O impagável Will Arnett

Ficha Corrida

Nome completo: William Emerson Arnett

Idade: 40 anos

Signo: Touro

Altura: 1,89m

Estado civil: Casado

Série favorita: Law & Order

Time do coração: Toronto Maple Leafs (hóquei no gelo)

Personagem predileto: Gob Bluth de Arrested Development

Twitter: @arnettwill

Esta é a sua vida

Will Arnett nasceu no dia 04 de maio de 1970, em Toronto, no Canadá, filho de Alexandra e E. James Arnett, um advogado corporativo e cervejeiro, entre outras ocupações. Em sua cidade natal, Will estudou em escolas de língua francesa, mas em entrevistas, já revelou que não é exatamente fluente na língua. Na época do colégio, ele era um menino encrenqueiro e chegou a ser expulso de uma escola por causar problemas. Porém, foi na escola pública alternativa Subway Academy II que Will teve a chance de ter aulas no Tarragon Theatre, conhecido por seu apoio a criação de novos trabalhos.

Depois de terminar o colegial, Will até entrou na Universidade Concordia, em Montreal, mas largou depois de um semestre. Foi sua mãe que o encorajou a seguir a carreira de ator e ele começou fazendo testes para comerciais. Convencido de que a vida de ator era realmente o que ele queria fazer, Will mudou-se para Nova Iorque, em 1990, para estudar teatro no Lee Strasberg Theatre and Film Institute.

Assim, após trabalhar em inúmeras peças de teatro na Big Apple, Will começou a atuar em pilotos de séries de TV em 1996. Seu primeiro piloto, Underworld, com Kevin Pollack e sua esposa Lucy Webb na CBS, acabou não vingando. Mas se sua estreia na TV não foi bem-sucedida, o mesmo não se pode dizer do cinema, no qual ele apareceu em dois filmes naquele ano: Close-Up e Um Caípira em Nova York.

A estreia na TV só aconteceu 3 anos depois, com uma participação especial no sucesso da HBO, Sex and the City, no qual ele interpretou um pretendente de Miranda (Cynthia Nixon). Ainda em 1999, Will foi contratado para outro piloto, The Mike O’Malley Show, da NBC, no qual faria parte do elenco fixo. Dessa vez, a série foi escolhida, mas foi cancelada depois de apenas 2 episódios, deixando Arnett sem perspectivas. Posteriormente, o ator confessou que considera o ano de 2000 como o “pior ano de sua vida”, admitindo que “não conseguia muito trabalho” e “bebia muito”.

Com a ajuda de um amigo, Arnett venceu a batalha contra o alcoolismo e assim, pode colocar sua carreira de volta nos trilhos. Mas isso não quer dizer que ele logo encontrou o sucesso. Em 2001, o ator foi contratado para mais um piloto da CBS, Loomis, e mais uma vez, não teve sorte e ele acabou se contentando apenas com uma participação especial em Boston Public. A maré de azar continou em 2002, quando ele foi escalado para seu quarto piloto, a sitcom Still Standing. Dessa vez, a série vingou e teve quatro temporadas, mas o personagem de Arnett foi cortado da série depois do piloto.

Dizem que Arnett ficou tão frustrado com seu quarto fracasso em séries de TV que ele riscou os pilotos de sua carreira, até que seu agente o persuadiu a fazer testes para Arrested Development, em 2003. Como George Oscar “Gob” Bluth II, um dos personagens mais populares da série, Arnett encontrou o sucesso na TV e foi indicado ao Emmy em 2006 na categoria de Ator Coadjuvante. Uma de suas falas — “I made a huge mistake” (Eu cometi um grande erro, em tradução livre) — foi listada entre os 50 melhores bordões da TV.

Infelizmente, Arrested Development foi cancelada depois de três temporadas por conta de sua baixa audiência, apesar da aclamação da crítica e de seus seguidores fiéis. Porém, devido a sua exposição na série, Arnett recebeu mais propostas de trabalhos no cinema em papéis maiores e, apesar de ter trabalhado até então mais como ator dramático, desde que apareceu em Arrested Development, acabou ganhando mais papéis cômicos, frequentemente interpretando antagonistas presunçosos. Mesmo assim, Arnett nunca se considerou um ator de comédia, considerando-se “ator em primeiro lugar.”

O primeiro grande papel de Arnett na tela grande foi em 2006 com Bem-vindo a Prisão, ao lado de Dax Shepard, o Crosby de Parenthood. No ano seguinte, ele participou do sucesso Escorregando para a Glória, filme protagonizado pelo astro Will Ferrell e ainda dublou um dos personagens de A Era do Gelo 2.

Este piloto, de longe, foi o melhor que eu já li — e eu espero que isso insulte todos os outros nos quais eu trabalhei.

(falando sobre o piloto de Arrested Development)

Mas o ator não “abandonou” a TV, não. Ele continuou aparecendo na telinha com participações especiais em séries como King of the Hill e 30 Rock, na qual interpretou Devon Banks, um rival do personagem de Alec Baldwin. Pelo trabalho, Arnett recebeu sua segunda indicação ao Emmy, dessa vez na categoria de Ator Convidado, em 2008.

Os anos seguintes foram bastante produtivos para Arnett no cinema. Ele participou de Os Aloprados, mais uma vez contracenando com Will Ferrell, e das animações Horton e o Mundo dos Quem!, Monstros e Alienígenas e Força G-3D. No início deste ano, Will fez a comédia Quando em Roma ao lado de Kristen Bell e mais uma animação, Meu Malvado Favorito, ao lado de Steve Carell, o Michael Scott de The Office.

De volta a TV, o ator fez uma participação especial em Parks and Recreations e, desde setembro, estrela a nova aposta da Fox, Running Wilde, na qual ele interpreta um homem rico e mimado que tenta ganhar de volta o amor de sua namorada de infância, interpretada por Keri Russell (Felicity). Infelizmente, a série não está muito bem na audiência e seu futuro é bastante incerto.

Por conta de seu vozeirão, Arnett fez vários trabalhos de narração, como promos de séries, trailers de filmes e inúmeros comerciais de TV, sendo o mais reconhecido para marca de carros General Motors. Ele também emprestou sua bela voz para várias séries de TV, como Danny Phantom e Freak Show, o programa animado da Comedy Central, que foi criado por seu ex-colega de Arrested Development David Cross. Em 2007, ele também dublou o personagem Horst, na produção Disney Pixar, Ratatouille.

Will também seria a voz de KITT, o carro “falante” de Knight Rider, na sequência da popular série de TV dos anos 80, Super Máquina. Porém, como o carro da série era da Ford, a produção optou por substitui-lo para evitar problemas com a General Motors, colocando Val Kilmer em seu lugar. Para sua sorte, a série teve apenas 17 epísódios. Além disso, ele também dublou um personagen da comédia da Fox, Sit Down, Shut Up, mas a série não passou da primeira temporada.

Com uma carreira tão movimentada, não é de se estranhar que sua vida pessoal tenha sido mais tranquila. Em 1994, Arnett casou-se com a atriz Penelope Ann Miller (O Pagamento Final), mas o casamento durou apenas um ano. Depois disso, ele namorou outra atriz, Missy Yager, por quatro anos. Eles trabalhavam juntos em The Mike O’Malley Show e se separaram quando a série estreou.

Em 2000, Will começou a namorar a atriz Amy Poehler (Parks and Recreation) e, um ano depois, o casal se mudou para Nova Iorque, quando ela entrou para o elenco de Saturday Night Live. Os dois se casaram em agosto de 2003 e tem dois filhos: Archibald, nascido em outubro de 2008, e Abel, que nasceu em agosto passado. Eles já apareceram juntos na telinha e na telona inúmeras vezes, a mais marcante foi em Arrested Development, quando os dois se casam depois de uma noite de bebedeira.

Atualmente, além de estrelar Running Wilde na Fox, ele também participa de The Increasingly Poor Decisions of Todd Margaret, no canal a cabo IFC. Criada, escrita e protagonizada por David Cross, a série acompanha as estranhas desventuras de um funcionário temporário mentiroso que acaba sendo promovido a vendedor e vai parar em Londres. E é possível que os dois se unam mais uma vez no tão aguardado filme de Arrested Development. Será que um dia ele sai do papel? Só nos resta torcer!

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

VIDEOCAST

Drag Race! Confira a ordem de eliminação das queens da décima temporada.

O Mecanismo: Listamos que personagem representa uma personalidade na vida real na operação Lava Jato.

Precisamos falar sobre Credence, um dos personagens mais profundos que já foram criados por JK Rowling.