A regra do jogo — Semana 1×1–6

Em sua primeira semana, A regra do jogo se mostra soturna e impactante

Eu tenho um segredo pra você: Deus não existe! Justiça não existe!” — RÔMULO, Romero.

Nomes dos capítulos: A outra face, Bandido pobre, Samambaia, Quem é você?, O injustiçado e Amor de mãe

João Emanuel Carneiro e Amora Mautner sabem mesmo como conduzir um bom espetáculo televisivo. Apenas uma semana de novela no ar e a impressão que se tem é que, em A regra do jogo, tudo acontece com uma velocidade impressionante. Em apenas seis capítulos, aconteceram mais coisas do que seis meses de uma novela comum.

Essa é a grande marca de JEC. Quem assistia a A Favorita, por exemplo, sabia que, se perdesse um único capítulo, afetaria a compreensão do enredo. O grande motivo é que o autor usa muito a fórmula das séries americanas onde cada capítulo tem um desenvolvimento bem específico. Agora, em A regra do jogo, a referência é ainda mais escancarada com os capítulos recebendo títulos.

Até mesmo os famosos cliffhangers (os tradicionais ganchos do fim dos capítulos) voltaram com tudo. Se em Avenida Brasil o frame final era congelado com as luzes da cidade, agora se ouve o barulho de uma cela sendo aberta ou fechada e um raio de sol surgindo. Ótima metáfora para a situação no limite vivida por quase todos os personagens.

A regra do jogo Semana 1

Estes seis capítulos se dedicaram, basicamente, em mostrar o trio de protagonista. A intenção é trabalhar individualmente com cada um deles para depois colocá-los em interação. O jogo de xadrez da abertura não é meramente ilustrativo. Além dos protagonistas, a trama trabalha cada um dos personagens como peças de um jogo, com movimentos friamente calculados. Quem recebe o xeque mate são os telespectadores.

Toia é a mocinha folhetinesca clássica, apesar de receber algumas nuances. Ao ser retirada da cadeia por Romero, fica muito claro que a ligação entre os dois está apenas começando e que ainda renderá bastante. Ela não é totalmente santa. O que era ela se esgueirando pelos cantos da favela durante a presença de Zé Maria no Morro da Macaca? Toia ainda vai surpreender.

Atena é uma criação interessante de Giovanna Antonelli. A evolução da atriz é nítida, apesar de ainda estar um pouco carregada. Sua personagem é a mais deliciosa da trama e sua risada será obrigatoriamente copiada. Já se sabe que ela vive de golpes e fica subindo de degrau em degrau até encontrar a próxima vítima. Suas tramoias para enganar Sumara são deliciosas e ainda podem colocá-la em maus lençóis. É aguardar.

Romero viveu uma verdadeira montanha russa junto com o espectador. Que ele tem uma personalidade dúbia, isso já dava para sentir desde as chamadas. O que ninguém esperava é que essa dubiedade viesse em loopings eternos. Com o descobrimento da doença, as nuances ficam cada vez mais interessantes. Sua reaproximação com Djanira, por exemplo. Culpa, remorso ou interesse? O fato é que isso acabou balançando sua mãe.

Du Moscovis é o canastrão perfeito para viver Orlando. Dá um pouco de raiva do rapaz quando ele consegue mais destaque dentro da facção que Romero. Mas logo é perdoado em uma única cena com Nelita (Bárbara Paz vivendo a louca de vez mais uma vez), que poderá despertar grandes paixões.

O núcleo cômico ainda não encontrou o tom exato. A demissão de Breno no mesmo instante que sua família adquire um carro novo deixou uma sensação meio Até que a sorte nos separe com Otávio Müller fazendo o Hassum da vez. JEC precisa trabalhar melhor esse pessoal, afinal, gente boa ele tem ali.

E finalmente Tony Ramos deu o ar da graça. Considerado um dos melhores atores brasileiros de todos os tempos, Tony comprovou isso. Seu Zé Maria é intenso e apaixonante. Tem seus fantasmas no armário, mas isso não o repele. Ao contrário, torna-o mais atraente. A química com Cássia Kiss foi instantânea.

E não podíamos encerrar essa review sem mencionar Susana Vieira. É delicioso vê-la em cena. Principalmente quando um personagem é concebido especialmente para um ator. Adisabeba é a Susana transformada em ficção. Pena que apareceu tão pouco nessa primeira semana.

A regra do jogo começou muito bem. Soturna, sombria e impactante. Que venham os próximos capítulos!

Acompanhem aqui o que achamos da nova novela.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Será que a Elsa se assumiu lésbica cantando e ninguém percebeu?

Curiosidades de Euphoria, a série BAFOOOO da HBO.

Viajamos no verdadeiro trem do Harry Potter! Na vira real!!! Veja como foi a experiência neste vídeo.

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER