Game of Thrones 5×02 — The House of Black and White

Novo episódio de Game of Thrones traz mudanças significativas que beneficiam a história.

Eles nunca vão nos seguir. Nos acham repugnantes e nós os achamos repulsivos, é por isso que nós nos cercamos com grandes e confortáveis caixas para mantê-los longe. Contudo, não importa o que fazemos, as pessoas como eu e você nunca estaremos realmente satisfeitas dentro de uma caixa.” — VARYS

Se houve alguma preocupação sobre a possibilidade da série perder qualidade com introdução de elementos inéditos, talvez o episódio desta semana tenha trazido mais tranquilidade. No que diz respeito a adaptações, seguir fielmente o conteúdo original também não é a mais adequada das opções.

Isso depende do objetivo que uma adaptação se propõe. Às vezes, é possível contar histórias melhores com o que o conteúdo original fornece, fazendo-se necessárias mudanças mais bruscas, enquanto em outros casos uma adaptação pode escolher apenas enxugar o que é desnecessário para o formato em que a obra será adaptada.

O grande fator no que diz respeito à adaptação de uma obra é você não poder contradizer ela mesma ou seus personagens, traindo a própria história. Este é o problema que aconteceu na temporada passada com o estupro de Jaime Lannisters (porque traía a essência do personagem), mas que não se repete com o encontro de Sansa e Brienne, que pode ser encarada como um bom exemplo do uso de liberdade criativa pela produção da série.

Encontros como o de Sansa e Brienne trazem excitação pelas novas possibilidades do que pode ocorrer, tanto pra quem é leitor quando para quem só assiste à série. Além dos benefícios que tais mudanças podem trazer para a série como um todo, tornando-a mais apropriada para o formato da TV, a mudança de rumos na história de Game of Thrones coloca no mesmo patamar tanto quem leu e quem não lê os livros.

Game of Thrones 5x02 – The House of Black and White

Em The House of Black and White, Game of Thrones mostra muito mais consistência ao dar continuidade de fato às histórias de seus personagens, mostrando suas contradições e colocando-os em posições em que nem tudo é preto no branco e que há sempre dois lados em uma moeda.

Deanerys exemplifica isto muito bem ao parecer confusa e dividida durante o conselho que discute o que fazer com os filhos da Harpia. O conflito entre razão e emoção, personificados por Barristan Selmy e Mossador, reforçam as falhas da personagem que teme repetir a história do rei louco. Isso a torna cada vez mais interessante para a trama, afinal, a Daenereys que só vencia e conquistava era tediosa demais.

Com as decisões difíceis que precisa fazer, Dany se reconecta mais com o seu lado dragão e o peso que seu nome traz e acaba recebendo a visita de Drogon para reforçar a ideia de que ela está se reencontrando em si mesma em mais uma das mudanças que a série propõe e que só vêm a colaborar com a história como um todo.

As boas histórias não ficaram apenas nas mudanças mais marcantes da adaptação dos livros. Em menor grau, os eventos da muralha também foram adaptados diferentemente de como acontece nos livros, mas ao adicionarem o desenvolvimento dos personagens, o peso da vitória de Jon Snow para Senhor Comandante da Patrulha se torna maior e benéfico para o personagem.

O único problema nessa cena se deve ao fato de que o personagem recebe “tratamento especial” da série. Ele é retratado com muita intensidade, como “o” personagem principal da série de uma forma que você se pergunta se ele já não era o senhor comandante muito antes de ser eleito para tal cargo. Falta para o personagem ter seus defeitos expostos, assim como aconteceu com Daenerys, pois somente assim os acontecimentos ao seu redor parecerão mais verossímeis.

Cersei, no entanto, é a personagem que reúne melhor esses aspectos, tornando-a muito mais humana em sua vilania. Cada vez mais próxima do descontrole, a matrona da casa Lannister tenta construir um reino onde seus inimigos — os Tyrell — não possam interferir, ao mesmo tempo em que ela garante um pouco de poder para si própria, usufruindo do título do filho.

Mas é na sua sede para ser notada e empoderada que a rainha regente mostra seu despreparo e suas falhas ao não ser levada a sério pelo próprio tio (relembrando-a do crédito que não recebia nem do próprio pai) e ao ser descuidada sobre a paternidade de Myrcella em uma conversa com Jaime, após ter sido provocada por uma mensagem enviada de Dorne (muito provavelmente enviada por Ellaria Sand, viúva de Oberryn, que está sibilando por vingança).

Algo que Cersei perdeu com a decadência do poder da Casa Lannister foi a expressão de mármore que a ajudava a disfarçar o quanto realmente era atingida pelas ofensas que sempre foram disparadas contra elas.

São nessas nuances que Game of Thrones torna-se muito mais agradável de se ver. The House of Black and White avança sobre o episódio de estreia da nova temporada porque desenvolve suas tramas e personagens nos mínimos detalhes, fazendo com que possamos ver o que há por trás das máscaras e das falsas faces de seus personagens.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER