Entenda os índices de audiência da TV americana

Alô amigos!

Como foram de festas de ano novo? 2014 começa e, antes que vocês continuem a ficar perdidos na coluna de audiência do Box, nós preparamos um especial para vocês com as definições que os leitores mais pediram durante o ano. Vamos saber então sobre o que este autor aqui está falando? É grego? Advoguês? Não, são os termos mais usados em se tratando da audiência das nossas séries mais amadas na terra mãe, os EUA.

A audiência nos EUA é composta basicamente de três elementos: público bruto, público-alvo e percentual de público total. E nós do Box também divulgamos uma nova forma de se ver a audiência da TV: o buzz.

Vamos lá?

NÚMERO DE ESPECTADORES

O número de espectadores é mesmo a quantidade de espectadores que estavam assistido a determinado programa naquela hora. A Nielsen, empresa nos EUA que mensura a audiência, divulga este número bruto de cada programa separadamente por horário de exibição. Este índice é importante para os programas de TV a cabo, já que os canais possuem definidos o número de assinantes e agrega ao canal em audiência e publicidade.

RATING ou DEMO

O Rating é um percentual do público bruto que representa uma faixa específica da audiência. Geralmente, o público-alvo aqui são homens e mulheres com idade entre 18–49 anos, onde está a massa de consumidores nos EUA. Este índice molda o mercado publicitário e garante vendas de espaço destinado a um público específico. Por exemplo, Pretty Little Liars é uma série que destina-se ao público feminino entre 18–30 anos. Assim, se o rating de espectadores nesta idade for alto, a série sai ganhando em publicidade, pois atinge proporcionalmente em cheio este público (a série já chegou a ter 9 pontos de rating nesta faixa etária). Assim, o rating é mensurado faixa a faixa, mas divulgado no público que mais interessa: o público que está no mercado de trabalho e consome os produtos anunciados na série ou mesmo nos intervalos comerciais.

SHARE

O share representa o percentual de público, entre o público-alvo, que está assistindo à série naquele horário. Por exemplo, se 2 milhões de espectadores, que têm idade entre 18–49 anos, estão assistindo Grey’s Anatomy, o que representa esses dois milhões dentre todos os espectadores que tem entre 18–49 anos? 10%? Se sim, seriam 20 milhões de espectadores entre 18–49 no total desta faixa etária assistindo TV naquele horário.

SYNDICATION

Uma outra nomenclatura que aparece sempre quando falamos de audiência é o Syndication. Este termo refere-se à vendas de séries para outros canais, para reprises. Nos EUA é possível que uma série seja vendida para outro canal a cabo e continuar passando, mas para tanto é necessário que a série tenha mais de 100 episódios em exibição. Por exemplo, Friends foi uma série de grande sucesso da NBC e teve 236 episódios exibidos. Assim, ganhou o direito de ser vendido para outros canais a cabo para continuar a ser exibido. A série foi vendida para o TBS, que pagou (pasmem!) 4 milhões de dólares por episódio da série, num total de 944 milhões de dólares. Vale a pena esticar a série até os 100? Acho que sim! Foi o que aconteceu à Fringe, que teve exatos 100 episódios e foi vendido ao Science, canal que leva a marca Discovery.

BUZZ DA SOCIAL TV

É inegável a influência da internet e das redes sociais na audiência da TV. Os fãs comentam de tudo no território livre da internet: Spoilers, o que gostaram, suas indignações com as séries e personagens. Os canais, atentos à nova forma de se assistir TV em duas telas, incentiva, cria ações de mídia, perfis de personagens, produtores, incentiva o uso de hasgtags (ou o # que colocamos nos assuntos mais bafônicos) e agora mensura em números essa movimentação na internet. É o chamado Buzz, ou a audiência das redes sociais. Inicialmente as ferramentas de mensuração são direcionadas ao Twitter, rede social que primeiro permitiu as hasgtags, mas que agora se expandiu para várias plataformas de mídia social. Então, o número total de citações no Twitter sobre determinada série (com tags de busca sendo o nome da série, personagens, passagens específicas, @ de personagens da ficção, de showrunners e produtores — são mensurados para compor o Buzz).

Dito tudo isso, ressalto que a coluna é feita por comparação, se a audiência de uma série está crescendo, decrescendo ou mesmo estagnada, são estas informações que compõem a coluna, e que nos levam a concluir (ou especular) sobre as possibilidades de renovação ou cancelamento das séries.

Prontos para começar 2014 sabendo T U D O sobre audiência? Espero que tenham gostado, e na próxima semana voltamos com a audiência da volta de Revenge, Pretty Little Liars, Banshee, The Good Wife e muito mais! Até lá!

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER