O futuro dos Power Rangers na Hasbro: O que muda?

Anunciada nesta semana, a venda dos Power Rangers para a Hasbro pode indicar um futuro promissor para a franquia.

A era dos heróis no entretenimento está a todo vapor, mas se tem uma franquia que sempre sofreu com a burocracia dos estúdios essa é Power Rangers. A marca criada pela Saban já passou até pelas mãos da Disney, e retornou para casa em 2010. Eis que o grupo de heróis coloridos tem um novo lar: a Hasbro comprou os direitos da marca por US$ 522 milhões – pelo valor, a vontade é grande.

A série Power Rangers completa 25 anos este ano e abrange vários meios, como apontou Goldner em seu comunicado. O recente contrato de filme da Hasbro com a Paramount sugere que um grande relançamento no cinema poderia ser parte dos esforços da empresa para explorar o “potencial total” da marca, como colocou o CEO da Hasbro.

Isso não significa necessariamente aconteceria uma reinicialização dos filmes. O elenco principal do longa de 2017 continua a expressar vontade de retornar aos seus papéis e quase certamente estariam dispostos a fazê-lo, se possível. Ao que indica, os rangers serão a prioridade desse novo acordo:

“Power Rangers é uma marca icônica construída sobre uma grande narrativa e merchandising com um tremendo potencial de vantagem quando executada através do Brand Blueprint. Pouco depois de entrar em nosso acordo de licenciamento, ficou claro que era a hora de começar a investir no potencial total de Power Rangers. Vemos uma oportunidade significativa para os Power Rangers em todo o nosso Plano de Marca, incluindo brinquedos, produtos de consumo, jogos e entretenimento digitais, bem como geograficamente em toda a nossa área de varejo global. Nós não poderíamos estar satisfeitos que Haim Saban continuará no papel de consultoria para guiar ainda mais o nosso desenvolvimento desta valiosa propriedade para a próxima geração de fãs do Power Rangers.”

Brian Goldner – CEO da Hasbro

Além dos Power Rangers, My Pet MonsterPopplesJulius Jr.Luna Petunia Treehouse Detectives, agora pertencem à mesma marca dos Transformers e do G.I. Joe. Imaginem se um novo universo cinematográfico surgir disso tudo…

Alternativamente, a Hasbro pode decidir se concentrar no crescimento da marca Power Ranger em outros meios no futuro, ao invés de se preocupar inicialmente com o futuro da franquia no cinema. De fato, a bilheteria de Power Rangers nunca foi tão rentável e o sucesso se baseia nos seus programas de TV, histórias em quadrinhos e videogames. Talvez por essa razão, Goldner evite mencionar o cinema apenas como uma área em que a Hasbro vê “oportunidade significativa” para o crescimento da marca.

De qualquer maneira, a Paramount está avançando ativamente com outras adaptações de filmes das propriedades da Hasbro, entre eles a adaptação de ROM: o Cavaleiro do Espaço, roteirizado por Zak Penn (Jogador Número 1), e de M.A.S.K., com direção de F. Gary Gray (O Destino dos Furiosos).

Enquanto isso, os Power Rangers continuam no ar com a temporada Super Ninja Steel, e prepara para o ano que vem a nova Power Rangers: Beast Morphers. A nova linha de brinquedos também é esperada para 2019, já com a estampa da Hasbro. O filme de 2017 arrecadou US$ 140 milhões na bilheteria mundial, e apesar no cliffhanger no final, a sequência não foi anunciada – embora ainda haja esperanças devido ao sucesso da venda de produtos (que teve um crescimento de quase 200%).

Sobre o Autor

Leo Sousa

Séries de TV, filmes, realities shows, livros, música e mais. Editor no boxpop.com.br.

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!