Gossip Girl: O livro de fofocas de Upper East Side

Sabe aquele nível de cultura bááásico que sempre procuro manter nesta coluna? Pois é, já aviso desde já que, a partir dos próximos parágrafos, eis que o dito cujo vai dar uma baixada considerável devido ao assunto que começaremos a falar: a vida alheia (não, aqui não Fallabela). Mas diz aí, tem coisa melhor do que fofocar (me segue no twitter que eu falo)? Ainda mais quando temos muitas histórias devassas para contar.

Lógico que você já percebeu onde estou querendo chegar, não? Em Upper East Side, queredjiénho! O local mais babado que já se conheceu, lar da Gossip Girl mais famosa da televisão e dos livros, que não tem pena quando o assunto é divulgar os podres dos jovens riquinhos e glamourosos em seu blog.

Então, aproveita e se joga na luxúria que este post está e não se esqueça de deixar seu comentário viu? Só não me venha perguntar quem é a Garota do Blog (oi SBT!), porque senão hackeio seu Orkut, belô?

The Gossip book:

Cecilia von Ziegesar, depois de passar grande parte de sua vida na luxuosa zona de Upper East Side, decide revelar em sua série de treze livros Gossip Girl (somente doze lançados por aqui) a verdadeira face do mundo dos prestigiados de Manhattan — vai ver porque, atualmente, sua família mora no Brooklyn.

O primeiro volume, As Delícias da Fofoca, serve principalmente como introdução da história e seus personagens, os quais a maioria já conhece por causa da série de TV inspirada nos mesmos.

Os plots iniciais no livro não são muito diferentes dos quais vemos na 1ª temporada da série. Pelos olhos da divertida blogueira — voz da Kristen Bell não saía da minha mente — vemos a volta da personagem Serena van der Woodsen a Upper East Side, pois já havia um ano que ela teria ido para um internato na Europa e, por causar muito por lá, acabou sendo expulsa. Após todos tomarem nota disso, o mundo antes perfeito de Blair Waldorf desaba, pois esta sabe que a popularidade e o namoro com Nate Archibald estão por um fio com S circulando por Manhattan.

A trama ainda conta com o sempre festeiro Chuck Bass, que nos livros não passa apenas de um mulherengo e viciado em sexo. A família Humphrey também não sofreu drásticas alterações se compararmos com a versão da telinha. Jenny é a garota insegura que só se preocupa em entrar para a high society e arrumar uma forma de diminuir os seios. Note que até aqui, Chuck a força a transar com ele, mas seu irmão Dan e Serena o impedem.

Serena e Dan Humphrey começam um namoro, mas que termina quando ele diz que a ama, pois para ela, festas, drogas e sexo é o que há na sua vida, de acordo com Cecilia. Diferente da série de TV, a personagem Vanessa e Dan mantêm uma relação mais duradoura, mas que é interrompida quando Dan a trai com uma escritora.

Dizer que Gossip Girl é um ótimo livro, seria extrema generosidade da minha parte. Eu afirmo que este é apenas uma ótima forma de diversão, e só. Se você se afeiçoa pelo CW lifestyle, com corpos desnudos, dramas adolescentes bobinhos e nenhuma falta de vergonha, com certeza gostará também dos contos de Cecilia von Ziegesar que, aliás, não poderia ter escolhido melhor emissora para vender seus direitos autorais.

Livro X Série de TV:

– A primeira diferença notável é que nos livros, as escolas são divididas para meninos e meninas, enquanto que na série todos estudam juntos.

– O dia-a-dia na escola para garotas nos livros, Constance Billard, foi inspirada na escola em que Cecilia estudou, a Nightingale-Bamford, também em Upper East Side.

– É uma pena que no livro não exista a adorável Dorota, empregada/braço-direito de Blair na série.

– Chuck e Blair são apenas amigos nos livros, diferente do que vemos na TV e todo aquele amor banhado no ódio.

– A transa entre Nate e Serena ocorre quando os dois estavam na sétima série, já na série, Blair os flagra naquela cena em pleno casamento.

– Serena é uma bitch assumida nos livros e não aquela mongol que vemos na série, onde ela apronta todas pelo mundo afora e depois vem que nem o cão arrependido.

– Existem outras diferenças que precisam da ajuda de um Google para notar, como por exemplo, que Serena e sua mãe moram na Quinta Avenida, e não no hotel mostrado na série.

– Além dos treze livros, Gossip Girl ainda ganhou dois spin-offs: Gossip Girl: The Carlyles e The It Girl, o qual se centra na personagem Jenny.

Bom, se você conseguiu notar mais diferenças/semelhanças entre a série de TV e o livro, pode se expressar aí na área de comentários. E essa é a minha deixa, meus caros. Ficamos com mais um The Box Is On The Table por aqui, a coluna que aumenta sua cultura até mesmo quando o assunto é para rodinhas de amigues no salão de beleza… so, XoXo.

Sabe aquele nível de cultura bááásico que sempre procuro manter nesta coluna? Pois é, já

aviso desde logo que a partir dos próximos parágrafos, eis que o dito cujo vai dar uma

baixada considerável devido ao assunto que começaremos a falar: a vida alheia (não, aqui

não Fallabela). Mas diz aí, tem coisa melhor do que fofocar (me segue no twitter que eu

falo)? Ainda mais quando temos muitas histórias devassas para contar.

Lógico que você já percebeu onde estou querendo chegar, não? Em Upper East Side

queredjiénho! O local mais babado que já se conheceu, lar da Gossip Girl mais famosa da

televisão e dos livros, que não tem pena quando o assunto é divulgar os podres dos jovens

riquinhos e glamourosos em seu blog.

Então aproveita e se joga na luxúria que este post está e não se esqueça de deixar seu

comentário viu? Só não me venha perguntar quem é a Garota do Blog (oi SBT!), porque senão

hackeio seu orkut, belô?

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!