Lost: O Melhor Episódio de Cada Personagem

Para comemorar a exibição do 100 episódio de Lost o TV Guide elaborou uma lista com os melhores episódios de cada personagem destacável da série. Clicando no título você cai num link do próprio TV Guide onde é possível rever o tal episódio!

BEN — “The Man Behind the Curtain” (Season 3, Episode 20)
Preta atenção no apanhadoo de coisas que acontece num único episódio: Além de obtermos informações cruciais sobre a infância de Ben e seu relacionamento com sua mãe, pai e amiga de infância, Annie, ainda pudemos dar uma olhada nas operações da Iniciativa Dharma durante a década de 70, a antipatia deles com os chamados “hostis”, como a Dharma foi eliminadas da ilha e ainda ficamos sabendo sobre um cara misterioso chamado Jacob. Estas também foi a primeira vez em que Locke quase foi assassinado por Ben. Hoje sabemos o quanto essas peças foram fundamentais para o andamento da série.

CHARLIE — “Greatest Hits” (Season 3, Episode 21)
Aposto que nem lembrava desse personagem, certo? Claro que estou errado. Charlie teve definitivamente um episódio muito triste. É no começo deste episódio que Charlie descobre seu fatídico destino: ele teria que morrer para poder salvar sua amada Claire e seu filho Aaron, fechando tudo com chave de ouro: um bilhete com os melhores momentos de sua vida, o que dá título ao episódio. Entre os momentos, a primeira vez em que a banda Drive Shaft ouviu a canção “You All Everybody” no rádio, o jovem Charlie aprendendo a nadar, o relacionamento de Charlie com seu irmão e, no topo, a noite em que o vôo 815 da Oceanic Airlines caiu na ilha de Lost, que o fez conhecer Claire. Alguém tem lencinhos sobrando?

DESMOND — “The Constant” (Season 4, Episode 5)
Sempre soubemos que Desmond era um cara diferente, mas “The Constant” nos mostrou como exatamente ele é diferente. Este é o primeiro episódio a não ter nem flashbacks, nem flashforwards em sua narrativa. Desmond está livre no tempo após um acidente, assim ele viaja em sua história, visitando-se em 1996 e 2004. Descobrimos ainda que esse tipo de coisa pode causar um dano cerebral irreversível e fatal. O cérebro de Desmond pode explodir caso ele não saiba como resolver o caso. Graças aos roteiristas temos Faraday na história. Ele ensina a Desmond sobre a constante, e Desmond escolhe Penny como a sua, afinal ela é a pessoa que ele conhecia em ambos os períodos de tempo. Esqueça Jack, Kate, Sawyer, Juliet, Sun e Jin. A história de Desmond e Penny através do tempo é que salva a vida do cara.

HURLEY — “Dave” (Season 2, Episode 18)
Todos se apaixonaram por Jorge Garcia na segunda temporada, inclusive Libby. Mas é nesse episódio que começamos a ter dúvidas sobre a saúde mental do personagem, mesmo em uma ilha que se mostra muito mais louca do que qualquer outra coisa. As alucinações de Hurley com Dave (participação especial de Evan Handler, Sex and the City), um homem que ele lembra de ter conhecido no hospital em que ficou internado, levanta algumas perguntas interessantes: Será que Hurley está sonhando? Ou será que a ilha traz os mortos de volta à vida? Ou então será que a ilha recria os mortos? Será que Hurley fala com os mortos? Este episódio ainda é memorável pois revela que Libby pode ser ou não uma psicóloga, afinal não há muito tempo ela também era paciente no mesmo hospital que Hurley.

JACK — “Through the Looking Glass” (Season 3, Episode 22)
O magnífico episódio que enganou todo mundo, misturando passado, presente e futuro, nos mostra um Jack acabadão. Triste, barbudo e viciado, Jack vaga pela vida após uma tentativa de suicídio e a descoberta de que alguém havia morrido. Mas quem estava dentro do caixão mostrado nos minutos finais da série — quando Jack encontra Kate e diz a ela que eles precisam voltar para a Ilha — e a gente descobre que tudo o que estávamos assistindo era uma amostra do futuro dos personagens, que aliás já é passado. Enquanto isso, na ilha, Charlie se sacrifica.

JIN e SUN — “Ji Yeon” (Season 4, Episode 7)
O enredo desta história é basicamente uma amostra do futuro e do passado. Juliet convence Jin e Sun a deixar a ilha para que o casal possa ter o bebê. Enquanto o episódio prossegue, Sun diz a Jin (com uma forcinha da loira) que ela teve um caso, o que nos deixa na dúvida sobre a paternidade do bebê. Fora da ilha, as coisas são mais complicadas: Jin tenta de todas as maneiras chegar a um hospital, em um flashback, enquanto Sun está no futuro tendo um bebê. Só que a gente só descobre isso no final. Ao final somos apresentados ao túmulo que Sun construiu para o seu marido, datando 09/22/04, quando o avião caiu na ilha. A pergunta que ficou: o que aconteceu com jin?

JULIET — “Not in Portland “ (Season 3, Episode 7)
Juliet é uma cópia mal feita dos outros. Foi difícil desvendar a personagem, mas hoje parece que podemos confiar nela. É neste episódio que descobrimos como ela foi parar na ilha, sobre sua brilhante carreira como estudiosa da fertilidade, sobre o caso de seu ex-marido (participação especial de Zeljko Ivanek) em Miami. É um retrato simpático até, até que descobrimos que ela é tão vítima de Ben como qualquer um dos outros personagens do seriado. Vemos ainda Richard Alpert dizendo a personagem que ela estaria concorrendo a uma vaga de trabalho em Portland. Na ilha, a lealdade de Juliet a Ben é testada enquanto ela auxilia Jack em uma cirurgia na espinha do vilão. É revelado que Ben concordou em deixar Juliet ir embora da ilha depois de três anos, caso ele sobrevivesse a cirurgia.

KATE — “What Kate Did” (Season 2, Episode 9)
Claro que é divertido e até mesmo sexy o fato de Kate ser uma bad-girl com a polícia nas costas, mas afinal de contas como ela chegou a tudo isso? Bom, sabemos que ela matou seu padrasto, que abusava de sua mãe, incendiando a casa em que ele morava e deu à mãe todo o dinheiro do seguro, para que ela conseguisse seguir a vida. Mas, a mãe de Kate não aprendeu a perdoar, desencadeando uma série de ações que acabou pesando nas costas da filha — pesando por suas próprias ações, claro. É também neste episódio que Shannon é baleada e Michael responde as mensagens enviadas pelos sequestradores de Walt, tornando-se um infiltrado na escotilha.

LOCKE — “Walkabout” (Season 1, Episode 4)
É neste episódio que grande parte da audiência de Lost se deu conta de que para cada pergunta respondida, outras três ou quatro são lançadas. Como Locke foi parar no vôo da Oceanic? Fácil! Pegue um cara frustrado, que tyrabalha num escritório, e que quer por que quer fazer um dos chamados “walkabout” para descobrir a si mesmo. Mas, só um segundinho, a trilha era na Austrália e ele estava de cadeira de rodas quando chegou lá. É neste episódio que os roteiristas revelam a quantida de de perguntas que virão pela frente, além de revelações chocantes pq ninguém sabia que Locke era paralítico. Também é neste episódio que conhecemos o amor da vida de Locke, Helen.

MICHAEL — “Three Minutes” (Season 2, Episode 22)
Apesar do flashback deste episódio falar muito mais sobre as habilidade do filho de Michael, é legal ver como Michael se posiciona quanto a isto. Também é interessante pensar como um cara aparentemente bom pode balear duas pessoas (Ana Lucia e Libby) do nada e libertar o até então “Henry Gale.” O que fez com que este personagem se transformasse em um traidor? Os outros, que acabaram levando Michael até seu acampamento para uma pequena reunião com seu filho. Eles concordam com a liberação de Jack, Kate, Sawyer e Hurley, em troca da liberdade de seu filho, que acaba sendo retirado da ilha. Seu filho pode ter a liberdade, mas ele nunca se sentirá livre pelos crimes que cometeu.

SAWYER — “LaFleur” (Season 5, Episode 8)
Já tiveram pencas de episódios bons sobre o Sawyer, tanto que é difícil escolher um. Todos mostravam o quando ele era um oportunista, e o quanto ele ainda paga por suas ações do passado. Mas em “LaFleur” a coisa é meio diferente. Ele mostra como o cara assumiu uma falsa personalidade e virou um bom homem, tomando para si uma poderosa posição entre os da Dharma durante a década de 70. É também neste episódio que descobrimos sobre o relacionamento de James e Juliet, casal que foi deixado pelos seis supostos sobreviventes do acidente de avião. E quando as coisas não poderia estar melhor, o avião da Ajira Flight número 316, traz algumas daquelas pessoas de volta às vidas deles.

SAYID — “The Economist” (Season 4, Episode 3)
Não foi surpresa nenhuma ver que Sayid do futuro trabalhava como assassino. Ele sempre se mostrou como um quebrador de regras. Surpreso mesmo nós ficamos ao descubrir que o cara estava trabalhando para o Ben. É neste episódio que Faraday confirma os diferentes movimentos da ilha, aparecendo e desaparecendo.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER