O que falta para o The X Factor USA encontrar o seu “Fator X”?

Com a tão aguardada fall season cada vez mais próxima, é normal o aumento das expectativas de tudo que virá a partir de setembro nas emissoras. Um dos shows que a expectativa pré temporada é sempre um frisson, mas que após a sua estreia oficial esse “fogo” logo se abaixa é o The X Factor.

O programa é desenvolvido por Simon Cowell e é sucesso em todos os lugares que passam com suas respectivas versões — destaque mais que merecido para a versão britânica, que lança grandes nomes. Apesar dessa euforia toda, a edição norte americana ainda não mostrou para o que veio, apesar de estar rumo ao seu terceiro ano e já ter sofrido diversas reformulações.

Por conta disso, o Manual Prático dessa semana vai abordar exatamente o que falta para o reality show decolar nos Estados Unidos.

xfactorusa-season2

A bancada como um todo

Por que The Voice dá tanta audiência? Por que American Idol reinou horrores na audiência americana antes de seu declínio nos últimos anos? Simples, a formação da bancada de jurados.

Esse é um fator muito importante, se não um dos mais para que o programa tenha audiência. O formato de The X Factor é bacana e ousado, mas a bancada foi muito sofrível até agora. Tem que ter uma química entre o corpo técnico, uma harmonia única, pois apesar das ideias diferentes e uma certa “concorrência” entre si, o trabalho em conjunto tem que predominar, mesmo que às vezes role algumas trocas de farpas.

Quando a primeira temporada da versão americana estreou, a expectativa principal foi grande por conta de Simon Cowell e Paula Abdul voltarem a dividir a mesma bancada. Só que faltava algo para isso ter se tornado completo: Randy Jackson. O trio reinou durante anos no American Idol, e com certeza a química entre eles era única. É claro que o resultado não foi o esperado, e ainda pra complicar mais teve a conturbada saída da cantora Cheryl Cole, sendo substituída às pressas pela bem sucedida Nicole Scherzinger.

Apresentadores

Um programa de televisão, não importa qual o seu formato, o(a) apresentador(a) é o anfitrião da atração, fazendo com que exija-se da pessoa que está frente as câmeras um carisma para prender o público. De volta às concorrentes, é possível imaginar The Voice sem Carson Daly ou American Idol sem Ryan Seacrest?

É disso que o The X Factor precisa, de alguém que caia no gosto do público. A primeira temporada contou com Steve Jones no comando, que não possuía carisma o suficiente e acabou não agradando. Já o ano seguinte, esse já seria um ponto positivo com Mario Lopez como apresentador, isso quase se tornou um tiro certeiro. O motivo desse quase? Além do carismático artista, foi contratada também para dividir a atração a socialite Khloe Kardashian, que era totalmente o oposto dele.

Agora com apenas Lopez como anfitrião, é capaz do reality finalmente estar perto de encontrar o seu próprio “Fator X”.

TheXFactor-Season3

A escolha de jurados

Para a bancada ter boa química, é preciso também saber escolher o seu corpo de jurados que sejam eles mesmos e que tentem adotar o mínimo possível de esterótipos. Na primeira temporada a única química que havia era entre Paula e Simon, além dela também com Nicole e ponto final.

Na segunda edição a coisa foi mais complexa, pois com a saída de Paula e Nicole foram recrutadas as cantoras Britney Spears e Demi Lovato como substitutas. Quando o anúncio foi feito, as opiniões sobre as contratações foram bem divididas, e a expectativa principalmente em cima da eterna Princesa do Pop eram grandes. Com a tão aguardada estreia a decepção foi evidente logo de cara, pois foi investido milhões para levá-la à atração, e seu desempenho foi decepcionante, marcado por comentários ácidos e suas diversas caras e bocas.

Surpreendentemente na contramão, Demi Lovato que via sua carreira crescer cada vez mais, cativou ao público e ficou marcada principalmente pela sua relação de tapas e beijos com Simon.

Não é a toa que a segunda temporada foi bem inferior, e a saída de Britney foi inevitável. Só que uma coisa bastante lógica e que fez todo sentido acabou pegando muitos de surpresa: a saída de LA Reid. O renomado executivo musical era muito técnico e pouco carismático, levando a crer que ele seria a última maçã podre da franquia norte americana de The X Factor.

Com as duas baixas, os últimos meses levantaram diversas hipóteses para a ocupação dos dois assentos vagos, tendo Hillary Duff, Courtney Love, Jon Bon Jovi e John Mayer como alguns dos possíveis nomes. No fim das contas quem acabou ficando com os postos foram as cantoras Kelly Rowland e Paulina Rubio. Muitos reagiram negativamente em relação principalmente à escolha da popstar mexicana, e ainda há alguns resistentes na história. Já a ex-Destiny’s Child teve uma recepção mais calorosa, principalmente por conta de seu desempenho como jurada na versão britânica da atração.

Reagindo bem ou mal ao que tudo indica, a bancada nunca esteve tão sincronizada e com harmonia como parece agora.

tate-stevens-x-factor

Os participantes

Mesmo que nas fases ao vivo quem define o destino dos participantes é o público, tudo o que acontece antes disso é perante a escolha dos jurados. O item acima se encaixa também a esse, pelo fato de quando as divisões de times são feitas, a responsabilidade é única e exclusiva de cada um deles.

A questão dos participantes é algo muito relevante também pelo reality. Com tantas falhas nas temporadas anteriores, algumas escolhas foram erradas, rendendo finais sem um grande favoritismo pela falta de carisma de alguns deles.

A versão britânica do programa já lançou diversos nomes que se tornaram sucessos mundiais como One Direction, Leona Lewis, Cher Loyd, entre outros, mas na terra do tio Sam as coisas ainda não tiveram o mesmo êxito. Os vencedores das duas primeiras edições, Melanie Amaro e Tate Stevens não decolaram, e os únicos que aparentemente têm chances de ter uma sorte melhor são os grupos Emblem 3 e Fifth Harmony, finalistas presentes no time de Simon na última temporada.

Esse ano os jurados terão que ter melhores percepções, e fazer escolhas mais justas para trazer finalistas fortes para a competição, e fazer deles verdadeiros astros com uma grande carreira pela frente.

The X Factor Season 3 THUMB

Com todos esses itens citados, o programa tem tudo para mostrar a que veio nessa terceira temporada, encontrando finalmente o seu “Fator X”.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER