Once more, with feeling

Olá para você que é fã de Buffy The Vampire Slayer e na hora que viu o título da JukeBox desta semana já sabia do que se trata. E olá para você que não sabe exatamente o que é Once more, with feeeling, mas entrou para matar a curiosidade.

Para você que não sabe, esse é o título do sétimo episódio da sexta temporada de Buffy. O que tem de especial? Esse é o episódio musical tão bem aclamado da série.

Com todo esse papo do filme de Buffy sem o Joss Whedon rolando por aí, bate aquela nostalgia e a vontade de rever os melhores episódios e, com certeza, esse é um deles (senão o primeiro da lista).

Once more, with feeling foi a primeira tentativa de Joss Whedon de escrever e dirigir um musical. Também foi o episódio mais caro da série e o mais complexo, com mais coadjuvantes e dançarinos. O lado bom é que também foi o mais assistido, o mais bem criticado e sua popularidade foi tão grande que, mesmo depois que a série acabou, o musical ainda chegou a passar em cinemas, convenções e até na ComicCon, com versão “karaokê” para os fãs cantarem junto.

A história do episódio é a seguinte: um demônio chega na cidade e faz com que todo mundo comece a cantar e dançar. No começo não é uma má idéia, afinal quem não gostaria de viver em um musical? Mas depois as pessoas percebem que ela cantam seus maiores segredos e dançam tanto que pegam fogo. É aí que a Scooby Gang aparece para mandar o demônio de volta para o inferno.

E agora chega de blá-bl- blá e vamos rever alguns números musicais:

Going Through the Motions

É a primeira cena do episódio e Buffy já está soltando a voz, cantando como não se sente a mesma pessoa, como antes ela se sentia especial fazendo o que faz, mas agora caiu em uma rotina. Vale ressaltar o lado cômico da cena.

I’ve Got a Theory

A Scooby Gang se reúne para descobrir o que está acontecendo na cidade e, claro, cantam sobre isso. As teorias vão de demônios a coelhos tentando dominar a terra. Definitivamente, a teoria dos coelhos é a melhor.

Under your Spell

A parte romântica do musical fica por conta de Tara e Willow. Uma das maiores surpresas da crítica na época foi a voz da atriz Amber Benson, já que ninguém sabia que ela podia cantar.

I’ll Never Tell

Anya e Xander já estão noivos e começam a cantar sobre quão apaixonados eles são um por outro, mas que existem algumas coisinhas que os incomodam e eles nunca falaram sobre isso.

Rest in Peace

O rock de Spike é direcionado para Buffy, no qual ele pede a ela que o deixe descansar em paz.

What do You Feel

O demônio por trás de tudo isso finalmente aparece e a galera descobre que ele foi invocado por Dawn. O nome do episódio também surge nessa música.

Walk Through the Fire

O pessoal se prepara para salvar Dawn e acabar com o demônio. Buffy aparace por lá sozinha, mas a Scooby Gang e Spike estão a caminho para ajudá-la.

Where do We Go

A música final do episódio vem logo depois da destruição do demônio e todos cantam juntos até Spike se cansar da cena toda e sair de lá. Buffy o segue e eles finalmente ficam juntos na cena final.

E é isso pessoal. O negócio é matar a saudade de Buffy ao estilo Joss Whedon enquanto o filme não sai.

Até a próxima Juke!

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

VIDEOCAST

Drag Race! Confira a ordem de eliminação das queens da décima temporada.

O Mecanismo: Listamos que personagem representa uma personalidade na vida real na operação Lava Jato.

Precisamos falar sobre Credence, um dos personagens mais profundos que já foram criados por JK Rowling.