20 filmes que marcaram o cinema em 2015

Separamos 20 filmes que marcaram o cinema em 2015, dos sucessos de audiência aos queridinhos da crítica.

Será que você assistiu a um dos filmes que marcaram o cinema em 2015, segundo nossa lista?

Como parte de nossa retrospectiva, chegou a hora de conhecer os sucessos cinematográficos de 2015. Já vimos as personalidades do ano e até como 2015 foi o ano das mulheres. Listamos todas as histórias publicadas este ano e que precisamos ler, e também as séries que marcaram o ano.

Mas nem tudo são flores, por isso lembramos os momentos da TV que queremos esquecer e os grandes fracassos do cinema.

Agora, vamos manter o otimismo e lembrar os filmes que marcaram o cinema em 2015.

Vingadores Era de Ultron renova UCM

A esperada sequência de Vingadores chegou ao cinema com o objetivo de encaminhar a fase dois do Universo Cinematográfico da Marvel ao seu final, sendo encerrada por Homem-Formiga. Novos heróis chegaram, ou pelo menos já foram apresentados. E teve até herói que se foi — beijos Hulk. Com bons números na bilheteria global e americana, podemos dizer que foi um sucesso. Confira nossa crítica.

Kingsman, juntando espiões e quadrinhos

Filmes de espionagem com personagens ingleses fazem muito sucesso. Filmes inspirados em quadrinhos também. O que acontece quando juntamos as duas coisas? Kingsman acontece! Divertido, ágil e bem feito, o longa estreou em janeiro em nosso país e repetiu o sucesso internacional. Tanto que uma sequência já está programada e deve sair em 2017, segundo o IMDB.

Birdman, o vencedor do Oscar

De certa forma, podemos dizer que um filme de super-herói ganhou o Oscar. 🙂 Birdman, estrelado por Michael Keaton, fala sobre um ator em crise, conhecido por ter interpretado um famoso super-herói, sem nunca ter conseguido quebrar o estigma do poderoso personagem. Atuações poderosas! Confira nossa crítica.

Velozes e furiosos 7, com e sem Paul Walker

Infelizmente chegamos ao capítulo de Velozes e Furiosos sem Paul Walker. Quer dizer, o ator foi ressuscitado no longa através da tecnologia. A cena na qual aparece é emocionante e levou os fãs às lágrimas. Paul faleceu em novembro de 2013 e deixou saudades no coração dos fãs da série cinematográfica que continua forte nas bilheterias americanas.

Beast of Nation, o primeiro filme da Netflix

Beasts of No Nation foi realizado e filmado por Cary Fukunaga (True Detective), baseado no romance homônimo do autor nigeriano Uzodinma Iweala. No papel principal temos o excelente Idris Elba, que ganhou o Globo de Ouro por Luther. O filme passou por diversos festivais e ganhou muitos prêmios. Ainda que pertença ao catálogo da Netflix, os americanos tiveram a chance de vê-lo no cinema por um curto período de tempo. Conta a vida de Agu, um menino-soldado dilacerado pela guerra civil africana e obrigado a lutar depois de ter sido afastado de sua família.

Star Wars: O Despertar da Força

Dispensa apresentações. O Despertar da Força é o Episódio VII da saga cinematográfica. Com muito mistério até sua estreia (e mesmo depois dela, já que os fãs seguem criando teorias) criou expectativa o suficiente para levar milhões ao cinema em seu primeiro fim de semana. Não à toa já bateu diversos recordes e ultrapassou U$1 bilhão em menos de 12 dias em cartaz. Confira nossa crítica.

O feminismo de Mad Max A Estrada da Fúria

Um dos favoritos para o Oscar 2016, Mad Max A Estrada da Fúria fez bonito no cinema não apenas com a crítica, e nem somente com a bilheteria. O filme inovou trazendo mensagens feministas numa história que retrata um mundo apocalíptico dominado por adoradores de rodas e volantes. Com efeitos maravilhosos, revitalizou uma franquia que ainda carrega muito potencial. É claro que não escapou de polêmicas. Teve até movimento machista propondo boicote ao filme.

A retomada nostálgica de Jurassic World

Não fosse pelo despertar da força, Jurassic World seria o maior recordista do ano. Junto com Mad Max e Star Wars, provou que a falta de criatividade de Hollywood é lucrativa. E a culpa é da nossa nostalgia. Ao contrário de Estrada da Fúria, Jurassic World é carregado de machismo. Ainda assim é carismático o suficiente para levar multidões aos cinemas. Nã apenas pelo fator dinossauro, mas também pelo mozão Chris Pratt! ❤ ❤ ❤ Leia nossa crítica.

E a Pixar nos fez chorar novamente com Divertida Mente

Um dos poucos filmes originais a se destacar em nossa lista, Divertida Mente é daquelas animações Pixar feitas para nos fazer chorar. E não é que eles conseguiram de novo? O longa rapidamente se converteu em um dos maiores sucessos de bilheteria do ano e é um dos principais motivos pela Disney ter fechado 2015 com U$2 bilhões nos bolsos. Confira nossa crítica.

A delicadeza de Beira-Mar

Muito mais que um filme gay, como foi rotulado por muitos! Beira-Mar é uma das produções nacionais que melhor aborda as descobertas da juventude, junto com Hoje Eu Quero Voltar Sozinho. Será que estamos vendo um novo nicho nascer nas telonas brasileiras. Se sim, ou se não, o fato é que filmes como este elevam a qualidade de produção da indústria nacional de cinema. Definitivamente tocante. Leia nossa crítica.

