AHS: Coven 3×01 — Bitchcraft

Ela é a suprema” — Nan

A bruxa está solta! Depois de sermos bombardeados por diversos todo tipo de material promocional bizarro (cartazes e promos, principalmente) American Horror Story volta para sua temporada de bruxaria. Coven nos trás o universo das bruxas, nem antigas, nem modernas, mas eternas.

O plot principal foi muito interessante: as bruxas estão novamente em risco de extinção? Como se fossem uma espécie diferente da humana (pois, para ser bruxa é necessário nascer numa família bruxa — sorry, Hermione!) as feiticeiras de Ryan Murphy encontram seu refúgio em Miss Robichaux’s School for Girls, uma espécie de Hogwarts para garotas em New Orleans. Neste reduto de bruxaria que irá se concentrar a questão foco da temporada: como sobreviver aos dias atuais?

Muitas questões foram levantadas no que está sendo considerado o Início da Nova Inquisição: a rapidez com que as informações se espalham, a exposição das bruxas fazendo bruxaria, a vingança, o ódio, preconceito, drogas. Acredito que o que começamos a acompanhar é o prelúdio de uma grande e épica história, recheada de personagens para lá de interessantes.

AHS Coven 3x01

Ficou claro também que há uma hierarquia dentro da vida das bruxinhas, e que a Suprema, Fiona Goode, além de ter a missão de contornar todos os novos desafios das garotas, também sofre com o maior medo feminino, seja humanos ou bruxos: envelhecer. Como uma viúva negra, ela suga das pessoas a juventude, procura tratamentos revolucionários e usa seus poderes para conseguir a juventude eterna, a pedra filosofal dos alquimistas.

Além da Suprema, as bruxas são aprendizes ou professoras. Tomara que esta sociedade se torne mais complexa com o passar dos episódios, pois é uma possibilidade interessante para se explorar.

E no meio de um episódio médio, o talento de Jessica Lange se destaca com folga. Em dois minutos de cena a gente já conseguia vislumbrar uma Fiona completa, uma professora sem classe, mas que preserva a obrigação de manter os seus longe dos holofotes, longe das fogueiras modernas que estão sendo montadas para as garotas. Um destas fogueiras é a exposição à mídia, a apropriação da fama. E neste ponto, apesar de ainda não dizer bem a que vieram, eu começo a compreender a escolha das garotas de Miss Robichaux.

Madison Montgomery é uma estrela de cinema que se descobre bruxa. No mundo dela, a fama, o sucesso, a superexposição são constantes. E ela se torna vítima deste mundo quando cai no velho golpe do Boa Noite, Cinderela! dos rapazes do time de futebol. Afim de gravar uma transa com a estrela, eles jogam Madison a fogueira do seu mundo: a sex tape. Claro que a bruxa não deixa barato.

E me causou estranheza foi mesmo as poucas cenas de Evan Peters. Eu não não entendi porque o personagem dele morreu tão rápido. Foi só para sair do lugar comum e salvar o amor que estaria nascendo entre ele (Kyle) e a Zoe de Taissa Farmiga? Se for, olha… que desperdício! Depois de praticamente protagonizar Asylum voltar para uma pequena participação é meio frustrante. Mas tenhamos fé: o mundo é de titia Ryan e ele faz o que quiser. Aliás, se o passarinho já voltou a vida e se Delphine LaLaurie não está morta, ainda nos resta esperanças (quero deixar claro para vocês que eu não li sobre os rumos que os personagens irão seguir, detesto spoiler!, logo, vamos analisar o que foi-nos mostrado, ok?).

AHS Coven 3x01 1

E o que foi o sótão macabro de Delphine LaLaurie? Eu achava que sister Jude era ruim, mas com esta personagem AHS atinge um outro nível de crueldade! A criação de seu próprio minotauro, que, assim como na mitologia grega, é o castigo por uma relação não permitida, dá a Miss Delphine o esteriótipo maquiavélico apenas visto nos grandes vilões. Como castigo, as bruxas a prendem por mais de 150 anos em um caixão de madeira, enterrado no quintal de sua casa. Merecido, mas agora que Fiona a acordou, sabe-se lá porque, haverá o conflito entre o que era em 1834 e o mundo moderno. Quase um clichê.

Muitas perguntas ainda estão no ar. Será que a Misty Day de Lily Rabe, queimada na figueira e o estopim para o início da preparação das bruxas para a guerra que virá, voltará? Do fundo do meu coração eu espero que sim, ela marcou Asylum de forma definitiva com talento e brilho (love, evil sister!). Será quem está por trás do movimento contra as bruxas? Existe um cabeça para esta nova inquisição? A bruxa negra e maravilhosa de Angela Basset, Marie Laveau vai voltar? Será que trama em 1834 teve fim?

Coven volta mais misteriosa, sangrenta e sexual, bem como seu idealizador gosta! Grande parte das personagens ainda estão para ser desenvolvidas, e é exatamente isso, evolução, que promete a série para esta nova temporada. Fiquem atentos para Cordélia Foxx de Sarah Paulson, eu acho que ela ainda irá render muito nesta temporada. O próximo episódio, Boy Parts, trará para New Orleans um novo Frankenstein e as garotas da escola descobrirão como Fiona trata de assuntos delicados. Ansiosos? Eu estou! Então fiquem com o promo (e duas gotinhas dum remedinho tarja preta) para segurar a ansiedade. Até lá!

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER