Cinco motivos que nos fizeram amar Once Upon a Time antes de odiá-la

Once Upon a Time estreou em 2011 prometendo contar, de maneira reinventada, os contos de fadas que já conhecíamos.

Com a Branca de Neve, seu Príncipe e a filha como protagonistas, a Once Upon a Time já passou pelas histórias mais variadas, indo da Terra do Nunca ao País das Maravilhas — inclusive gerando um spin-off nesse mundo. Naquele tempo, a proposta inovadora da série fisgou milhões de telespectadores fazendo o drama da ABC um dos mais assistidos do canal. No entanto, de lá para cá, a série foi se perdendo e os motivos que nos fizeram amá-la foram acabando ou nos dando nos nervos. Por isso, a coluna Top 5 dessa semana reunirá os cincos motivos que nos fizeram adorar essa série — e que nos dão forças para quem continua assistindo (eu, inclusive, continuo) — nesses tempos sombrios. Pegue seu feijão mágico e bora lá!

5 — Os (def)efeitos especiais

É bater na mesma tecla se disser que os efeitos são bem ruins? Antes ninguém se importava muito porque a série entregava uma história tão legal que disfarçava o baixo orçamento dos efeitos, mas hoje em dia é algo que não dá pra desviar o olhar — ou dá, mas de vergonha alheia mesmo.

4 — Henry

once upon a time heny

Tudo era lindo e fofo, principalmente o pequeno Henry. A criança esperta e de bochechas rosadas logo ganhou nossos corações. Ninguém imaginava que, o até então garotinho Jared S. Gilmore, cresceria tão rápido e perceberíamos que ele não sabe atuar e que seu carisma foi embora…

3 — A coadjuvantização de Regina Mills

A Evil Queen mais maravilhosa era uma das coisas mais legais da série. Então logo depois do final da primeira, a personagem teve uma rendição e ficou boa e foi evoluindo. Até então a construção da história estava ótima, com ela buscando seu final feliz, mesmo sendo uma vilã. No entanto, na última temporada, principalmente, ela tem sido cada vez mais deixada de lado, usada como um personagem secundário, apenas com algumas tiradas ácidas aqui e ali… Saudades old Regina.

2 — As ligações entre as histórias

No início, tudo era interessante e lindo. Saber que Rumpelstiltskin era também a Fera de A Bela e A Fera foi interessantíssimo, assim como saber que ele foi quem concedeu o vestido e carruagem para Cinderela. O problema é que depois de tanto tempo essas ligações ficaram tão confusas que para não dar um nó na cabeça é melhor evitar pensar nelas. Nem os roteiristas devem entender mais. E quando as ligações são por parentesco? Tipo o próximo motivo:

1 — Todo mundo é parente do Henry

Na série, todo personagem parece ter algum tipo de ligação de parentesco com esse menino. Começou sendo apenas a família Snow White, depois logo veio o Rumple, Peter Pan… Se pelo menos fossem parentes de um personagem mais interessante e que atuasse melhor ou se não forçassem tanto esse tanto de parente…

E aí? Gostaram da coluna dessa semana? Responde nos comentários e diga se mais alguma coisa incomoda em Once Upon a Time!

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER