As 10 fases de ser um viciado

Não adianta, quando você entra nesse mundo maluco das séries, por mais que você tente, no final acabará se tornando um viciado. Então, o ministério do Box de Séries adverte: o Manual Prático dessa semana poderá causar riscos irreversíveis.

Que tal saber se você é realmente viciado(a) por séries ou não em 10 irreverentes passos?

Seu amigo te implora para assistir a uma série

Você pode estar quieto na sua, mas sempre na roda de amigos tem aquele que é um viciado no assunto. Se não bastasse isso, ele(a) começa a falar de tal produção como se estivesse tentando te empurrar algum produto para comprar.

Se você tem amigos assim e não quer que seu fim seja o mesmo, se prepare para ser bem resistente com eles. O motivo? Eles se tornam marqueteiros de plantão. Por mais que você tente ser relutante, chega um ponto que não aguentará e vai assistir a tal série só para ter paz. É aí que tudo começa…

Você assiste ao primeiro episódio

Independente de como você decidiu assistir a tal série, influência de algum amigo ou a história realmente chamou sua atenção, a primeira chance dada é vendo ao primeiro episódio dela, o tão conhecido piloto. Tudo parece ser as mil maravilhas, o episódio foi muito bom e deixou aquele gosto de quero mais.

A partir desse momento, caso a série já tenha mais episódios exibidos, você começa a correr atrás de baixar os demais para dar uma chance pelo menos ao segundo episódio. Quando se dá conta, já está no terceiro e desejando o quarto. Se a série é estreante, você discretamente começa a procurar mais informações sobre ela e possíveis spoilers.

Quando se dá conta de que passou mais de cinco horas em que começou a assistir a série

Aí é o ponto onde tudo começa a ficar mais complicado. Há aquele sentimento, um carinho e interesse muito grande pela história. Agora você não para de assistir a série, e quando se dá conta, está há mais de cinco horas sem parar.

Nesse caso você tem duas opções: a primeira é decidir dar uma pausa e deixar o restante para o outro dia, ou senão dar continuidade. Afinal de contas quem fica cinco horas seguidas assistindo a uma série pode ficar seis ou sete.

Você começa a se sentir emocionalmente atraído(a) pelo seu personagem favorito

Agora que você já conhece a história, vem a parte em que começa a notar mais detalhadamente nos personagens. Não adianta, sempre vai ter aquele que você vai odiar por uma série de fatores, assim como também amará outro pelo mesmo motivo.

O alvo costuma ser sempre os vilões, bad boys, bad girls, mocinhas independentes e nada sonsas. Quando se tem algum dos perfis citados ou outros mais “interessantes”, já era, você acaba tendo um personagem favorito e sentirá uma grande atração emocional que o fará torcer loucamente ou que venha o próximo episódio o quanto antes só para ver aquele rosto em cena. É batata!

Seu casal favorito finalmente se beija

Após o passo acima, você acaba percebendo que seu personagem favorito tem pontos em comum com algum outro personagem que também chamou sua atenção. Pela lógica das coisas e do roteiro, é de suspeitar de que tal casal vai ficar junto, casar e ter filhos. Só que infelizmente nem sempre as coisas são assim.

Quando menos se espera, os roteiristas fazem o favor de montar um triângulo amoroso colocando sempre um estorvo no meio daquele casal que você tanto preza e daria a vida. Como tudo nessa vida, quando pensa que aquele casal não tem mais nenhuma chance, eles começam a ficar próximos e eis que acontece o primeiro beijo. A sensação é de como se você fosse um dos dois: sua reação é de gritar, chorar, sair pela rua correndo loucamente, entre outras reações inusitadas. Quando percebe, está mais envolvido do que os personagens em questão.

Um novo personagem chega na história e você não vai com a cara

Entra um personagem e sai outro, essa é uma lei natural de grande parte das séries. Às vezes é muito difícil de se dizer o que é pior, quando algum veterano sai da história ou a chegada de um novato. Com certeza a segunda opção, pois quando um personagem sai da série, independente de qual tenha sido as suas circunstâncias, pode ser alguém que você detestava e na sua opinião já estava fazendo hora extra.

Quando entra alguém novo na história, fica aquela dúvida “Qual o propósito dele?”, “Qual impacto sua presença terá na vida dos protagonistas?”, entre outros. E acreditem, meus caros leitores, se você bate o olho no tal novato(a) e não lhe desceu, não há santo na face da Terra que te fará mudar de ideia.

Você começa a arrumar briga na internet

Quem não se lembra da nossa coluna de algumas semanas atrás sobre torcidas organizadas? Você está em um ponto que está tão fanático por tal série, que começa a fazer parte de fóruns, fã-clubes, curte tudo quanto é página nas redes sociais e por aí vai.

Chega a hora de se socializar com aqueles que gostam (ou não) da mesma série. O que era para ser com o intuito de conseguir novos amigos, compartilhar teorias e coisas do tipo, muitas vezes acaba acontecendo ao contrário. Cada pessoa tem um ponto de vista diferente em relação aos personagens e tramas da mesma série, só que ao invés de serem compreensivos, não aceitam ouvir críticas de coisas que gostam profundamente. Qual o resultado disso? BAR-RA-CO.

O que era para ser uma oportunidade de socialização e compartilhamento de ideias, acaba se tornando no programa Casos de Família, faltando apenas chamar a Christina Rocha. O pior é quando isso se estende a outros meios, como sites especializados em séries, quando sai a review da mesma. Salve-se quem puder, e tente ser o máximo ponderado possível.

Seus amigos começam a se preocupar com você

Nessa altura do campeonato já era, pois você já está mais que envolvido com uma série. Só que tem um grande problema: sua vida social. Você não sai mais, o contato com os seus amigos e família é limitado, e quando algum deles tenta te tirar do seu novo mundo, sua reação é igual a de um dependente químico: não quer ajuda e deixa claro que está tudo bem.

Mas para quem você está mentindo? Nada está bem, pois séries são legais e é bom acompanhar, mas é preciso conciliar com a vida social. Lembre-se sempre que seus amigos estão no mundo real e não aqueles personagens que você tanto se identifica. Pense melhor.

Tentativa de socializar

A sua ficha começa a cair, e você percebe que precisa sair e ver pessoas. Por mais que a dor seja inevitável, a tentativa de socialização fala mais alto.

Você até tenta sair do quarto, colocar uma roupa bacana e sair com os amigos e a família. Chega a um ponto que o vício é tanto, que tudo “normal” acaba se tornando algo do outro mundo. É tanto tempo no mundo fictício, já criando até intimidade com os personagens, que o contato com a realidade é como se tivesse que conviver com marcianos.

Você apresenta a série a um amigo

Esse ciclo termina da mesma forma como começou, só que o feitiço acaba virando contra o feiticeiro. Você acaba percebendo que está na hora de voltar a conviver com a civilização, mas de uma forma diferente. A paixão pela série é tanta, que é necessário compartilhar com alguém.

A melhor forma disso acontecer é utilizar da mesma ferramenta para atrair novos seguidores, para poder compartilhar informações e acontecimentos. Essa é a hora em que você se torna um verdadeiro especialista em marketing para tentar convencer o seu amigo de se tornar o próximo viciado da praça.

Imagens: Buzz Feed

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Por essa a Ru Paul não esperava. Analisamos os piores looks da Mamma Ru, como bons guest judges.

Visitamos a Casa Warner com o tema Friends e mostramos tudo nesse vídeo.

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER