Arrow 1×06 — Legacies

Não preciso de caridade do filho do homem que me ferrou.” — Derek Reston

Um episódio começando cheio de tensão e adrenalina por conta de um assalto a banco, com direito a tiroteio e tudo mais. É de se pensar Legacies vai arrebentar pra cima de Damages certo? Errado. As cenas de ação logo de cara foram ótimas, e quando a mulher implorou para o policial não fazer nada e a cara que ela fez já deu a entender que ela não era tão vítima assim. Agora o cara ser baleado logo de cara? Oi? E o esquema de fuga estilo feito no filme brasileiro Assalto ao Banco Central?

No meio de tantos clichês iniciais, Oliver aparece em cena no meio de um treinamento um tanto quanto rígido com o seu leal parceiro Dig Diggle, que pelo jeito agora está ditando as regras em alguns momentos. Ponto positivo para essa cena dos dois, que nos leva a primeira cena de flashback do episódio, onde Oliver tem uma alucinação com o seu pai e ficamos com cara de pastel… por enquanto.

Thommy ainda não me convenceu e sinceramente não sei se ele é do bem, do mal ou apenas um idiota, mas a cena em que ele pede conselho para a Thea foi uma das melhores do episódio. É incrível a química que a dupla teve em cena. Paralelo a tudo isso, me surpreendi com a mamãe megera, que nesse episódio foi apenas uma simples mãe de família, querendo mostrar para as visitas que tem a vida digna de um comercial de margarina. Oliver e Thea foram contra em participar do jantar com as visitas, porém sem sucesso. Aí somos apresentados a Carter Bowen, um médico que aparentemente tem algum desafeto com Oliver, e tenho a certeza de que ele ainda aparecerá mais vezes em Arrow.

No episódio foi mencionado o nome de Scott Morgan, que controla a água e a luz de Staling City, porém foi usado em vão, cheguei até pensar que ele estaria ligado com a quadrilha de criminosos, mas não. É esperar para que ele volte a ser abordado em episódios futuros, e mais uma vez o famoso caderninho fica intacto, uma vez que a quadrilha entra em ação novamente. Chegou a hora do nosso vigilante finalmente entrar em ação, aliás está demorando para ele começar a adotar o nome de Arqueiro Verde né gente? Está muito Smallville, quando o Clark começa a bancar o justiceiro em Metropolis, e o batizam como borrão.

Com a falha de um novo assalto graças a intercepção de Oliver, aquela mulher que mencionei no começo, faz parte da quadrilha, que é formada por uma família de mexicanas, o qual seu marido trabalhou para as indústrias Queen no passado. Oliver ligeiro como sempre, fica cada vez mais perto de desmascarar a quadrilha e descobre o nome do cabeça, Derek Reston e, para a minha alegria eterna, recorre a Emily para descobrir mais detalhes sobre o criminosos, e acaba descobrindo que seu pai deixou o rapaz e mais outros operários de mãos abanando.

Oliver se sente culpado pelo rumo que a família de Derek tomou, e decide dar uma nova chance ao agora criminoso, porém sem sorte. Como Oliver é muito do esperto, é claro que ele teve que deixar uma escuta de leve para que ele e Dig Diggle pudessem saber sobre os próximos passos da família mexicana. Paralelo a isso, Thommy tenta a todo custo conquistar Laurel — na minha opinião esse episódio ela estava um saco — e não que o banana foi conseguindo? Porém quem não gostou nada foi a excelentíssima Thea, que num momento de ciúmes foi desafogar as mágoas na bebida, com direito a vomito e tudo mais.

A quadrilha está pronta para mais um bote, mas graças a escuta colocada no casaco de Derek, Oliver consegue chegar a tempo de impedir que eles fujam, mas o que ele não esperava é que um segurança aparecesse atirando. Derek é atingido e o vigilante pede para que o segurança traga ajuda, mas não dá tempo o suficiente e o rapaz acaba morrendo. É a partir daí que começamos a entender melhor os flashbacks desse episódio. Oliver teve alucinações com o seu pai, em que repetia ao filho que ele não era quem pensava ser e que o filho deveria ser uma pessoa melhor do que ele. É esse o ponto de partida inicial de Oliver na formação de seu atual caráter.

Esse episódio foi mais um fraco na minha opinião, conseguindo ser pior que Damages. A mamãe megera me impressionou com o seu lado “humano” nesse episódio, sem mistérios nem nada, apenas uma mãe carente que precisa de atenção. A cena final desse episódio foi bacana, mas que seu lado megera volte a aflorar porque boazinha igual ela foi em Legacies me preocupa.

Obs: alguém tem dúvida que será formado um quarteto amoroso formado por Oliver, Laurel, Thommy e Thea? Ah e para não esquecer, Thea no meio de um episódio cheio de clichês e dramalhões mexicanos, foi o nome da vez.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER