Chuck: o nerd que é orgulho pros nerds!

“Agente Guilherme, sua missão da semana é encontrar pontos positivos e negativos em Chuck”. Qualquer semelhança com a General Beckman não é mera coincidência. Nesta semana, a coluna O Melhor e o Pior de… fala da série que mistura ação, comédia e muita nerdice desde 2007 na NBC.

Criada por Josh Schwartz (The OC), Chuck conta a história de Chuck (sério?) Bartowski, nerd que trabalha na Nerd Herd (Galera Nerd) da fictícia loja Buy More, de Burbank, Califórnia. Uma clara paródia ao Geek Squad da loja Best Buy. Após receber como que por download informações ultrassecretas do governo dos EUA, Chuck se vê envolvido nas mais mirabolantes missões, acompanhado de Sarah Walker e John Casey, agentes secretos designados para protegê-lo. Aí é claro que temos a tensão Chuck/Sarah (amor ou trabalho?) e o fato de Chuck agora ser um agente secreto tendo de lidar com sua (complicada) vida pessoal.

Nem ação, nem comédia, mas os dois juntos!

É o “clima” perfeito pra Chuck se desenvolver. Você convive com as tensões diárias de Chuck por esconder o fato de ser um agente secreto da família e dos amigos e, nesse meio tempo, cai na risada com o pessoal da Buy More. Porque Chuck sempre foi assim, uma série leve, sobre um loser que, de uma hora pra outra, se vê enfrentando terroristas internacionais e salvando o mundo ao fim do dia. É claro que, às vezes, você se questiona como tudo dá certo demais, mas isso não prejudica a série de forma alguma.

Campanha Save Chuck

Ok, não é bem um fator da série em si, mas como fã que sou, não poderia deixar de citar a enorme fidelidade dos fãs de Chuck. Ao fim da segunda temporada, a série tinha altas chances de ser cancelada, então num esforço tocante, os fãs iniciaram a campanha Save Chuck em redes sociais como Twitter e Facebook. Conseguiram o apoio de críticos de TV e passaram a bombardear a NBC com cartas e e-mails pedindo pela renovação da série. Na época (maio de 2009), a blogosfera explodia com notícias de Chuck a todo momento, até que a franquia de sanduíches Subway (sim, o Subway) fechou um acordo de patrocínio com a NBC para a produção da 3ª temporada da série.

Linda Hamilton e Timothy Dalton

Grande sacada dos produtores trazerem atores que tinham tudo a ver com a premissa da série. Para os nerds de plantão, Linda Hamilton é a eterna Sarah Connor dos dois primeiros filmes da franquia O Exterminador do Futuro e, em Chuck, ela é Mary Elizabeth Bartowski, a mãe do nosso querido agente secreto nerd, que retorna para a vida do filho na 4° temporada. Já Timothy Dalton, que interpretou ninguém menos que o agente secreto mais famoso do mundo (James Bond, calma Chuck), chega botando pra quebrar como o grande vilão da temporada, Alexei Volkoff. Como eu disse, não são somente ótimos atores, mas atores que fazem parte do imaginário dos nerds e fãs de espionagem e que, portanto, se sentem em casa atuando na série.

Vilões previsíveis

Nas duas primeiras temporadas, um grande problema a meu ver eram os vilões previsíveis de toda semana. Não é querer dar uma de politizado e exigir de uma série americana que seja antiamericana, mas não precisa colocar sempre as mesmas “figuras”, né! É o árabe, o indiano, o russo, o sérvio, o colombiano… E não só no quesito nacionalidade, mas na abordagem desses vilões. A grande maioria era caricata. Na terceira e quarta temporadas, felizmente, os produtores preferiram estabelecer um grande vilão para a temporada e ir trabalhando em cima dele. Apesar do arco do próprio Volkoff ter sido “esquecido” por um tempo que não deveria nessa 4ª temporada…

E o Casey?!

Nesta 4ª temporada, com Chuck e Sarah juntos, parece que não havia mais lugar para Casey. Assim, os produtores abordaram um dos melhores personagens da série de forma meio largada. E mesmo quando as coisas entre o casal de espiões (que eu adoro, fique bem claro) não iam tão bem, os dramas de seu relacionamento acabavam por tomar muito espaço dos episódios. Mais uma vez, Schwartz e companhia parecem ter notado isso, já que nos últimos episódios personagens como Casey e Volkoff voltaram a ter o espaço merecido.

Fantasma do cancelamento

Outro ponto que não diz respeito exatamente à qualidade da série, mas que torna a “experiência” de curtir Chuck uma droga. Toda reta final de temporada aquele nervosismo toma conta da gente… Vai ser cancelada ou não? Muitas unhas depois (ou até campanha, como a citada ali em cima), vinha aquela resposta positiva, mas que não chegava a durar muito, pois o fantasma da audiência “no laço” se mantinha…

Pra esta temporada, eu aposto na renovação da série, mas provavelmente para uma última temporada. A audiência caiu (e ela já não era alta) mas, verdade seja dita, ainda é relativamente estável e maior que a dos dramas de segunda-feira que a NBC estreou nesta temporada: The Event e The Cape (essa, inclusive, já foi cancelada).

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

VIDEOCAST

Drag Race! Confira a ordem de eliminação das queens da décima temporada.

O Mecanismo: Listamos que personagem representa uma personalidade na vida real na operação Lava Jato.

Precisamos falar sobre Credence, um dos personagens mais profundos que já foram criados por JK Rowling.