Emmy Awards perde o medo de inovar e celebra a nova natureza da TV

Sem Game of Thrones na disputa, Academia de Televisão renova quase todas as suas favoritas, e deixa a disputa pelo prêmio imprevisível.

Nos últimos anos, a Academia de Televisão Americana vinha sendo acusada de repetir a fórmula, reconhecendo apenas as mesmas produções, mas este anos tivemos boas surpresas na sua lista de indicados.

Visões sobre o futuro, discussões políticas e a vida familiar foram suficientes para destronar grandes nomes, que já vinham se desgastando quando o assunto era premiações. Uma resposta são Westworld e Saturday Night Live, que acolhem dois espectros diferentes da TV e ocupam os primeiros lugares na lista geral de indicados — cada uma com 22.

Quem diria, não é mesmo?

Não adianta mais entreter e nos distrair da realidade, o público quer interagir, responder aos enredos desenvolvidos na tela, participar da discussão. Westworld — assim como Game of Thrones — criou redes de teorias e fez o espectador entrar nos mistérios que apresentava. Da mesma maneira, SNL soube entrar na realidade com parcimônia, torná-la palatável, e estender a discussão política para outros níveis.

Sinal de que a audiência, dessa vez, foi ouvida são as indicações de Stranger Things e The Handmaid’s Tale, que mesmo com elementos conhecidos da TV, moldaram sua própria marca e foram acolhidas também por Hollywood.

Winona Ryder já deve estar preparando as reações ❤

Entre os atores, o lado feminino como sempre é um misto de interpretações e, mesmo com Viola Davis na disputa, o prêmio este ano deve ficar entre Evan Rachel Wood e Elisabeth Moss por conta da capacidade de se reconstruírem diversas vezes durante a trama. Correndo por fora, Claire Foy traz para a categoria o famoso charme britânico, que garantiu prêmios em anos anteriores para Donwton Abbey e Maggie Smith.

Esquecidos: Orange is the New Black, The Good Fight, Christine Baranski (The Good Fight), Freddie Highmore e Vera Farmiga (Bates Motel), The American, The Leftovers, Justin Theroux (The Leftovers) e Michael McKean (Better Call Saul).

Mais do mesmo

Enquanto no drama vemos mudanças significativas, entre as comédias a palavra de ordem foi segurança. A academia não está pronta para apostar em narrativas eloquentes, desafiadoras e representativas, como Better Things, Girls e Insecure. Prova disso foi a ausência de Transparent em detrimento de Modern Family, que já percorreu todas narrativas possíveis e vem se esgotando com o passar do tempo.

Por quê? Me diz?!

Assim, a categoria de atrizes corrigiu erros antigos, como a indicação de Jane Fonda junto a Lily Tomlin por Grace and Frankie, Allison Janney por Mom na principal e Pamela Adlon, que por muito tempo foi cotada por Louie, mas só veio seu reconhecimento agora com sua série Better Things. No final das contas, caso vá apostar, Julia Louis-Dreyfus leva o prêmio desde 2012.

Atlanta e Donald Glover, porém, são os destaques deste ano e não seria surpresa se forem os vencedores. Mesmo com Aziz Ansari, Anthony Anderson, William H. Macy e Jeffrey Tambor na disputa, a versatilidade de Glover — que estrela, dirige e roteiriza a série — com certeza captará a atenção dos votantes deste ano.

Esquecidos: Insecure, Girls, Transparent, Lena Dunham e Andrew Rannells(Girls), Rita Moreno (One Day at a Time) e Issa Rae (Insecure).

A grande disputa do ano

O grande destaque deste ano, porém, são as categorias de minissérie, principalmente melhor atriz. Não é para menos: quatro vencedoras do Oscar disputam a categoria com narrativas fortes e profundas. Quase impossível de prever, Carrie Coon e Felicity Huffman são as únicas neste meio que irão apenas para assistir.

A disputa entre os atores, embora mais morna, ainda assim tem grandes nomes como John Turturro, Ewan McGregor e Robert De Niro, e tem o favoritismo voltado para o último, enquanto lida com o charme de Benedict Cumberbatch para as premiações.

Esquecidos: Gilmore Girls: A Year in the Life, Lauren Graham, Jude Law (The Young Pope) e Oprah Winfrey (The Immortal Life of Henrietta Lacks).

Por último, mas não menos importante…

Outra grande aposta do ano, na categoria Reality Show, é RuPaul’s Drag Race, que recebe sua primeira indicação. Quebra a corrente que se seguia por oito anos — e consecutivas vitórias do musical The Voice — e atrai olhares para o programa que não é novato na televisão. RPDR é um programa desafiador à medida que não é apenas sobre as tarefas semanais em si, mas toda uma cultura e background dos participantes, que dizem muito tanto para quem está na tela, quanto para quem assiste.

RuPaul já tem o discurso pronto para os adversários

A disputa de 2017 está equilibrada, e tudo indica que os vencedores refletirão a voz do público, mas ainda assim podemos aguardar surpresas na cerimônia, no dia 17 de setembro. Ou aguardemos por Game of Thrones no ano que vem.

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

comentário

clique para comentar

  • O retorno de Modern Family será fantástico. Adoro as séries por que podemos encontrar de diferentes gêneros. O papel de Sofía Vergara é meu favorito. Ela é muito talentosa, contagia profundamente a todos com as suas emoções. Adoro porque sua atuação não é forçada em absoluto. Lembro dos seus papeis iniciais e vejo muita evolução, mostra personagens com maior seguridade e que enchem de emoções ao expectador. Recém a vi em Emoji o Filme e é maravilhosa. O filme é encantador desde o inicio, a historia e sobre todos os personagens são adoráveis. É um dos melhores filmes de animação. Aqui: https://br.hbomax.tv/movie/TTL608757/Emoji–O-Filme compartilho os horários de transmissão, pois é uma opção para ver com toda a família. Gostei muito como se desenvolve a história, o roteiro é muito divertido para pequenos e grandes, em todo momento nos fazem rir, não duvidei desde que vi o trailer em que seria um excelente filme.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

The Handmaid's Tale voltou!!! O que rola de novo nesta temporada? Descubra mas SEM SPOILER!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!