O que eu espero da TV em 2014

fim-de-ano

Mais um ano acabando, tempo de renovações, novas esperanças, definição de metas e, principalmente, repetir discursos prontos sobre como o mundo muda completamente na virada de um ano. Como se 31 de dezembro fosse diferente de um 16 de março. Um dia mágico.

Na coluna da semana passada quase comecei a falar das minhas esperanças para o ano que vem. Pontuei o programa de auditório Amor e Sexo como um grande destaque da TV aberta nacional. Ao lado do Esquenta, foi um programa que soube se aproximar do público, falar com ele, sem tentar moldá-lo para um padrão de comportamento mais contido. Que venham mais programas nesse molde, que falam a mesma língua do povo e fale como ele.

Que venham mais micro-séries também. Em 2012 a Globo mandou muito bem com “O Brado Retumbante” e em 2013 com “O Canto da Sereia”. Apesar da data imprópria (janeiro é complicado) e do horário ingrato (depois do BBB), a qualidade da história e da produção foram altíssimas. E não faltam boas obras literárias que possam ser adaptadas, inclusive as juvenis.

Adoraria também ver a queda de dinossauros que já não trazem nada de novo e apostas inusitadas em gente “nova”. Uma das melhores atrações do ano, sem dúvida, foi a participação da Ivete Sangalo no Teleton. Um show de espontaneidade. A baiana conseguiu até remediar alguns foras do Sr. Abravanel, com os patrocinadores e com o neto.

2014 é ano de Copa do Mundo, em junho as tardes e noites terão as grades de programação quebradas pelos jogos que vão acontecer em faixas de horário bem variadas. Alguns capítulos de novelas vão dançar e algumas “janelas” vão surgir entre os jogos para serem preenchidas. A esperança é que esse tempo não seja desperdiçado com um repórter perdido no meio de multidões transformando algumas pessoas em retratos de seus países. Populismo barato não pode ganhar espaço.

Mal acabará a Copa e vão começar as eleições. Espera-se que o jornalismo, não somente da TV, tenha consciência do seu papel, investigando, criticando e conscientizando o povo. Que os candidatos não usem seu tempo para lavar roupa.

E que as emissoras aprendam a se aproximar mais do seu público. Ouvindo-os e dando o que eles querem. Deixando de se guiar pelo IBOPE e fazendo uma programação mais participativa. O que não quer dizer que devam transportar portais de humor em programas de televisão.

Que entendam que é possível analisar a audiência de forma mais qualificada monitorando as redes sociais, afinal, os assuntos mais comentados nelas saem da televisão. A programação dos canais por assinatura, cada vez mais dublada, favorece e muito a segunda tela. Muitas informações preciosas saem dali.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER