Arrow 1×15 — Dodger

Eu não sou o Robin Hood.” — Oliver Queen

Essa frase condiz com o contexto do episódio. Vamos dizer que Dodger foi um episódio montanha-russa, com seus altos e baixos, mas contendo uma trama interessante, melhor dizendo várias.

O começo desse episódio me deu um pequeno “desespero” com a revolta de Felicity com Oliver quando ele diz que vai ter um acerto de contas com Ken Williams, um dos que estão no famoso caderninho. Como eu já tinha visto imagens desse episódio, é claro que estava na cara que ela voltaria atrás, principalmente quando ele revela que deu apenas um aviso a mais um corrupto de Starling. A partir desse momento que o foco de Dodger vai para o vilão principal, o Trapaceiro, que na verdade deveria se chamar o Covarde, pois usa dos outros para executar seus planos.

Outra trama abordada foi em cima de Thea, a caçula da família Queen vem mostrando que está tentando melhorar. A química entre ela e Laurel está sendo sensacional e tenho certeza que isso tem tudo para melhorar dia após dia. O fato de Thea trabalhar agora com sua ex-cunhada fará com que ela veja as coisas com outros olhos e evoluir como pessoa. A cena do assalto foi meio nada a ver, pior que isso só a hora que o misterioso jovem se vê cercado e Laurel tenta dar uma de boa samaritana. Cá entre nós, Lance é muito mais esperta que isso e poderia ter aproveitado do momento para dar uns golpes no jovem e recuperar a bolsa de Thea, só que não. Aliás, a obsessão da jovem em conseguir a bolsa de volta foi muito forçado, afinal ela é rica e pode comprar uma fábrica delas.

Agora com Felicity ao seu lado, Oliver começa a perceber que existe outros meios de conseguir informações do seu alvo. Tudo bem que o cara ficou cinco anos naufragado numa ilha onde comeu o pão que o diabo amassou, mas a tecnologia tem suas vantagens em ajudá-lo. A nossa loira ainda mais ligeira, fez p Aqueiro Verde usar ninguém menos que McKenna, seu antigo affair do passado e que agora trabalha com o insuportável do Quentin, como isca para o trio chegar até o Trapaceiro.

Quando achamos que já conhecemos todas as facetas da senhorita Smoak, eis que ela nos surpreende ainda mais, incentivando Dig Diggle a finalmente marcar um encontro com sua ex-cunhada Carly e Oliver procurar McKenna. Dois encontros que foram um fiasco! Cadê a atitude Brasil?! Diggle só falava de seu irmão e Oliver nos cortes para cima da agente, por favor né rapaziada!

Voltando ao foco do episódio, o trio planejou uma emboscada para o Trapaceiro durante um evento beneficente, mas foi tudo bem amador, pois o vilão pegou a joia que Oliver doou para ser leiloado e Felicity foi tirar satisfações. Na minha opinião, ela tem que ser o cérebro dos planos no sentido estrategista. Pois, quando quis bancar a heroína deixou as coisas muito evidentes, colocando-a em apuros, o que revelou o amadorismo por parte deles.

No meio de tantas estratégias, finalmente vieram as cenas de ação para dar um agito. Oliver foi perspicaz e mostrou ser bem mais esperto do que o vilão, aí sim ponto positivo para a nossa nerd predileta, pois sem sua ajuda tecnológica, o herói jamais teria alcançado o Trapaceiro com tanta rapidez. Apesar disso, era esperado um pouco mais de adrenalina e um desfecho mais interessante para o covarde que sofria da síndrome do Robin Hood.

Falando em roubar os ricos, o jovem que assaltou Thea foi pego e prestou depoimento a Quentin. Roy Harper contou história para boi dormir para ser libertado, “comovendo” a adolescente. Ficou claro que aquilo não foi nada convincente, a não ser para Thea, porém foi interessante o encontro entre os dois depois, porque com certeza ela correrá atrás de Harper mais vezes. Já que nos quadrinhos ele acaba sendo um dos aliados do Arqueiro Verde. Então essa foi apenas a primeira de muitas vezes que veremos o rapaz dando as caras na série, e digo mais, eu não duvido nada dele se tornar um personagem regular na próxima temporada. A sua aparição fez várias apologias as HQs, porém ficando em aberto se ele será o Arsenal, o Speedy ou Red Arrow. Façam suas apostas!

No meio de um episódio com seus altos e baixos, o melhor mesmo ficou para o final, caindo perfeitamente como a cereja do bolo. Finalmente Dig Diggle e Oliver tiveram suas respectivas atitudes em relação a suas vidas afetivas, a do nosso arqueiro foi um tanto quanto primordial para um cliffhanger nos próximos episódios. Como eu havia dito já na review de Vertigo, McKenna poderá ser uma grande aliada ou um verdadeiro tormento na vida de Oliver. Agora com ela se aliando a Quentin em capturar o Vigilante, Oliver terá que ser bastante esperto para torná-la mais uma aliada sua, pois a agente com certeza deve saber de uma maneira ou outra que os dois são a mesma pessoa. Com certeza ela vai se aproveitar da situação, e dependendo ele poderá se dar mal perante a Lance.

Vocês devem ter sentido falta de um detalhe evidente no episódio, só que deixei para encerrar com chave de ouro: Moira Queen. A matriarca recorreu a um antigo amigo para sair fora do tal “empreendimento”, que resultou no naufrágio de Robert e o sumiço de Walter. Frank, como não pode influenciá-la na sua saída, juntou os seus pauzinhos para que a nossa mamãe megera recorresse em outros meios para que ela conseguisse o que quer. Aí que somos surpreendidos com encontro dela com ninguém menos que China White, para deletar Malcolm Merlyn. Essa história será um dos grandes destaques da season finale sim ou com certeza? O plano de Moira já será executado no próximo episódio, mas isso com certeza lhe renderá um preço muito alto. E quem pagará por ele? Oliver, sem sombra de dúvidas.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!