A distopia descarrilhada em Expresso do Amanhã

Lançado em nosso país em 2015, depois de muitas alterações de data, Expresso do Amanhã demorou dois anos para chegar ao nosso país. Por ironia do destino a história fala de um trem que percorre o mundo a toda velocidade. Baseado na HQ francesa Le Transperceneige, traz uma realidade distópica na qual a Terra entrou em Era Glacial após atitudes extremas de nossa civilização. Os únicos sobreviventes estão neste trem, dividido em classes, que representa as opressões sociais de nosso planeta capitalista. Confira nossa crítica.

Cinderela traz a magia Disney em live action.

Após os sucessos de Alice no País das Maravilhas e Malévolas, chegou a vez de outro clássico Disney ganhar as telas do cinema em versão live-action. Cinderela não trouxe apenas a magia Disney ao público. Levou também a magia Disney às máquinas registradoras das bilheterias de cinema. Outro grande sucesso da empresa em 2015. A história é basicamente a da animação. O mais interessante aqui acaba sendo os bastidores do filme. Você nem imagina como o vestido que marca o filme foi feito.

A Travessia, o Vertigo do novo século

Robert Zemeckis tem em sua assinatura os efeitos especiais. E isso vem de lá de trás, desde De Volta Para O Futuro (1985). O diretor está sempre em busca de histórias que exijam um pouco mas para ser contada. Enquanto muitos diretores recorrem aos efeitos visuais para depois gerar uma história, Zemeckis passeia na contramão. E A Travessia é a perfeita tradução disso. Se você tem medo de altura, com certeza o evitou este ano. Não deveria! Confira nossa crítica.

O bom desempenho de A Colina Escarlate

No resumo, A Colina Escarlate conta como dois irmãos golpistas tomam vantagem sobre uma jovem sonhadora e rica. No completo, um filme fantástico com fantasmas, casas amaldiçoadas e a assinatura única de Guillermo Del Toro. Esperado pelos fãs do diretor, teve uma bilheteria modesta e boa aceitação da crítica. Confira nossa opinião sobre o filme.

O fim do regime argentino em O Clã

Anti-heróis fazem sucesso na TV e no cinema. Neste filme argentino temos uma família dele. O Clã marcou o retorno de um filme hermano ao Festival de Veneza após 17 anos. Dirigido por Pablo Trapero, em três semanas atingiu a marca de 1,5 milhão de espectadores. É a primeira vez que o diretor conta uma história real e de época, mostrando os Puccio em seu dia a dia. A família ficou conhecida por, em 1980, sequestrar e assassinar vizinhos do bairro San Isidro, em Buenos Aires.

Que Horas Ela Volta e um debate mundial

Maior sucesso nacional se considerarmos a crítica, Que Horas Ela Volta mostra Regina Casé em grande estilo. Quem não conhece o trabalho da atriz no cinema e se acostumou com a presença virtual dela aos domingos, com o Esquenta, pode até se surpreender. Seria o representante brasileiro no Oscar, mas não foi selecionado. Ainda assim, é um vencedor já que trouxe um debate interessante sobre o tratamento que as domésticas recebem em diversos lares do Brasil. Aliás, um debate global, já que o filme foi exibido em diversos festivais ao redor do mundo. Confira nossa crítica.

O melhor filme de Missão Impossível

Sem dúvida chegamos ao melhor longa de Missão Impossível, talvez o melhor filme de espionagem do ano. Com ritmo e boas viradas de roteiro, vemos Ethan (Tom Cruise) se afastar da organização que agora presta contas à CIA, enquanto prova a existência de um inimigo já conhecido: o Sindicato. SPOILER Uma surpresa interessante foi ver que o novo longa de 007 seguiu por este mesmo enredo. Confira nossa crítica.

Perdido em Marte, uma releitura de Robson Crusoé no espaço

É puro Ridley Scott em seu melhor estado. Mas é preciso dividir o mérito com Matt Damon, que na maior parte do filme não divide cena com ninguém. Podemos dizer que é “O Náufrago” levado ao limite. Esquecido por sua tripulação, que escapou do planeta vermelho durante uma perigosa tempestade, Mark Watney desperta sozinho em Marte. Agora ela precisa usar de toda sua habilidade (e por sorte ele é botânico) para resistir até que a próxima missão espacial venha buscá-lo. Mesmo com atuações impressionantes, o destaque do filme vai para a trilha sonora toda trabalhada nos anos 70.

Carrossel O Filme desbancando os filmes da Globo

Muitos vão perguntar O QUE ESSE FILME ESTÁ FAZENDO AQUI??? Precisamos tirar o chapéu para o SBT, que conseguiu desbancar dois filmes da Globo e se tornar a maior bilheteria nacional no período das férias em 2015, época concorrida. Se a estratégia era manter a marca em alta, deu certo. Em breve estreia o desenho animado da turma, que deve ser outro sucesso.

Chappie, o mais simpático robô do cinema

Talvez nenhum outro filme sobre inteligência artificial tenha criado um personagem tão simpático quanto Chappie, o robô “filho” de criminosos das periferias de Joanesburgo. Baseado num curta de 2014, Chappie trouxe a dupla de músicos Ninja e Yolandi Visser, do grupo de rap-rave Die Antwoord. Na trama futurista, robôs com inteligência artificial são colocados nas ruas para controlar o crime. Chappie acaba sendo roubado de seu desenvolvedor, interpretado por Dev Patel (do filme vencedor do Oscar Quem Quer Ser Um Milionário). Os ladrões passam a “ensinar” Chappie a ganhar a vida como eles, mas o caráter do robô será definitivo sobre qualquer ensinamento.

Faltou algum filme? Então deixe um comentário.

Por Caio Fochetto com colaboração da Equipe BOXPOP.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER