Homeland 4×02 — Trylon and Perisphere

Disposta a jogar limpo com os fãs, Homeland segue com sua promissora trama em ritmo lento, sem deixar para trás os diálogos bem construídos.

Você é mesmo maluca, sabia disso? Exatamente como eles dizem.”— HARRIS, Jordan.

A Season Premiere de Homeland foi dividida em duas partes, ou seja, dois episódios de uma única vez. Um após o outro. Diante dos comentários do público sobre a 3ª temporada ter sido cansativa, foi uma decisão ousada. Tudo não ficaria demasiadamente introdutório e didático? E ficou, em partes, apesar de que os episódios casaram bem.

Como comentei na última crítica, a série passou por uma espécie de reformulação: novos plots, novos personagens e novos desafios. Trylon and Perisphere fez o caminho inverso do anterior com a mesma qualidade.

Depois de ordenar um ataque aéreo a um casamento, Carrie Mathison é obrigada a voltar aos Estados Unidos para o inquérito oficial. O país que foi palco da série por três anos volta ao plano central trazendo consigo muitas memórias a protagonista e ao telespectador.

Homeland fez um recomeço bastante justo, demonstrando respeito ao público. Quem nunca viu uma série mudar totalmente de uma temporada para outra? Não é tão difícil isso acontecer, difícil mesmo é encontrar uma que lide com o recomeço da forma que Homeland tem lidado. Em nenhum momento desses dois primeiros episódios ficamos com aquela sensação de que a história atual se passa num universo paralelo, muito pelo contrário. Cada personagem traz consigo uma bagagem dos anos anteriores e essas bagagens é que estão determinando cada atitude tomada diante das novas situações. Quero dizer, o contexto mudou, a essência não.

Para ser mais claro com vocês, estou falando sobre a relação de Carrie com a filha e a — maravilhosa — cena do passeio de carro. Ela nunca foi alguém ligada a família e focada em ter uma vida normal, e não é só porque estamos diante de um novo ciclo na história que isso viria a mudar.

A ex-agente da CIA fora de sua zona de conforto rende momentos únicos e até perturbadores. O que dizer da cena da banheira? Não acreditei no que estava vendo, apesar da total coerência dessa ação com todas as outras da protagonista. Até Brody foi mencionado. Não que isso fosse realmente necessário para comprovar o que disse mais acima, mas tenho certeza que muita gente ficou aliviada em ver que ele ainda tem seu espaço no roteiro.

Ainda estou estranhando um pouco Saul Berenson nessa temporada. Ele se reencontra com Carrie numa cena totalmente sem sal, assim como todas as que apareceu na Season Premiere. Com Brody morto e Saul apagado, é mais do que normal que Peter Quinn ganhe mais espaço. Anteriormente comentei sobre o plot dele: irritado com a morte de Sandy e a diplomacia de Carrie, o personagem estava andando rumo ao penhasco da sanidade mental e em Trylon and Perisphere, sua queda livre começa. E ele não poderá contar com a Primma Donna para abrir o paraquedas. Enfim, torço muito para que esse segmento contribua para a história e não descaracterize um dos mais brilhantes personagens do elenco regular.

Questões extras foram acrescentadas: o que Aayan Ibrahim estava levando naquela mala? Frascos de remédios, para quê? Quem passava as informações para Sandy foi quem entregou sua identidade? E, esses dois plots tem alguma ligação? Muita coisa ainda deve acontecer nessa temporada que, assim como a 2ª, não deixa espaço para suposições. Imprevisível.

Após mostrar que tem qualidade para seguir em frente, Homeland disse nesse episódio que fará isso da forma correta. Ainda que a trama não pareça genial como as anteriores, há um claro potencial nela. Tudo dependerá de seu desenvolvimento.

P.S. #CarrieMomOfTheYear

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Outras linhas de enredo importantes a serem observadas em “The Drone Queen” e “Trylon and Perisphere”:

    Saul Berenson

    Humor geral: ansioso e entediado. Saul ainda está nos Estados Unidos e trabalhando no setor privado, com o que ele não parece satisfeito.

    Melhor momento: quando Saul diz: “Acabou sendo uma mudança a mais, não durou”, referindo-se a raspar sua barba.

    Pior momento: embora Saul seja melhor quando diz a todos na CIA o que fazer, é triste ver que ele ainda está colocando seu interesse nas questões da CIA acima de tudo em sua vida.

    O que está no horizonte: há um bate-papo de que pessoas importantes estão a bordo com Saul retornando como diretor da CIA. Isso parece ótimo para sua vida profissional, mas ruim para sua vida pessoal. Não tem como ele se mudar para Nova York (certo?).

    Peter Quinn

    Humor geral: desanimado. Seu trabalho finalmente cobrou um grande tributo, e o empreendedor furtivo Quinn é coisa do passado.

    Melhor momento: Quando Quinn finalmente coloca Carrie em seu lugar e a deixa sozinha em uma igreja para pensar sobre seus caminhos egoístas.

    Pior momento: Beber uma garrafa inteira de vodka na piscina de seu condomínio (isso é possível?), Seguido por sexo bêbado com seu gerente de prédio, parecia um novo ponto baixo para Quinn – pelo menos até ele ser preso no dia seguinte por espancando dois homens no café da manhã.

    O que está no horizonte: depois de testemunhar o assassinato de Sandy no Paquistão, Quinn parece estar em uma espiral descendente. Mesmo assim, ele ainda parece estar em um lugar melhor do que Carrie. Esperamos que ele volte a mantê-la longe de problemas em breve.

    Carrie Mathison

    Humor geral: determinado. Carrie está basicamente focada em uma coisa: ficar longe da bebê Frannie. Se voltar a Islamabad para rastrear o informante com quem Sandy trocou segredos nacionais significa não trocar fraldas, então ela concorda.

    Melhor momento: quando Carrie chantageou o diretor da CIA Andrew Lockhart para deixá-la retornar a Islamabad. Mesmo que fosse extremamente manipulador (sua especialidade), é sempre um prazer quando Carrie supera todos ao seu redor – especialmente o presunçoso Diretor Lockhart.

    Pior momento: nem tenho certeza se posso articular o horror que senti quando pensei que Carrie ia afogar a bebê Frannie – Fique o mais longe possível daquele bebê, senhora.

    O que está no horizonte: Carrie está voltando para Islamabad – desta vez com um pouco de “segurança” da empresa de Saul para o passeio. É apenas uma questão de tempo antes que Carrie e Saul voltem ao antigo papel de mentor / pupilo.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER