Agents of SHIELD 3×09 — Closure

Agents of SHIELD acelera no caminho para o midseason finale com Closure… mas esquece de deixar o público respirar.

Honestamente, não estava esperando isso.” — HUNTER, Lance

Um bom título alternativo para este episódio seria Coulson e o Dia Terrível, Horroroso e Espantoso.

Closure é um episódio com uma missão: colocar as peças no seu devido lugar e começar o xeque-mate que vai concluir este pedaço da temporada. Como um resultado, o episódio acaba sendo naturalmente rápido, com muitos eventos acontecendo em míseros quarenta e cinco minutos.

Logo no começo, o episódio já vai pra terceira marcha sem pisar no breque com a morte de Rosalind. A perda de Constance Zimmer é um infortúnio, justamente porque Roz era uma personagem interessante, que tinha uma química divertida com Coulson e dava a ele a chance de ser algo mais do que “o chefe chato”.

Ao mesmo tempo, a morte de Roz é uma resolução da história da ATCU e a última gota no copo d’água para Coulson, o momento que finalmente faz ele jogar tudo para o ar e perseguir Ward. Durante esses nove episódios, os roteiristas realizaram um exemplar trabalho mostrando porque Ward é o Lex Luthor ou o Loki de Agents of SHIELD.

E apesar de Roz entrar no triste grupo de personagens femininas que morreram para motivar personagens masculinos (um clichê bem cansativo a esse ponto), sua morte acaba sendo aquilo que leva todas as histórias da terceira temporada para o mesmo local: o portal para o planeta alienígena onde o mestre da HIDRA está.

Coulson vingativo é um Colsoun bem marcante, uma bela diferença para alguém que acabou sendo apenas um personagem secundário até agora, especialmente na segunda temporada. O problema é que Coulson vingativo também acaba tirando a chance de outros personagens se desenvolverem.

Qualquer cena no episódio que não tem um relacionamento direto com a vingança de Coulson parece rápida demais, especialmente a tortura de Fitz e Simmons, que estabelece o cenário para uma possível conclusão de seu romance no próximo episódio. Até o grande momento emocional de Ward e Malick parece nada quando comparado a simples cena em que Coulson destrói seu celular ao receber notícias ruins.

A cinematografia de Agents of SHIELD usa esse exagero emocional como desculpa para chegar o mais próximo de seus personagens em closes sufocantes e uma paleta de cores que acaba afogando o espectador. Uma cena em que a câmera vai de um lado de Ward para o outro é uma metáfora visual legal, só que não causa muito efeito quando é sucedida por mais uma cena de Coulson gritando.

Como é o episódio antes do midseason finale, Closure tinha que pegar todos os laços soltos e juntar neles para o próximo episódio dar o nó final. No entanto, podia ter feito essa missão com um pouquinho mais de elegância, não é?

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER