Mas, e o American Idol?!

Eu sei que aqui na JukeBox, o assunto é músicas em séries, mas hoje abrirei uma exceção para o reality show musical que encerra sua nona temporada essa semana.

O American Idol 9 começou dando o que falar, sem a jurada veterana Paula Abdul e com a apresentadora Ellen DeGeneres ocupando seu lugar. E agora, chegando ao seu final, podemos analisá-lo de duas formas:

Tudo está bem quando termina bem: Quem segue essa filosofia pode considerar essa uma boa temporada, afinal, temos como finalistas Lee DeWyze e Crystal Bowersox, dois ótimos candidatos e qualquer um que ganhar carregará muito bem o título de Idol.

Tudo está bem quando termina bem uma ova: Ao contrário dos believers aí de cima, para aqueles que adoram todo o percurso, desde o começo até o fim, essa temporada é uma candidata a pior do programa. E como euzinha me encaixo nessa categoria, vou explicar a vocês o porquê essa tinha tudo para ser a melhor temporada do AI, e acabou totalmente diferente.

O COMEÇO:

Com jurados famosos convidados para preencher o lugar deixado por Paula, vimos as fases das audições normalmente, com pessoas talentosas, alguns fiascos, aqueles que vão só para causar e aparecer na TV, aquela coisa típica toda. O especial mesmo foram as carinhas famosas que apareceram por lá, como Katy Perry, Avril Lavigne, Victoria Beckham, Mary J. Blige, Neil Patrick Harris, Joe Jonas, entre outros.

Passadas as audições, fomos para a querida e amada Hollywood Week, onde já começamos a perceber quem tem talento ou não. Confira algumas apresentações:

Janell Wheeler

Didi Benami

Lilly Scott

Estava na cara que esse era o ano das garotas. Até o próprio Simon disse isso! E passada a Hollywood Week, tudo estava bem, afinal o Top 24 era algo imaginável e muito bom, com 12 garotas talentosíssimas e 12 garotos que davam para o gasto.

E quando as apresentações começaram e as eliminações também, nós já sabíamos quem nós queríamos para o Top 12 e quem nós desejávamos nunca mais ver. Quer um exemplo de quem não deveria estar nem no Top 20?

Mas tudo bem, falaremos dele mais tarde.

E assim continuou a jornada, com eliminações justas, como a de Haeley Vaughn, mais conhecida como a garota que assassinou “I Want to Hold your Hand” dos Beattles; e algumas eliminações injustas, como a de Jannel Wheeler (do primeiro vídeo). Mas até aqui, nada era tão chocante. O que pegou mesmo foi na hora de formar o Top 12.

É aqui que o bicho começa a pegar. O primeiro grande choque foi ver Tim Urban entrando para o Top 12 e ocupando o lugar do talentosíssimo Alex Lambert.

Sim, era verdade, Alex Lambert estava fora da competição. Outra pessoa que foi injustamente jogada para fora da competição naquele dia foi Katelyn Apperly, mas a maior supresa e injustiça ainda estava por vir. Quando vimos Ryan chamar ao palco Katie Stevens e Lilly Scott, sendo que uma delas iria embora, era claro, era ÓBVIO, era ATÉ IDIOTAMENTE CERTO que Lilly ficaria e Katie voltaria para casa. Engano nosso. O talento todo de Lilly foi mandado embora naquela noite.

E depois de toda essa tragédia, estava formado um desajeitado Top 12.

E a partir daqui, apesar dos tremendos choques que levamos, tínhamos absoluta certeza que cairiam todos os homens, um por um, e algumas mulheres que roubaram o lugar de Lilly e Katelyn, não é Lacey e Page? ao longo do caminho, mas todos sabíamos que esse ano era das mulheres.

Erramos outra vez.

A primeira a cair fora foi Lacey Brown, a garota de cabelo vermelho aí de cima. Eu até gostava dela, mas não tinha o que os jurados chamam de Idol Material. Já era previsto que ela não durasse muito tempo, mas ainda assim era um choque ver Tim Urban ficando e ela saindo. Mas nós bem sabemos porque ele ficou.

Moving On.

A segunda eliminada teve o que mereceu, pois Paige Miles fez a pior apresentação de Against All Odds (de Phil Collins) que eu já ouvi. Mas também, a garota não pode levar toda culpa, afinal, a mentora da semana foi Hannah Montana Miley Cyrus.

Agora, é aqui que minha revolta começa e esse texto vai totalmente para o lado pessoal: a 10ª eliminada.

Didi Benami era para estar no top 3, ou, pelo menos, top 4. Isso é FATO. A garota que nos emocionou durante as audições com Hey Jude, aquela que colocou “Terrified” no mapa na Hollywood Week (tanto que Katherine McPhee, a primeira a gravar a canção de Kara DioGuardi, recentemente a regravou e vai usá-la como novo single). A mesma que cantou Rhiannon durante a jornada do top 24 e recebeu ótimos comentários de Simon. Sim, ela estava sendo eliminada.

Muitas pessoas (como eu) ficaram indignadas. Muitas mesmo. E é a partir daqui que eu parei de seguir o programa e por isso não posso lhes dar mais detalhes do que vem a seguir, então, o que farei é mostrar a vocês outras apresentações que valem realmente a pena, aquelas que eu pegava vídeos separadamente no youtube. Começando por outra injustiçada no programa:

Siobham Magnus — Eliminada no top 6. Alguns fãs diziam que o top 3 deveria ser formado por Siobhan, Didi e Crystal, a chamada Holy Trinity (Trindade Sagrada), pela amizade e o talento das três.

Katie Stevens — Eliminada juntamente com Andrew no Top 9. Quando a garota estava crescendo, foi eliminada do programa.

Casey James — O eliminado de semana passada, Top 3. Durou até que demais, mas teve boas apresentações. Essa é minha favorita:

E se você está se perguntando “Mas e os outros que não foram mencionados?” Para não ser injusta, colocarei os nomes deles aqui :

Aaron Kelly — Garoto que eu não suportava desde a primeira vez que apareceu, com aquela carinha de geração Justin Bieber.

Andrew Garcia — Amei ele nas audições, depois disso não prestei mais atenção. Como dizem, o lugar dele é no youtube.

Michael Lynche — Sempre fui indiferente a ele.

Tim Urban — Já apareceu por aqui, mas é só para dizer que ele foi eliminado no top 7 tardiamente.

E, finalmente, os finalistas:

Crystal Bowersox

Carinhosamente conhecida como Mammasox — por ser mãe, não só para seu filho, mas por ser uma mãezona para todo mundo — é a favorita desde o começo. Nunca teve uma apresentação altamente criticada, o máximo que já recebeu foi “Essa não foi sua melhor, mas ainda assim muito bom”. É a chance de mostrar que Simon estava certo e esse realmente é o ano das garotas.

Lee Dewyze

Chegou de mansinho com um sorriso tímido. Em suas ultimas apresentações tem mostrado a que veio e torna a final super emocionante pois, definitivamente, não há como saber quem vai levar essa. Pelas repercussões atuais na internet, principalmente no Twitter, Lee está levando a vitória para casa.

E para encerrar esse especial American Idol 9, deixo vocês com a melhor apresentação da temporada.

Eles ahazam, né?

É isso aí pessoal. Então, que vença o mais votado melhor! Até a próxima JukeBox!

UPDATE: A final foi ao ar ontem e nós já temos um vencedor: Lee DeWyze! Como disse no começo do post, qualquer um que ganhasse representaria muito bem o título, mas ontem, depois de uma final com cara de Grammy, a melhor apresentação da temporada veio com a garota que mais tarde ocuparia o segundo lugar:

Sim, eu tenho certeza que ela fará muito sucesso, independente de ter o título de American Idol ou não.

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!