How I Met Your Mother

Tem coisa mais delícia do que ver sitcom nesses dias de frio e chuva que tem dominado nosso país? Ou pelo menos a parte dele onde eu moro!

E se você não vê a série que é tema da O Melhor e o Pior de… desta semana e está com tempo livre por conta da pausa das séries, aproveite estes últimos dias de calmaria e dê uma corrida com os episódios de How I Met Your Mother, comédia da CBS que mostra a vida de alguns amigos de vinte e tantos anos que moram em Nova Iorque.

Ops, você já viu isso antes? A gente comenta aqui embaixo.

Linguagem

How I Met Your Mother inova por sua linguagem. Deixe de lado o fato de ser uma sitcom sobre roomates (e qual sitcom não é?!), ou de ser uma série sobre pessoas vivendo na cidade grande (e qual não é?), ou de ser sobre jovens bonitos que estão naquela fase da vida em que a coisa começa a ficar mais adulta (e qual não é!?!).

As histórias contadas em cada episódio não são exatamente lineares. Os capítulos fazem uso de mini flashbacks, dentro de um flashback gigante, que às vezes recorre a flashforwards, que não são flashforwards, afinal tudo isso aconteceu no passado. E não se confunda, pois não estou falando de Lost, mas de uma série cujo protagonista está contando sua história aos seus filhos.

E contar história é assim mesmo, né? A gente vai lembrando de um detalhe ou outro, às vezes fora de ordem cronológica, e acrescentando as informações à história, de maneira que fique comprensível (pelo menos mais do que este texto… hehe). E os roteiristas se apropriaram muito bem disso.

Barney Stinson

Não dá nem pra dizer que ele é um dos melhores personagens do seriado, afinal isso é redundância. Mas Barney transcende. O mulherengo é facilmente um dos melhores personagens de séries já criados na década passada. Tudo bem que não é novo um mulherengo com apelo entre o público e com muita simpatia e carisma.

Barney deu lá suas derrapadas ao longo das temporadas já exibidas de HIMYM, mas ainda é muito querido por todos os fãs do programa. Sem precisar recorrer ao charme italiano, né?

O Passado dos Personagens

Assim como outras sitcoms também já o fizeram, os roteiritas de How I Met Your Mother souberam criar backgrounds interessantes para seus personagens. Todos fazem aquela leve crítica vestida de piada sobre quando tivemos uma fase obscura em nossa adolescência/infância, aquela que a gente guarda segredo.

Barney, super inocente e acreditando em tudo que lhe diziam, bem ao contrário do que é hoje. Ted com aquele cabelo hilário, típico de fãs de bandas dos ano 80. Lilly era a gótica… Robin era celebridade canadense, Robin Sparkles, numa piada hilária que faz referência à Alanis Morissette quando ainda era uma Sandy canadense — Aliás, as piadas sobre o Canadá são ótimas!!!

O único que não mudou é Marshal, que continua sendo bobão.

Friends como Estigma

Quer deixar um fã de How I Met Your Mother ferrado é só comparar a série com Friends. O que eu vejo como um grande elogio. Sou fã de Friends e bem saudosita. Vejo diversas semelhanças entre ambas as séries, mas também as particularidades de cada uma.

How I Met… tem mesmo muita coisa similar a Friends, mas isso não se restringe entre uma e outra. O fato é que sitcoms são parecidas por uma questão simples: são fórmulas que apostam no consolidado, nos argumentos que rendem mais piadas, no humor simples e no entretenimento de fácil absorção. No fundo, é tática.

E How I Met Your Mother, ainda assim, tem sua própria identidade e acaba sendo muito mais elaborada do que a grande maioria.

Casal Robin + Barney

Assim como Joey + Rachel foi uma péssima ideia dos roteiristas de Friends (ok, não vou comparar mais!), colocar Robin com Barney não pareceu certo. Pelo menos, não para os fãs.

O casal não vingava e isso se refletiu na audiência. Para uma série que já perigava ser cancelada por baixos índices (obrigado ‘Santa’ Britney Spears por salvar a série), este casal foi um risco que não valia a pena ser corrido. O plot desapareceu do enredo com mais velocidade do que a paixonite de Barney por sua amiga. Ainda bem!

Mas e a mãe?

Desde o envolvimento de Ted com Stella (ainda bem que ela não era a mãe — pqp que personagem chata!), pouco se encaminhou na evolução do personagem rumo a sua futura esposa. Até faz sentido, afinal pode se esperar que no momento em que Ted conhecer a mãe de seus filhos — ou que a gente conhecer — a série acabará.

Tavez, por isso, tudo que se relaciona com este fato seja deixado como gancho em finales, sejam eles de fall season ou de temporada mesmo. Opinião pessoal: ainda haveria maneiras de se aproveitar as personagens em uma temporada com a mãe revelada, afinal teríamos uma personagem para conhecer melhor.

Mas vamos confiar nos produtores e roteiristas, afinal eles conseguiram tirar a série do marasmo da temporada anterior. Quem sabe eles não tem tudo muito bem planejado para o futuro do programa? Espero que sim.

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

The Handmaid's Tale voltou!!! O que rola de novo nesta temporada? Descubra mas SEM SPOILER!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!