Arrow 3×03 — Corto Maltese

A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional”. MERLYN, Malcolm

Essa semana tenho que admitir que Arrow entregou seu melhor episódio até agora na terceira temporada, as cenas de ação estavam lá em boa proporção, a emoção, laços familiares sendo reatados, romance, revelação de mistérios e os flashbacks não foram tão longe, nem eram sobre Oliver, Corto Maltese foi bastante dedicado a Thea Queen, que é um dos personagens que mais cresceu dentro da série, com uma análise superficial claro, se você ver bem todos já meio que tinham seu lugar, mesmo que apagadinho Roy sempre foi destinado a se tornar o sidekick do arqueiro, mas Thea sempre esteve e não esteve lá, na verdade ela nunca nem fez muita diferença, mas a personagem veio ganhando espaço e seu lugar na terceira temporada ainda vem com uma provinha de mistério, estou bem curioso para saber os próximos passos da menina, sempre gostei da atriz, ela teve as melhores aparições em The O.C. e Gossip Girl, mas nunca pareceu conseguir realmente emplacar um papel bacana, agora aparentemente é a hora, vamos aguardar o que o futuro nos reserva.

Porém nem tudo foi sobre Thea nesse episódio, gostei da interação entre família do Diggle, ele sempre foi o cara durão com um lado mais tranquilo da série, aquele tipo soldado bonzinho mesmo, Lyla é convenientemente uma mulher muito dedicada ao seu trabalho e também a sua família, mandou John correndo para ajudar Oliver em sua busca pela irmã, mas é claro que mais convenientemente ainda ela tinha assuntos para tratar no mesmo exato lugar para onde eles estavam indo, é impressionante o quão prático é isso, vá lá ajude seu amigo e de quebra faça esse favorzinho para mim, enfim, de qualquer forma foi legal, vimos Oliver fazer arcos com materiais nada convencionais e usando uma arma de fogo, a piadinha do trailer sobre ele saber usar armas apareceu, mas confesso que ela teria sido melhor se fosse surpresa, de resto a missão paralela de Diggle foi a velha história do espião querendo se aposentar vendendo informações ultra secretas para os inimigos, como todos sabem o cara foi derrotado e fim, não parece que precisaremos nos preocupar com ele mais para frente, ainda sim esse contexto poderia dar pano para manga, uma vez que as informações que ele estava tentando vender eram sobre agentes secretos e suas famílias.

Tudo tranquilo em Starling City então além do arqueiro poder tirar alguns dias com seus amigos em uma ilha paradisíaca da américa do sul Felicity pode ir para seu novo/antigo emprego, mas aparentemente Ray Palmer gosta muito mais dela do que Oliver Queen, ou ao menos dá bem mais valor ao trabalho da super nerd mais sexy da TV (ainda um pouco falha como atriz, mas como não amar Emily Bett Rickards?), agora Felicity tem seu próprio assistente e um escritório maior que o apartamento em que eu moro, vista privilegiada da cidade e um chefe que não exige nada além de sua usual genialidade, o sonho de qualquer nerd, sendo ele ou ela sexy ou não, era até meu sonho, enfim Brandon Routh teve uma participação um pouco maior, mas não mais relevante nesse episódio, a não ser pela parte em que fecham um close nele e a expressão do personagem muda, não lembro que mascarado ele foi contratado para fazer, mas mesmo assim não saberia se ele é vilão ou mocinho. Uma passadinha no google, e redescobri que ele pode ser tanto o Capitão Átomo quanto Eléktron, ainda sim não respondi se ele vai ser do bem ou do mal, mas gosto das surpresas de roteiro, não sou muito ligado no universo das HQ’s.

wp_ss_20141024_0004

A Laurel está por aí querendo bancar a justiceira pegando uns casos no grupo do AA que ela frequenta, ela será a próxima canário negro? Bom, começar a treinar, nós podemos ver que ela vai começar, mas seu mentor não será Oliver, ele deu um passa fora nela, vai ver que nem ele aguenta mais a personagem, mas enfim parece que treinar para ser justiceiro não é problema no universo da série, só ao que tudo indica Laurel vai ficar em um segundo plano por enquanto, talvez o grande ato será de Thea mesmo, no entanto tudo pode acontecer em 22 episódios e quando falamos de Arrow tudo é TUDO mesmo.

Roy parece que conseguiu perder espaço depois de se tornar parceiro de Oliver em suas missões noturnas, concordo quando dizem que o ator tem um desempenho bem fraquinho de interpretação, mas pensei que ao menos ele sabia fazer cenas de ação, bom estava enganado sobre isso, mas ele ainda pode estar em fase de treinamento e todos esperam uma melhora de sua parte no futuro, quem não observou dá uma olhada na diferença dos takes de ação dele e do Oliver. Colton tem cenas mais fechadas que não deixam o telespectador perceber o quão ele é lento e pouco ágil, deixando margem até para utilização de dublê, já as cenas de Stephen Amell são amplas, ele se joga e luta pra caramba, nada precisa ser demasiadamente disfarçado, e se ele usa dublê, informação que eu não tenho, enfim, se ele usa não consigo perceber (para as cenas de luta gente, porque quando ele está surfando sobre motos é bem óbvio que não colocariam o ator lá, mesmo que ele soubesse como fazer).

Por fim, tivemos a volta de Thea para casa, a família de Diggle está a salvo, por enquanto, mas Lyla ainda trabalha para Waller e fica bem entendido que ainda haverá muito conflito por isso quando ela diz no fim do episódio: “O que Amanda Waller pedir eu faço”, algo nesse sentido. E a grande surpresa da noite é quando Nissa aparece apontando uma flecha para Oliver e perguntando onde Sara está? Meu primeiro pensamento foi: “Se você estiver procurando a baby Sara para fazer uma visita e dar um presente terá boas notícias, agora se estiver afim de encontrar sua ex Sara, que te trocou uma temporada inteira pelo arqueiro, melhor voltar por onde veio, porque você não vai gostar do que eu tenho pra dizer”, mas Oliver não responde nada porque o episódio acaba.

De qualquer forma esse foi o melhor episódio até aqui, gostei dos anteriores, não tem muitas coisas erradas com eles, a CW soube encomendar um show de sucesso e por enquanto tem mantido o padrão, que foge um pouco de tudo produzido pela emissora, mesmo que ainda se encaixe em diversos outros aspectos, eu gosto, todos gostam, espero vida longa e próspera para Arrow.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER