Gotham 2×14 — This Ball of Mud and Meanness

Se o episódio anterior falava sobre a origem do mal, This Ball of Mud and Meanness mostra o início do Batman.

Escolha suas batalhas. Não deixe que elas escolham você” — PENNYWORTH, Alfred.

Quando alguém decide trilhar o caminho da vingança, corre dois riscos. O primeiro é achar que qualquer ato nunca será suficiente para aplacar a chama. O outro é justamente o contrário. Perceber que o algoz não é um monstro; antes, não passa de um simples homem. E é justamente nesse segundo momento que tudo verdadeiramente acontece.

Essa foi a constatação de Bruce ao sair em busca do homem que supostamente matou seus pais. Primeiro que conseguir essa informação não foi tão simples. Precisou Alfred sair no braço com um líder de gangue e do próprio Bruce ir até um clube noturno.

Aliás, na cena em que o jovem Wayne vai procurar Jeri, a informante, percebe-se nitidamente que o personagem está descendo ao submundo, tanto literal como figurativamente. Todo o episódio foi uma grande metáfora acerca da trajetória que o levará a ser o futuro Batman. Porém, faltava a gota d’água.

O confronto face a face com o provável assassino de seus pais fez Wayne perceber que todo o seu ódio contra uma única pessoa era injustificável. O problema não era aquele assassino; o problema é toda a situação que gera aquele assassino. O meio que o transformou até que ele ficasse daquela forma.

A verdadeira briga não é contra o homem que puxou o gatilho e sim com a sociedade que o gerou. É fantástico perceber que uma discussão tão profunda como essa seja feita de maneira tão lúcida. Histórias de super-heróis sempre serviram como uma grande metáfora para a sociedade e Gotham soube tirar bom proveito disso.

Agora, abandonando todo o conforto de seu lar, Bruce passa a viver nas ruas, na companhia de Selina Kyle, para aprender um pouco mais sobre as pessoas, sobre a criminalidade, sobre a cidade. E ele faz uma promessa de lutar pelo bem de Gotham. O espectador sabe como isso terminará.

Aparentemente, todo o tratamento de cura do Pinguim deu certo. Oswald Cobblepot foi liberado do Asilo Arkham exibindo uma atitude dócil e despreocupada. Naturalmente, isso não deve durar muito tempo. Até porque o próprio Huge Strange assume que possui planos futuros para o vilão.

Edward Nygma teve seu destaque. O fato de ele ter matado sua namorada poderá vir à tona a qualquer momento. Mas o melhor momento dele no episódio fica por conta do ponto de interrogação em verde desenhado sobre a fotografia de Jim Gordon.

E vocês? O que acharam do episódio?

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER