OITNB 2×08 — Appropriately Sized Pots

Sim, eu sou branca! Já estabelecemos isso, e eu ganhei uma licença também. Parece que o privilégio aos brancos ganhou de novo e, como representante de toda a raça branca, eu gostaria de dizer que eu sinto muito por vocês jamais terem conseguido uma licença, mas eu amo a porra da minha avó. E, sim, ela pode ser um pouquinho branca também, mas ela é uma puta pessoa incrível que está doente e precisa de mim. Então calem essas malditas bocas!” — CHAPMAN, Piper

Appropriately Sized Pots traz uma das histórias que eu mais estava esperando (menos que a da Nicky, apenas) em Orange is The New Black, contando um pouco do passado de Rosa, a senhora com câncer que falou para um adolescente, há alguns episódios, que costumava assaltar bancos. Os flashbacks de Rosa servem pra nos desintoxicar um pouco dos de Cindy, no episódio passado, com um toque bacana de girl power e mais misticismo pro lado latino de Litchfield.

O episódio já começa com o pé no drama, quando Rosa recebe de Healy a notícia de que o Departamento Carcerário não vai bancar a cirurgia que poderia erradicar seu câncer e, após uma conversa rápida e recheada de sarcasmo, temos o primeiro flashback que, para mim, foi um choque. O lapso de tempo é enorme e me fez imaginar há quanto tempo Rosa está presa. Vinte? Trinta anos? Possivelmente. E, de cara, já temos a primeira vítima de sua suposta maldição. Beijou a Rosa depois do assalto? Pode preparar o caixão.

Ao mesmo tempo que acompanhamos o drama de Rosa, temos também o pico de animação de Piper, ao descobrir que, contrariando todas as expectativas, sua licença foi aprovada e ela poderá ver sua avó uma última vez, antes que esta morra. É um antagonismo de emoções interessante retratado no início do episódio, quando temos a tristeza por saber que Rosa irá morrer e a alegria por saber que Piper irá, finalmente, ver sua amada avó.

OITNB2X08

O problema é que essa saída temporária de Piper causa inveja em praticamente todas as presas da penitenciária, que passam a tratá-la como uma pária, exatamente como faziam no início da temporada passada. Quando Piper finalmente se irrita e começa a falar poucas e boas pra geral — só faltou subir na mesa — Crazy Eyes, que a tirou de algumas confusões no passado, é quem surpreendentemente a ataca, lançando uma bola de alguma gosma roxa esquisita em seus lindos cabelinhos loiros. Não evitei a gargalhada no momento, foi o final perfeito para a cena.

De Crazy Eyes para Vee, a megera notou que anda rolando uma movimentação de Gloria e Red pelas suas costas. Esperta e sabendo da fraqueza de Gloria por cigarros, Vee foi lá se fazer de santa de novo e tentar aliciar Gloria para o seu lado. A latina, que não manja muito dos paranauês da politicagem dentro da cadeia, negou Vee mais uma vez e tenta se manter neutra no que ela chamou de guerra entre negras e brancas. O porém é que não vejo uma mobilização forte do lado branco da prisão e as negras estão bastante unidas, mesmo com uma ou outra rusga ali no meio, representada especialmente pela Poussey.

Já Red foi muito esperta ao se livrar das provas de seu contrabando antes do “click” de Caputo. No humor que o moço estava, era bem capaz de ele fazer coisa pior que só devassar uns vasinhos, caso encontrasse algo incriminador por lá. E essa explosão do Caputo culminou na demissão de Fischer, uma das personagens fofas da série. A saída de Fischer serviu de trampolim pra dois momentos interessantes, sendo o primeiro, seu delicioso papo de despedida com Nicky e o segundo, o retorno triunfal de Pornstache — e com mullet! Esse, tenho certeza, voltará insano, com sangue nos olhos contra as presas que causaram sua suspensão.

E, pra concluir, no final do episódio temos, ainda, a inversão de momentos entre Piper e Rosa, a primeira sendo informada que sua avó morreu e ela não poderá vê-la pela última vez, e Rosa tendo um motivo para se alegrar ao saber que o rapaz da quimioterapia está curado. São duas cenas muito bonitas e com um panorama muito bacana por trás dos momentos-chave, as cenas mais marcantes de todo o episódio, sem dúvida.

Um ótimo episódio, com uma backstory forte e Piper voltando para o centro aos pouquinhos: as coisas devem ficar mais intensas daqui pra frente. A volta de Mendez é um tempero bacana pra série, que tem poucos personagens odiáveis no momento e antagonismo é sempre uma coisa que apimenta qualquer história. Fiquei com muita dó de Piper e de Rosa, os dois paralelos do episódio e, como sempre, tenho que ressaltar o ótimo trabalho das atrizes. As duas cenas derradeiras das duas foram de trazer lágrimas aos olhos, e lágrimas por sentimentos diferentes em momentos muito próximos. Jogada de mestre.

Resta agora esperar que virá no arco final da temporada e já começo a prever a abstinência que vai bater forte até a estreia da terceira temporada. Evitar a maratona tem sido um verdadeiro suplício!

Observações:

– Soso fedorenta… hahahha Morri de rir com sua cena de “objeção pacífica” e, principalmente, com Pennsatucky falando na cara dela “VOCÊ ESTÁ FEDENDO!”.

– Senti falta das negras nesse episódio (as outras negras, não a Vee).

– Gosto muito da forma que Piper e Red estão se aproximando.

– Menções a Smurfs, O Sexto Sentido e Mensagem pra Você (no jornalzinho). Achei bacana.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER