Demolidor da Marvel 2×10 — The Man In The Box

The Man In The Box parece querer mostrar que as reviravoltas bizarras da série estão só começando, mesmo que a reta final esteja próxima.

Você pode pensar que é um navio perdido no mar, e se você continuar isolando todo mundo dessa forma você realmente vai ser. Você está cortando sua própria âncora […] E cada minuto que você passa se escondendo nessa armadura, mais separado você fica das coisas que deseja proteger. Seu amigo está em uma cama de hospital no andar de baixo, pare de brincar de soldado solitário e desça, seja um ser humano.” TEMPLE, Claire

O resgate às vítimas de Nobu, trouxe mais uma oportunidade de Claire aparecer na série para roubar a cena. Uma pena que a situação entre ela e Matt fica cada vez pior a cada encontro. Ao que tudo indica Claire será uma personagem mais presente em Luke Cage, então parece natural que haja um afastamento entre ela e o Demolidor.

Com a fuga de Frank Castle uma nova onda de ataques começa, mas de cara dá para perceber que o Justiceiro não é o responsável, ele nunca atacaria Karen. E a moça foi bem esperta ao perceber que os ataques só poderiam vir de outra pessoa, apesar dela ter se negado a aceitar o fato. “Um tiro, uma morte”. Frank jamais faria a bagunça que o atirador fez no escritório da promotora de justiça e só acertaria Reyes.

Por enquanto a relação entre Matt e Karen parece ir de mal a pior. O velho caso do vigilante que não consegue se manter em um relacionamento saudável.

Quando eles entram para encontrar Reyes, Karen não oferece o braço para Matt entrar na sala, um indicativo de que mesmo que ela ainda esteja muito apaixonada por ele, vai ser difícil superar a mágoa.

Entre todas as respostas esperadas, antes de sua morte, Reyes explica o que aconteceu no carrossel onde a família de Frank foi massacrada. Mais uma vez tudo aponta para Blacksmith, o grande adversário do Justiceiro enquanto sua trama segue para conclusão.

O inesperado encontro entre Matt e Fisk acaba esquentando, mais uma vez vemos o vilão que apesar de ser muito diferente de Frank, tem o mesmo tipo de aura imponente e ameaçadora. A arrogância de Matt acaba fazendo ele levar a pior. Nessa temporada o nosso herói parece muito mais confiante, o que até agora só o tem colocado nas piores situações, quanto mais confiança em si mais riscos ele assume. Citar Vanessa não foi uma jogada muito sábia e ter ultrapassado essa linha levantou suspeitas indesejáveis no Rei do Crime.

Ainda não tivemos um momento em que ele é cortado em pedaços como na luta com Nobu na temporada passada, mas parece improvável ou incoerente isso não se repetir se ele continuar nesse rumo.

Fisk pode até ser uma figura imponente, mas sinceramente o perfil do personagem é um tanto enjoativo. Uma criança birrenta que não se contenta com o fato que o mundo não gira ao seu redor, e não mede esforços para mudar isso, por mais que saiba o quão impossível isso seja e muito provavelmente já saiba que nunca alcançará seu objetivo.

Ellison acaba sendo o único amigo restante para Karen. Até mesmo Foggy dispensou a moça, o que aparentemente a colocou em rota direta ao encontro de Frank. Mais uma vez na cena do crime que matou o legista é bem óbvio que não se trata de um ataque do Justiceiro, ainda sim a confirmação só vem quando eles realmente se encontram.

Em mais uma reviravolta estranha, Stick manda um de seus discípulos para matar Elektra. Isso soou estranho porque ele provavelmente sabia que um assassino jamais conseguiria matar a ninja assassina. Bom, se ele tivesse enviado uma gangue de ninjas ainda seria improvável, mas pelo menos faria mais sentido. Ao menos a cena rende nosso primeiro vislumbre das adagas sai de Elektra, originalmente elas não pertencem a personagem, diferente de todas as suas histórias nas HQ’s.

A jornada de Matt rumo ao isolamento total segue inabalável, mesmo com os conselhos de Claire ele não parece muito disposto a mudar sua atitude, por mais que evidentemente isso o guie apenas para o sofrimento.

The Man In The Box acaba com dois clifhangers de dar nos nervos. Primeiro Karen é novamente atacada pelo imitador tentando se passar por Frank. Que está frente a frente com a moça apontando uma arma para ele. Quando a chuva de balas começa ele a salva e os dois partem para sua jornada em direção a Blacksmith.

Por último aquela enervante cena dos ninjas escalando as paredes do hospital. Todos que estavam assistindo esse episódio no meio da madrugada e pretendiam dormir tiveram que desistir depois de um final assim e dificilmente esperaram os quinze segundos propostos pela Netflix para desistir.

Bom, não se esqueçam de deixar seu comentário sobre os acontecimentos de The Man In The Box e dar uma nota para esse episódio em nosso placar. Até o próximo episódio.

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER