HTGAWM 1×02 — It’s all her fault

A questão que mais me perguntam como uma advogada de defesa é como sei se meus clientes são inocentes ou não. E minha resposta é sempre a mesma. Eu não me importo” — KEATING, Annalise.

Seguindo um princípio que certo médico ensinou tão bem, Annalise Keating também adota a máxima de que todo mundo mente. E é justamente isso que a faz ser uma advogada e mentora competente. Mas também a joga em meio a mentiras e verdades para as quais, talvez, não estivesse preparada para aceitar.

O caso da semana foi bem interessante e a maneira que foi solucionado conseguiu conferir alguma surpresa. Além de tudo, serviu para apresentar um pouco melhor dos personagens envolvidos. Connor Walsh continua tendo boas sacadas e recebeu um ótimo arco narrativo envolvendo o hacker oriental Oliver. As cenas entre os dois continuam sensuais e de muito bom gosto.

Aliás, Connor é, de longe, o mais interessante entre os pupilos de Annalise. Apesar de ela gostar muito de Wes, o jovem é um tanto quanto insosso, talvez pela inexpressividade interpretativa do ator Alfred Enoch. Pena que ele tenha recebido tanto destaque.

HTGAWM 1x02

Laurel Castillo aproveitou o conselho dado por Bonnie, sócia de Annalise, e provou que vai muito além de ser apenas um rosto bonito. Ainda que ela tenha sido escolhida por Frank, o outro sócio, justamente pelos atributos físicos, a moça tem muito a oferecer intelectualmente.

Por falar em Bonnie, notaram a estranha olhada que ela deu para a chefe quando o amante se aproximou? O que teria ali?

E por falar em amante, Nate não quer ser mais o estepe e servir Annalise apenas para o sexo enquanto a advogada desmerece mais uma vez os policiais. A surpresa é que ele também é casado. Ou seja, um duplo adultério.

Michaela e Asher ficaram um pouco apagados, mas é natural que isso ocorra tendo em vista tantos personagens e pouco tempo para dedicar-se a eles.

Enquanto isso, o misterioso assassinato de Lila Stangard, a jovem encontrada na caixa d’água do campus universitário, ganha novos contornos quando Annalise descobre que a moça era aluna de seu marido, Sam. Ao que tudo indica, mantinham uma relação bem íntima, ultrapassando os limites de professor-aluno.

A morte da garota também envolve a vizinha debaixo de Wes, Rebecca, que acabou sendo presa. Desde que surgiu no piloto, Rebecca não pareceu ser boa coisa e, pelos flashfowards, é possível que ela esteja diretamente relacionada com o assassinato de Sam.

A estrutura à la Damages, no qual diminuem o espaço entre tempo atual e passado a cada episódio, revelando gradualmente acontecimentos envolvendo um crime, ainda não convenceu totalmente. Não sei se é porque um recurso usado à exaustão pela extinta série de Patty Hewes, causa certo incômodo.

How get away with murder é bem eficiente em sua proposta, mas ainda peca na originalidade. Nada que atrapalhe curtir um bom show, mas também nada memorável.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER