Hannibal 1×04 — Ceuf (websódio)

Você e eu teremos muitos segredos”, Hannibal para Abigail

O quarto prato do banquete / série Hannibal deveria ter sido exibido, nos EUA, na semana em que aconteceu o atentado a bomba de Boston. Como a temática do episódio era pesada, Bryan Fuller, antes mesmo do atentado, já havia decidido cortar a exibição do quarto episódio, alegando que poderia causar desconforto ao público. Esse tipo de alteração no calendário do entretenimento não é tão incomum (na semana do tiroteio da Escola de Sandy Hook, por exemplo, os produtores de Jack Reacher, com Tom Cruise, optaram por cancelar a estreia e os tapetes vermelhos já programados). Essas alterações são também uma forma de evitar o fracasso dos números, já que a audiência, indisposta com a violência da vida real, não se encontra estimulada a prestigiar a violência da ficção.

Mas, para não atrasar o calendário de Hannibal, o produtor Bryan Fuller decidiu levar Ceuf para a internet, em um websódio destrinchado em 6 pequenas partes. Juntando esses pedaços de história, ficamos com um episódio de pouco mais de 21 minutos, em que Fuller teve o cuidado de não fazer revelações que prejudicariam o entendimento de quem só acompanha a série pela TV. Mas nem por isso, são 21 minutos desperdiçados. Todas as sequências giraram em torno do Dr Hannibal Lecter e nas sutilezas das relações que ele mantém com Will, Abigail, Alana e Jack.

O websódio já começa com uma sessão entre Will e Dr Lecter logo após os incidentes na casa dos Hobbs que vimos no 3º episódio. Will fala de sua identificação com o canibal, a qual o terapeuta lhe dá espaço para sentir. Mas Will está num processo de esforço para escapar dessa empatia com Hobbs. Só que isso aparentemente não é de interesse do Dr Lecter. Em outro momento, Hannibal conduz Will a se identificar com Abigail, tentando estabelecer uma relação paternal entre ambos.

hannibal ep1x04 mads mikkelsen kacey rohl

Por falar em paternal, esse me parece mais o caso de Hannibal com Abigail. Acho que nem mesmo ela sabe o porquê, mas o psiquiatra é a pessoa em que ela mais confia. E não foi à toa que, em sua “viagem de cogumelo”, a menina viu o pai na mesma cadeira em que Hannibal estava sentado. E a mãe, no lugar de Alana Bloom, que realmente se mostra compelida a proteger a paciente com a mesma ferocidade que uma leoa defende seu filhote. É só ver como ela se transformou ao lidar com a saída da menina sem sua permissão do hospital, sendo que, na sequência anterior, uma sutil tensão sexual havia surgido entre a Dra Bloom e o Dr Lecter.

Como bem lembrou o Dr Lecter, tanto Abigail quanto Will estão órfãos de qualquer tipo de família. Esse buraco está ali, para ser preenchido na vida dos dois. O Dr Lecter move as peças lentamente no seu tabuleiro para que os dois pacientes encontrem esse conforto um no outro e até nele mesmo, como orientador e pessoa de confiança dos dois.

E para encerrar: não dá uma certa aflição ver o Dr Lecter servindo qualquer refeição que envolva carne? Sim, dá! E essa sensação não é à toa, como bem provou o rápido flashback, elegantemente editado, que mostra a real história daquele prato com nome em francês servido ao Jack. É, o coelho não foi tão rápido para escapar de um predador perigoso e confiante demais.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Será que a Elsa se assumiu lésbica cantando e ninguém percebeu?

Curiosidades de Euphoria, a série BAFOOOO da HBO.

Viajamos no verdadeiro trem do Harry Potter! Na vira real!!! Veja como foi a experiência neste vídeo.

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER