Luke Cage da Marvel 1×09 — DWYCK

DWYCK trabalha todas as histórias paralelas desenvolvidas até agora, preparando terreno para o fim da temporada.

Ele quer me assar no espeto?” CAGE, Luke

Na verdade ele quer fritar você, tipo um peru!” TEMPLE, Claire

Ao contrário do esperado, os roteiristas surpreendem novamente com um episódio em um formato bem diferente. Ao contrário de termos a fuga de Luke como tema central, vemos Misty tendo que lidar com as consequências de seus atos até agora.

O fato da detetive ter perdido o controle e agredido Claire foi o estopim para que ela fosse colocada em uma sala com um psicólogo. Vamos relevar que nesse caso uma sessão libertadora com o psicólogo é um tanto exagerado, mas de qualquer forma ao menos aprendemos um pouco mais sobre o passado da personagem.

Quem também vai ter que responder por suas ações é Shades. O vilão acabou em maus lençóis com Kid Cascavel após ter manipulado a morte de Cornell. Outro problema no roteiro aqui, é que o chefão do crime em Luke Cage não se deu ao trabalho de aparecer antes para ajudar Cornell e agora chama a atenção de Shades sobre lealdade e amizade. Se lembrarmos o fato de que ele é um megalomaníaco psicótico, essa história até tem fundamento, mas acabou soando como uma desculpa. Por algum motivo ele e Shades precisam se desentender para o desenvolvimento do roteiro, a desculpa acabou tendo que ser essa.

No entanto Shades não desacelerou seus planos com Mariah. Nesse ponto, podemos ver que se algum vilão tiver que sobrar para próximas temporadas da série, ele é o candidato mais forte. Sempre trabalhando nas sobras, fazendo jogo duplo, triplo, Shades parece o tipo de personagem que irá prosperar, por mais que acabe preso.

Kid Cascavel dá um show de descontrole matando grande parte dos cabeças de cada facção criminosa que opera no Harlem, numa demonstração desnecessária de poder que de qualquer forma funciona. O vilão parece não ter aprendido nada com o que aconteceu com Boca de Algodão e está seguindo uma linha de autodestruição similar.

Enquanto isso, Luke em sua busca por uma forma de se livrar de seus ferimentos acaba denegrindo ainda mais sua própria imagem. DWYCK é definitivamente o ponto da série onde as coisas pioram muito antes de começarem a melhorar.

Por causa dos flashbacks da origem dele, sabemos exatamente quem é a pessoa para que Luke acaba recorrendo com a ajuda de Claire. Esse tipo de ligação com base no passado bem elaborada conta pontos de vantagem para o roteiro bem trabalhado da série.

Uma curiosidade sobre a cena do banho de ácido desse episódio é que ele faz referência a história de 1972, onde ferido por Kid Cascavel, Luke pede assistência ao Dr. Burstein que é auxiliado por Claire Temple. No entanto, nas HQ’s a solução encontrada pelo médico é bem menos dolorosa que um banho de ácido.

Não se esqueça de comentar o que achou de DWYCK e deixar uma nota para o episódio em nosso placar. Até a próxima.

[taq_review]

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

The Handmaid's Tale voltou!!! O que rola de novo nesta temporada? Descubra mas SEM SPOILER!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!