Dexter: matando a concorrência

Quem não gosta de um belo suspense com ritmo corrido, daqueles que tiram seu fôlego e te deixam ansioso até pelas ‘cenas do próximo capítulo’? Bem, Dexter já foi assim… Mas este clássico da Showtime tem seu mérito e muita coisa boa que o qualifica para ser um épico da TV. Assim como algumas coisas ruins, que apontam que a série pode melhorar e agradar ainda mais seus fãs.

Agora, vamos partir a série ao meio, seja com serra elétrica, facão ou qualquer objeto cortante! É O Melhor e Pior de… Dexter!

Michael C Hall

Um dos melhores atores da atualidade, inegavelmente. Michael C Hall ganhou destaque na TV com sua performance no clássico da HBO, Six Feet Under, uma série mórbida que falava sobre uma família dona de uma funerária. Meses depois do término da série, ele consegue a proeza de voltar a TV com um personagem ainda mais mórbido: Dexter Morgan, um serial killer boa pinta, que bem poderia ser sócio dos Fisher, como fornecedor de matéria-prima.

O papel já rendeu indicações a vários prêmios, como o Emmy, porém o único levado para casa foi o Globo de Ouro. Ainda é pouco, considerando a versatlidade do ator e a qualidade do trabalho feito.

Quando o Assassino vira Protagonista

É admirável quando uma história consegue ter em seu centro, e com muito carisma, um personagem com perfil controverso. Óbvio que há um distanciamento entre a vida real e o que se vê em Dexter. O perfil de um serial investigado por psicólogos mostra falta de interação social, alguns recalques e características mais perturbadoras. Claramente Dexter não é assim, mas numa série de TV, isso é necessário.

O assassino bom moço, que só mata pessoas “do mal”, consegue envolver seu telespectador e, mesmo tomando atitudes erradas (deixe a justiça para a justiça), tem uma legião de fãs e seguidores que prontamente o defenderiam, caso ele fosse capturado e julgado. Dexter tem advogados espalhados pelo mundo todo. Hehe

Fuga o Tempo Todo

Poucas séries de TV conseguem trazer um bom ritmo a uma história sobre fuga. Lembro de Weeds, que sempre mostra sua protagonista fugindo de situações aparentemente sem saída. Em Dexter, o esquema funciona, apesar de alguns episódios que quebram o ritmo. Mesmo assim, chacoalhões permeiam seus episódios com reviravoltas que nos tiram um WTF em alto e bom som!

Dexter nasceu com a bunda virada para a lua e, para nossa sorte, consegue escapar das situações mais adversas! Admito que as vezes isso é um pouco irritante.

Laguerta e Angel

#ETA casal chato! Sério, na boa, você faz questão de ver os dois? Ainda não entendi como eles podem render para o seriado. Se fosse uma novela, entenderia a forçação de barra com essa dupla, que nada acrescenta à trama principal do programa. Posso estar enganado, quem sabe os produtores estão preparando uma reviravolta envolvendo o casal?

No geral, as histórias menores dos dois não cruzam com a principal e, quando cruzam, acabam sendo em pequenos e dispensáveis detalhes. Falando em dispensáveis, será que rola do Trinity voltar e deixar mais dois personagens numa banheira de sangue?

Oscilação de Temporadas

É impressionante como os roteirista conseguem surpreender o público. Quando você espera que venha m*rda pela frente, os caras te entregam uma ótima temporada. Quando você tem certeza de que a coisa vai ser excelente, eles não cumprem como nossas expectativas. Quando anunciaram que no terceiro ano de Dexter, o nosso assassino teria um amiguinho, fiquei entusiasmado.

A temporada foi realmente enfadonha. Quando disseram que Dexter ia ser papai, pensei que a essência do personagem iria ralo abaixo, porém esse mesmo enredo da paternidade o colocou lado a lado com um dos grandes personagens da saga, o assassino Trinity. Quando mataram Rita e nos deram aquele finale surpreendente e inesperado, todos pensamos que a próxima temporada seria a mais f*dona de todas… E não foi tudo isso.

Se há uma regra quanto à qualidade das temporadas desta série, é a de que você precisa inverter suas expectativas em relação ao quanto um enredo parece fantástico a primeira vista. E mantenha a perseverânça pois ainda que numa maré ruim, a série vale muito a pena.

Tudo o que você não esperava

Dexter vai a Paris fazer um assassinato e já volta… Dexter é papai… Dexter vira instrutor de serial killer… Como disse no começo do texto, Dexter não tem o perfil que um serial killer da vida real carrega. Ok, ele é personagem de uma série de TV e não há drama quando um personagem não se envolve com outros. Isso é básico de enredo.

Mas vou te falar, tem horas que a equipe de roteiro cagua no maiô, hein? A gente só aceita pois é Dexter. E a gente ama muito!!!

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

VIDEOCAST

Drag Race! Confira a ordem de eliminação das queens da décima temporada.

O Mecanismo: Listamos que personagem representa uma personalidade na vida real na operação Lava Jato.

Precisamos falar sobre Credence, um dos personagens mais profundos que já foram criados por JK Rowling.