Dexter 8×08 — Are We There Yet?

Eu gostaria de voltar a não sentir nada” — Dexter

É sempre dito que pessoas que são psicopatas não têm a capacidade de ter empatia, que é o estado psicológico que nós, pobres mortais, possuímos e desta forma podemos nos colocar no lugar do outro quando agimos. Se os psicopatas não possuem essa start comportamental, porque nosso herói se preocupa tanto com Hannah, Debbie ou mesmo com Zach?

Isso é o que fascina Dr.a Vogel, Dexter é provavelmente uma grande exceção à regra da academia de Psicologia no que diz respeito à classificação comportamental humana. Em Are We There Yet? nós fomos brindados com mais nuances destas peculiaridades de Dexter: a capacidade de formar uma família, a necessidade de matar, mas ao mesmo tempo o cuidado com o próximo, e o desejo de amar. Para os psicopatas, a capacidade de amar pode aparecer, mas não amam da mesma forma que as outras pessoas; na realidade, o que predomina é um grande sentimento de posse — este frequentemente exibido.

Dexter é assim? Quando ele escolhe que pode passar o Código adiante ele nos mostra sentimentos puramente burgueses: família, continuidade, hereditariedade, legado. Em se tratando da última temporada da série, deixar um legado também seria importante do ponto vista do canal e dos produtores. E talvez esse legado seja a capacidade que temos de amar Dexter tanto quanto ele pode amar Hannah ou Zach.

Dexter 8x09

A clássica pergunta do burro falante em Shrek “Já chegamos?” quando eles vão ao reino de Tão Tão Distante atrás da Fiona é, de forma lúdica, uma forma de mostrar que aquele ogro e aquele burro agora formam uma família. Afinal de contas, quem nunca pentelhou o pai no banco traseiro do carro perguntando se falta muito para a viagem de carro acabar logo? Essa é a tônica deste episódio: como se formar uma família de assassinos psicopatas, e quem controlaria os ímpetos desta família?

Surge então a figura da matriarca, aquela que reúne todos ao redor de mesa para comer. Aquela que decide os rumos da família e aquela que agrega o melhor de cada um de forma mágica. A matriarca desse clã Morgan de psicopatas e assassinos é Dra. Vogel, como Dexter bem disse: Ela me criou. Se ela criou um, e esteve a vida toda interessada em entender como os outros pensavam, se comportavam, nada mais justo que seja o centro das atenções dessa família.

Bom, [SPOILER ALERT] com a morte de Zach e volta do Neurocirurgião à cena dos assassinatos, não seria de se espantar que este fosse alguém bem próximo de Dexter ou de Dra. Vogel. Alguém, que de tão próximo, seria considerado família também. Esse assassino tem a função de deixar Dexter na história das séries dramáticas, então é claro que eu espero algo chocante. Ainda aposto em Dra. Vogel para assassina.

O que me fascina em Hannah é a capacidade que ela tem de enfeitiçar Dexter. Ele vê na loira um espelho, um mundo inteiro de liberdades e a não repressão de seus instintos ou mesmo de sua realidade, e é exatamente o oposto que Debbie representa. A irmã representa para Dexter um porto seguro, o contato entre ele e o mundo real, e Hannah vem com a possibilidade de ele viver o mundo que ele guarda dentro de si em plenitude.

Assim, ainda não sabemos se Hannah vai embarcar naquele avião rumo às paradisíacas ilhas do Caribe ou se vai viver intensamente o seu amor latino em Miami. Eu torço para que eles fiquem juntos, e formem uma linda família de psicopatas, até que um mate o outro, levando ao pé da letra o “Até que a morte os separe”. Aqui, a morte os une.

O verdadeiro assassino desta temporada ainda está a solta e conhece bem os nossos peões principais. Planejou incriminar Zach e está perseguindo dra. Vogel com requintes de crueldade. Ele joga com a inteligência de campeão mundial de xadrez e a maldade de um assassino. Com este episódio eu fiquei com vontade de ver mais da série, acredito aqui assim estamos voltando aos eixos na reta final da temporada.

Essa semana eu substituí o Pierre na review, mas na próxima ele volta para contar para vocês as impressões sobre o eterno Bay Harbor Butcher. Fiquem com o promo da próxima semana!

P.S: Dica Dexter: tira a meia na hora de fazer amor, viu?

P.S.1: Dexter e Hannah dariam excelentes professores na escola de assassinos de Buenos Aires,vocês não acham?

P.S.2: Debbie voltar para a polícia já era algo que esperava desde o início desta temporada, agora resta saber se o intuito é correr atrás de Hannah…

P.S.3: Foi lindo ver eles voltando a um dos melhores episódios da série, 7×08 — Argentina.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER