Gotham 2×07 — Mommy’s Little Monster

Os vilões clássicos do Batman brilham no irrepreensível Mommy’s little monster.

Você sempre foi um bom garoto” — COBBLEPOT, Gertrude.

O mal.

Praticamente, o mundo é movido pelo mal. Por mais anárquico que isso soe, o mal é o motor. A existência dele é primordial para o equilíbrio natural do universo. Sem ele, o que seria o bem? Qual a função de Deus se não existisse o Diabo? É um dos fatos mais debatidos e pode esconder uma verdade inquietante.

O universo de Batman é basicamente sobre essa verdade. Se no filme O cavaleiro das trevas, o Coringa dizia que o Homem Morcego não seria nada sem ele, Gotham chega para expandir ainda mais essa afirmação. E essa segunda temporada chegou para mostrar que, mais importante que o bem, o mal é a verdadeira engrenagem do mundo.

As forças malignas que operam em Gotham são de posições distintas. Um deles tem princípios e não age de maneira desenfreada. O outro é vingativo, guiado apenas pelos piores instintos, sem o mínimo de decência. Infelizmente, esse último tipo é mais calculista em seus atos e tem conseguido melhores vitórias.

Os vilões clássicos do Batman brilham no irrepreensível Mommy’s little monster

Theo Galavan orquestra muito bem seus passos. Transformou o Pinguim em inimigo número um de Gotham, elegeu-se prefeito e ainda angariou a confiança de todo o departamento de polícia e do promotor Harvey Dent. O novo governante da cidade tem planos bem específicos para se vingar do lugar.

Por sorte, Gordon e Harvey Bullock não ficaram muito tempo nessa história. Desde o início, Gordon desconfiou das atitudes do Pinguim. Por representar a escola antiga do crime, Pinguim não agia de maneira coerente. E esse é um dos grandes acertos da série. Colocar Oswald Cobblepot como um vilão de princípios é único.

A sequência inicial envolvendo a morte de Gertrude foi ao mesmo tempo chocante, emocionante, inesperada e brilhante. Que trabalho de interpretação de Robin Lord Taylor e Carol Kane! Ficava difícil não torcer por um final feliz, mas não foi o que aconteceu. Carol deu adeus à série, porém, deixou uma marca positiva.

A partir daí, o show foi todo de Robin Lord Taylor. Seu Pinguim com desejo de vingança, mesclado com a dor da perda, foi um presente ao espectador. A resolução desse conflito também foi uma das mais acertadas da série. O fogo cruzado e a certeza de que isso não acabou ali.

Quem não teve a mesma sorte é Bruce Wayne. O jovem é seduzido por Silver, a sobrinha de Theo. E ainda que Selina Kyle tente alertá-lo, o rapaz está encantado pela loirinha e despreza o alerta da amiga.

Camren Bicondova foi outro destaque. A menina captou toda a essência da Mulher Gato. O embate dela com Silver foi primoroso. Cada nuance, cada impostação de voz, cada olhar. E o texto caprichadíssimo.

Mommy’s little monster deixou mesmo os vilões brilharem. E, dessa vez, Edward Nygma, finalmente, teve suas duas personalidades fundidas em uma só. As pequenas charadas deixadas para ele encontrar o corpo da ex-amada foram a cereja do bolo de um grande episódio. Um dos melhores em uma coleção de vários que essa temporada tem colecionado.

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER