Fringe — 4×19 Letters of Transit

Vocês se lembram, ainda em 2010, quando uma série também criada por Abrams teve um episódio totalmente fora do contexto da temporada, onde nenhum personagem principal apareceu, e mesmo assim foi o episódio mais esperado de toda a série e que, além disso, respondeu (e criou) muitas perguntas da mitologia da série inteira? Então, após assistir esse episódio de Fringe, devo afirmar: eles fizeram isso de novo. E brother, foi sensacional!

Os Observadores finalmente pararam de só observar. Em 2015 eles agiram para tomar nosso mundo. Nós brigamos com eles. Nós perdemos. Eles estão no comando agora. Os que ficaram vivos da raça humana “nativa” se tornaram subordinado deles. Mas ainda existe uma resistência. E essa resistência ganhará reforços que podem parar os Observadores…

Falando desse jeito, e pensando no episódio em si, alguém mais aí lembrou de Battlestar Galactica? Esse futuro pós-apocalíptico apresentado no episódio aumenta ainda mais a complexidade da mitologia da série. Vocês podem estar pensando onde tudo isso que foi mostrado no episódio se encaixa na temporada atual… ou até em toda a série. Mas como sabemos que tudo em Fringe é meticulosamente produzido e escrito, tenho certeza que tudo será explicado e, principalmente, fará sentido ao final.

E sobre isso tenho uma teoria. E se desde o começo Fringe sempre fora uma série apocalíptica? Mas veja bem, como eu disse aí em cima, tudo é extremamente bem trabalhado se tratando da história, o que nos leva à seguinte afirmação: Tudo o que vimos nesses quatro anos foram as preparações, os meios e os motivos desse futuro acontecer. E se foi Jones (que é a trama principal da temporada) o pioneiro na criação dos dispositivos dos Observadores? Estaríamos vendo, finalmente, o início desse futuro acontecendo? O que acham disso?

No mais, ficamos sabendo que em 2608 o mundo estrará em colapso e será destruído, forçando os Observadores a voltar no tempo, até o dia em que decidem “pegar” o mundo para eles novamente (2015), criando assim um círculo vicioso da destruição da Terra. Esse círculo (e esse futuro) poderia ser alterado, por exemplo, se Olivia, de algum modo, não morresse? Será essa a salvação de tudo?

Enfim, o episódio foi mitológico e épico (ao meu ver). Poderia ficar debatendo minhas várias teorias aqui, mas quero saber as de vocês agora. O que vocês acharam desse episódio e o que acham que isso vai virar? Deixe nos comentários logo abaixo para outros fãs debaterem também. Até o próximo episódio… e que venha mais Fringe!

GLYPH-CODE — A palavra dada no episódio foi QUAKE, que significa “tremor” em português. Estou zerado em teorias sobre isso. Somente acho que é algo do próximo episódio. Alguém se prontifica?

PS1 — Quero a quinta temporada toda em 2036. Seria sensacional.
PS2 — Fiquei pensando como Bell pode estar lá se ele morreu em todas os universos (vistos por nós).
PS3 — Prevejo/Quero episódios-continuações ainda nessa temporada.
PS4 — Alguém aí conseguiu achar o Observador?

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER