Especial do Mês — 30 Rock

Por Aline Diniz

Quando o papo é 30 Rock, é comigo mesmo que você tem que falar. Tina Fey é meu animal espiritual e eu digo que faria absolutamente qualquer coisa pra ter o prazer de um dia poder encontrar com ela. Mas isso não vem ao caso. O que vem ao caso hoje é 30 Rock. Afinal, essa é a nossa série do mês! E existe série melhor pra estrear esse novo quadro aqui no Box de Séries do que o maior sucesso da NBC desde Friends? Acho que não!

(Esse texto é extremamente opinativo e a favor de 30 Rock. Fique a vontade para deixar sua opinião sobre a minha opinião e sobre a série em si. Além disso, vale lembrar que há spoilers.

30 Rock é praticamente Saturday Night Live ao contrário. Todos pensavam (principalmente o elenco) que 30 Rock não iria muito longe. Agora, na sua quinta temporada, a série já tem um público fiel e que, ouso dizer, ajoelharia se topasse com a diva Tina Fey. Fazendo praticamente o trabalho todo por trás da série, Tina e seu elenco já levaram pra casa 43 prêmios no total, entre Emmys, Globos de Ouro e outros. Quarenta e três prêmios.

A mente por trás do show

Bem, pra falar de 30 Rock, a gente tem que falar um pouco sobre a mulher que está por trás de tudo isso. Pra quem não sabe, Liz Lemon é o alter ego de Tina Fey. Outra informação que muito pouca gente sabe é que o nome de Tina é na verdade Elizabeth. Tina vem no segundo nome, Stamatina. Agora ficou um pouco mais fácil de entender, né? Assim como Liz é escritora chefe do TGS, Tina foi a primeira escritora chefe mulher de SNL. Enquanto Liz luta pra conseguir uma relação estável com alguém que a entenda, Tina já tem uma filhinha linda e é casada desde 2001. Ambas moram em Nova Iorque e trabalham na NBC. E não para por aí, eu poderia escrever algumas páginas sobre as semelhanças e diferenas entre as duas. Mas não é pra isso que estou aqui. [Se quiser saber mais sobre Tina Fey, clique aqui]

Minhas impressões

A minha paixão com 30 Rock começou no finalzinho de 2008, bem quando a série estava ganhando prêmios a torto e a direito. Pra quem nunca viu e já está ficando curioso, não se deixe levar pelo piloto. Ele é basicamente um introdutório, nos mostrando as personagens e como elas se comportarão durante a série. É lógico, todo seriado sofre mudanças durante seu curso, mas na primeira temporada é seguro dizer que 30 Rock muda completamente de identidade. Mas isso acontece só uma vez, deixando que a série siga seu rumo sempre com a mesma cara e mesmo estilo durante as próximas temporadas.

Tão brilhante quanto as estrelas

Pode-se dizer que Tina é a mulher dos contatos. A quantidade de participações especiais que já apareceram em 30 Rock daria um filme especial de Natal/Dia dos Namorados com um baita elenco. Desde Isabella Rossellini até Oprah, Tina consegue quem ela quiser. E as pessoas também vem até ela. Reza a lenda que Matt Damon chegou na moça durante o Oscar e comentou que queria estar no seriado. Logo, lá estava ele. Resumindo, pra essa mulher, o impossível não existe.

O elenco duas faces

Enquanto estamos no assunto elenco, 99,9% das pessoas que já passaram por 30 Rock, também já tiveram alguma experiência em SNL. Tá bom, vai, não é tudo isso, mas existem muitos deles. Tracy Morgan e Chris Parnell foram fixos de SNL por 10 anos. Alec Baldwin já foi host 15 vezes. John Lutz foi escritor de por seis anos. Rachel Dratch, que já interpretou várias personagens diferentes e foi a primeira opção para Jenna, também foi fixa de SNL por 11 anos. E por aí vai.

O teste dos testes

A última invenção de Tina foi a tentativa de um episódio ao vivo. Agora, me diz: com tudo isso que eu já falei aí em cima, qual você acha que foi o resultado final? Sucesso absoluto, óbvio! Com algumas cartas na manga, a minha maior diva utilizou seus poderes e lá, no estúdio 8H do prédio da GE, estavam Matt Damon, Bill Hader, Jon Hamm, Rachel Dratch, Cheyenne Jackson e Julia Louis Dreyfus fazendo aquilo que eles sabem fazer melhor, comédia. E de ótima qualidade.

Pra não deixar ninguém de fora, foi arranjado que o mesmo episódio fosse ao ar duas vezes. Como? Simples; seria apresentado duas vezes. Um pra costa leste dos EUA e outro pra costa oeste. E ainda no ritmo Fey da coisa, algumas mudanças foram feitas. Para os fãs, isso foi uma das melhores soluções. Pra que fazer a coisa ao vivo, igualzinho, duas vezes? Por que não mudar? Isso quer dizer que o programado seria um episódio naquela semana e acabamos com alguma coisa parecida com um episódio duplo. Que eram iguais entre si, mas não eram. Quer saber? Assista, vale a pena!

O melhor de 30 Rock

E pra fechar com chave de ouro, vale falar que o melhor episódio da série inteira até agora foi o episódio cinco da quinta temporada, Reaganing. Quando o assunto é a vida sexual da nossa querida Liz Lemon, pode ter certeza que risada é o que não vai faltar. É nele que descobrimos um dos maiores segredos da super problemática Liz, um segredo que já lhe deixou em um bocado de apuros. E é aqui que tudo isso é resolvido. Mas acho que já falei demais. Esse episódio tem que ser assistido e saboreado como um dos mais finos vinhos.

Acho que é isso. Por enquanto, afinal ainda tem muito mais de 30 Rock pra você durante o mês de novembro. Fique ligado!

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!