pela revelação quanto os personagens. Excelente texto. O trauma aqui vai para aqueles meninos em dúvida sobre sua sexualidade que pretendem fazer seu anúncio em frente a toda escola e para sua ex-namorada e esperam encontrar o grau irrealista de compreensão e apoio que Jack encontrou. Boa sorte ae, meu chapa!

Veja a leitura do texto de Jack que causou tudo isso no video abaixo:

6- Abby Morgan, Rest in peace — 2×19

O fim do episódio anterior mostrou Jen e Abby sendo expulsas de um casamento e indo beber nas docas. Lá Abby cai do pier nas águas e morre! Com a morte de sua amiga, Jen se sufoca com toda a hipocrisia das pessoas tentando passar a impressão que gostavam de Abby ou se importavam com a menina. Ela briga com tudo e com todos e termina expulsa de casa por sua avó.

É essencial porque: Esse episódio marca o começo do fim de tudo que as duas primeiras temporadas construiram e é o fundamento da terceira. Aqui, Andy começa a surtar de verdade e Jen pira o cabeção e começa a se unir na sua longa amizade com Jack. Choramos em posição fetal nesse episódio porque Jen realmente fica muito possuída, ofende e afasta a todos! Ela diz e faz coisas para sua avó que acabariam para sempre com relações muito mais maduras e não é isso que acontece, tudo volta ao normal poucos episódios depois. Mesmo que pareça que tudo tem perdão, acreditem, tem coisas que simplesmente são imperdoáveis.

7- Cinderela Story 3X17

Depois da ultima vez que Dawson e Joey terminaram, ele pede a seu melhor amigo Pacey para ficar de olho nela. Pacey e Joey então ficam bons amigos. Nesse episódio, Joey vai até Boston para encontrar AJ, seu namorado da época. Depois de brigar com ele, e sem condições de voltar para casa, ela liga para Pacey que vai ao seu encontro. No caminho de volta para Capeside, Joey começa a chorar suas pitangas e ele simplesmente não aguenta: Para o carro, desce, faz um discurso deixando claro que ela fala demais e que ele não aguenta mais tanto blá-blá-blá, dando um enorme beijo nela! E ela ainda quebra ele!

É essencial porque: Pacey já havia comprado um muro para Joey pintar, estava realmente muito amigo dela e a proximidade levou a uma coisa, que levou a outra. Aqui, começa o triângulo amoroso que só seria resolvido no episódio final! A atitude de Pacey na verdade não mandou a audiência para terapia, tirou vários forever alones dela! A friendzone é uma linha imaginária e permitir que ela exista vai te deixar doido, meu amigo! Diferente então de todos os outros episódios da série, esse não te manda pra terapia: ele te tira dela! Vamos acompanhar Pacey mandando ver:

8- The Longest Day — 3×20

Todo mundo descobre do namoro entre Joey e Pacey! A história é contada por 4 pontos de vista diferente e o formato lembra o filme GO! (que conta com a participação de Katie Holmes). Cada história mostra mais um pedaço de tudo o que aconteceu e termina com Dawson dando um ultimato em Joey: se o namoro continuar, eles não serão mais amigos! Joey termina com Pacey numa cena triste e que deixa muito para o fim da temporada!

É essencial porque: O Dawson descobre o relacionamento dos amigos e agora, todas as peças estão colocadas. Ele e Pacey demorariam a voltar a ser amigos e a audiência toda já torcia para Pacey, a essa altura! Esse capítulo é especialmente danoso para nossa saúde mental: é uma puta atitude de bundão dar ultimatos por aí, hein?

9- True Love — 3×23

Os pais de Dawson preparam para renovar seus votos. Mas a verdade é que ninguém da audiência se importa com isso, todo mundo quer saber o que vai ser da grande viage que Pacey pretende fazer no barco que ele mesmo montou. Na cena mais tensa do episódio, Dawson percebe a tristeza de Joey e entende que ele a fez ficar, mas isso não quer dizer que ela ficou feliz. Após fazê-la dizer o quão “divertido vai ser o verão ali” ele a liberta para se encontrar com Pacey. Ela corre para o barco “True Love” e viaja (sem bagagem) pelos oceanos com seu amor verdadeiro.

É essencial porque: Esse deveria ter sido o fim do seriado. Ela escolheu Pacey, continuou amiga de Dawson e pronto. A cena em que Dawson é deixado por Joey tem a melhor interpretação de choro/prisão de ventre/ o que é isso? da história da televisão mundial! Virou meme e tudo! E a forma como Pacey vai minando a resistência da amada é obra de mestre. O grande problema desse episódio para as jovens cabeças das adolescentes do mundo é esse: legiões de meninas foram mandadas para a terapia esperando grandes gestos de amor como esse abaixo que, realisticamente, ninguém faz por ninguém (ele começa em 4:34):

10- Castaway- 6×15

Joey vai como “irmã” de Pacey a uma festa e na volta, param num K-Mart e são trancados lá dentro. Os dois personagens são os únicos regulares em todo o episódio. A situação inusitada faz com que eles confrontem seu passado como amigos e namorados e liguem novamente os pontos que foram desconectados a muito tempo, deixando ambos os personagens pensativos em relação ao futuro.

É essencial porque: Esse episódio também é baseado em um filme de John Hudges, desta vez Career Opportunities e prepara os espectadores pro finale. Ela faz a barba dele (#asminapira), ele faz brincadeiras de duplo sentido com ela (#osminopira) e o texto simples e rápido, além da evidente química entre Kate Holmes e Joshua Jackson, confortáveis em seus personagens, entregam um dos melhores episódios da série, fazendo lembrar e muito as 3 primeiras temporadas. Dawson’s Creek aqui joga a ultima pá de terra sobre a saúde mental de todos os fãs com a seguinte proposta: o amor verdadeiro dá um jeito de acontecer. Afinal há 3 temporadas atrás ela já havia escolhido ele, eles já deram certo juntos, muito coisa aconteceu, ambos tiveram outros relacionamentos e a sombra sempre presente de Dawson para ameaçar a relação, mas tudo deu certo e eles se reconectaram aqui. No minuto 1:42 do video abaixo, temos Joey barbeando o cara…

11- All good things/ Must come to an end — 6×23/24

Cinco anos se passaram, todos eles tem vidas estáveis: Dawson está em L.A produzindo um show chamado The Creek, baseado em sua adolescência. Joey é uma editora de livros, Jen é uma mãe solteira gerenciando uma galeria de arte em SoHo, Pacey é um chef em Capside e Jack um professor na escola em que eles estudaram, além de namorado do irmão de Pacey Todos os sentimentos guardados vem a tona quando Jen adoece e as questões entre os amigos são colocadas a prova, especialmente a dúvida entre qual dos dois amigos Joey irá escolher. No final, a escolha dela determina um final feliz para boa parte da audiência e um finale gratificante e que não tem absolutamente nada haver com o restante da temporada e sim com o ocorrido 3 temporadas atrás, mas que encerra o show com maestria.

É essencial porque: Foi um final criticado e amado ao mesmo tempo. A morte de Jen é o fator de ignição para grandes movimentos entre os personagens e cenas feitas unicamente para emocionar. O vídeo dela dando conselhos a sua filha, que ainda é um bebê, bem como a conversa dela com Jack — dizendo ao amigo que eles são almas gêmeas e que ele deveria cuidar de sua filha depois que ela morresse, são comoventes. Joeyficar com Pacey era a escolha óbvia a partir da 3 temporada e qualquer coisa diferente disso entregaria um final insatisfatório. O finale é excelente, que funciona quase como um pedido de desculpa pelas últimas temporadas da série, por fazer tanto contato com o material das temporadas iniciais. E mais excelente ainda por deixar muito claro aquilo que todos já deveriam saber: no final, o bonzinho termina sozinho! Lidem com isso! Apesar disso, muita gente não gosta dele tanto assim.

O video a seguir é a montagem que aparece no final, logo depois Pacey e Joey ligarem para Dawson e esse informar que vai realizar seu grande sonho: encontrar com Spielberg! Musiquinha do fim com as cenas dos encontros e desencontros emocionando todos os fãs!

E aí? Dawson ou Pacey? Gostam de algum episódio não citado? Digam aí embaixo!

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER