#GONGSHOW lança Selo OUaT

Amo efeitos especiais.

Sério. Amo mesmo. Acredito que as categorias de Efeitos Especiais e Maquiagem são tão necessárias em prêmios como as de Direção e Roteiro. E fiquei muito feliz em saber que tem até reality show sobre o gênero.

Minha relação com os efeitos especiais começaram com o primeiro Fúria de Titãs, onde um esforço hercúleo da equipe técnica criou todos aquelas engenhocas para dar vida à epopeia de um guerreiro mitológico. Tudo era muito artesanal e tornava a experiência ainda mais excitante. Rever os filmes da saga Star Wars e imaginar como tudo aquilo foi produzido torna os efeitos especiais ainda mais especiais.

Efeitos Especiais

O advento da computação gráfica elevou os efeitos no cinema a um nível de realismo ainda mais impressionante. E mais do que isso: agora, a televisão podia muito bem aproveitar essas técnicas, que acabaram se tornando mais acessíveis.

Com a computação gráfica, surgiu o chroma key. Você já deve conhecer a técnica: filma-se a cena em um fundo verde e acrescentam-se os cenários posteriormente. Além de baratear com locações (pra que ir filmar no mar se você pode simular o mar posteriormente em estúdio e computadores?), paisagens nunca dantes imaginadas ganhariam vida.

Alguns canais de televisão, amparados por um ótimo investimento, especialmente os da TV a cabo, fizeram um ótimo uso do chroma key. Basta ver alguns episódios de Game of Thrones, da HBO, para perceber o apuro dos efeitos. Tudo é tão orgânico, tão real, que chegamos a não perceber o que é real e o que é efeito.

Porém, alguns outros canais, especialmente os da TV aberta americana, não contam com o mesmo nível de investimento. E o que é pior: insistem em produzir algo que é 100% trabalhado no chroma key. No fim das contas, acaba parecendo aqueles trabalhos escolares tosquíssimos produzidos por adolescentes do nono ano, que se acham os novos cineastas devido às suas câmeras de celulares (eu fui um desses, só pra constar).

Chroma Key

Sou da seguinte opinião: se você não tem grana suficiente para investir em uma história de fantasia, que necessita de uma computação gráfica de qualidade, apenas confiando que o poder da narrativa irá suplantar os defeitos técnicos, não produza um show.

Mas o pessoal da ABC pensa muito diferente e continua lançando séries que exigem muito dos efeitos especiais e não oferecem qualidade no assunto. Sim, meus caros, estou falando da franquia Once upon a time, o rubacão televisivo americano.

Contextualizar contos de fadas, mostrar o lado que ninguém viu, é super tendência tanto no cinema como na televisão (e já era tendência quando Monteiro Lobato criou o Sítio do Pica-Pau Amarelo, mas isso é só um detalhe). Naturalmente, um programa do tipo iria beber muito da fonte dos efeitos visuais, da maquiagem, da direção de arte. E o que é que o espectador vê, no final das contas? Um serviço porco e de péssima qualidade.

Once upon a time pode até ter enganado muitos espectadores com sua primeira temporada, razoavelmente interessante. Naquela época, os defeitos especiais eram facilmente esquecidos por uma trama espertinha. Mas agora, esse interesse se foi e uma trama extremamente meia-boca está sendo exibida. Com as falhas no roteiro, as escamas dos olhos dos espectadores caíram e percebeu-se a cagação que é o chroma key da série.

E, como se não bastasse toda a lambança feita em Once upon a time, o que a ABC faz? Me lança Once upon a time in Wonderland! Essa série é uma piada pronta. E uma piada sem graça ainda por cima. O chroma key é tão mal feito, mas tão mal feito, que tem gente achando que os cenários são feitos de papelão!!! (!!!! Mais exclamações nesse parêntese porque as anteriores não foram suficientes).

Série mais ou menos com chroma key ruim até vai. Mas série porcaria com chroma key no mesmo nível é exigir demais da boa vontade do espectador. E a ABC se superou em todos os sentidos. E, exatamente por isso, nós, da coluna #GONGSHOW (na verdade, usei o nós por ser plural majestático, mas a coluna sou só eu mesmo), lançamos, oficialmente, o Selo OUaT. Olha só que lindinho que ficou (méritos do BoxBoy Pedrinho que jogou na minha cara que eu não sei mexer no Photoshop e que, no fim das contas, eu só tenho boas ideias com péssima execução. Coube a ele fazer o selo).

Selo OUaT

Agora, você, que está sempre por aqui, já sabe: quando esse selo aparecer em alguma imagem, saibam que Once upon a time aprova o chroma key!

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER