Os filmes que viraram séries

Se na última sexta-feira o Caio listou aqui os filmes que DEVERIAM virar séries de TV, hoje eu resolvi falar sobre os que VIRARAM de fato.

Pois é, a TV já tentou se aproveitar do sucesso de várias produções cinematográficas para fazer dinheiro fácil e os resultados foram bastante diversos.

Abaixo, a primeira parte da lista de casos notórios e recentes de séries baseadas em filmes. E a gente vai começar pelas más noticias…

O primeiro caso mostra como a ganância pode prejudicar os negócios. Em 2002, o modesto filme Casamento Grego (My Big Fat Greek Wedding) foi uma das maiores bilheterias do ano, um sucesso inesperado para uma comédia despretenciosa escrita e estrelada pela desconhecida Nia Vardalos. A grande sacada do filme era fazer graça com as bizarrices da família grega de Toula (Nia) e as diferenças de seus costumes em relação aos americanos. Basicamente, era um filme simpático de uma piada só!

Não satisfeitos com o sucesso que o filme obteve, os produtores tiveram a brilhante ideia de levar a produção para a TV e fazer “mais algum”, mas convenhamos quantas vezes é possível rir da mesma piada?

Nem a presença da própria Nia Vardalos em My Big Fat Greek Life foi capaz de segurar a audiência e a série foi devidamente cancelada depois de míseros 7 episódios. Bem feito!

Já o fracasso da nossa próxima série também envolve dinheiro, ou mais exatamente, a falta dele.

Terminator, a franquia criada pelo mago dos efeitos especiais James Cameron em 1984 — também responsável pela continuação em 1991 — foi um marco na ficção científica, catapultou Arnold Schwarzenegger ao estrelato e criou uma das frases mais famosas e repetidas da história do cinema (vai dizer que não sabe qual?).

Mas ao transportar essa história para TV em formato de série com 22 episódios por temporada, o pessoal deve ter esquecido de colocar no papel os custos disso tudo e foi aí que começaram os problemas.

Terminator: The Sarah Connor Chronicles — estrelada por Lena Headey (do filme 300) e Summer Glau (Dollhouse) — teve vários cortes de orçamento, que limitaram em muito as cenas de ação e, consequentemente, mudaram o foco da série, centrando mais muito nos dramas de Sarah Connor do que em sua luta contra a Skynet. Para ajudar, os fãs da saga cinematográfica caíram matando em cima das mudanças que a série fez — como mudar a cronologia de alguns acontecimentos, por exemplo — e daí, mesmo com os elogios da crítica, ela acabou sucumbindo e foi cancelada em sua segunda temporada.

Mas por que Hollywood teima em levar filmes para TV? Bom, uma das é o famoso bloqueio criativo que assola as produções americanas e a concorrência cada vez mais voraz no mundo do entretenimento. É muito menos arriscado apostar em algo que já deu certo, certo? Então, dá-lhe adaptações, remakes e spinoffs. Isso ajuda a explicar o caso de Parenthood, filme de Steve Martin de 1989 que acabou de ganhar mais uma adaptação para telinha. Pois é, essa é a segunda vez que Ron Howard leva seu filme para TV. A primeira adaptação rolou logo depois do filme em 1990 e teve apenas 12 episódios. Bom, se mesmo a primeira — que podia se beneficiar da promoção do filme não deu certo — a segunta tentativa, 20 anos depois, mostra que a coisa está realmente feia por lá. Pior, parece que Parenthood de 2010 está seguindo o mesmo caminho que sua antecessora. Pobre Lauren Graham.

Agora se você pensa que essa coisa de tentar fazer dinheiro fácil e driblar a falta de ideias novas é coisa de americano, está enganado. A turma da Rainha também já fez dessas.

Em 1998, Guy Ritchie surpreendeu o mundo com Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes (Lock, Stock and Two Smoking Barrels), um filme recheado de reviravoltas, violência estilizada e humor negro.

Com o sucesso do filme, logo veio a ideia de continuar a história do grupo de jovens trapaceiros que se envolvem meio sem querer com o crime organizado de Londres e assim nasceu Lock Stock…, série lançada em 2000 pelo Channel 4. O piloto foi escrito pelo próprio Guy Ritchie, mas ele logo foi cuidar de Snatch e com isso Lock Stock… foi pro brejo depois de míseros 7 episódios.

Mas não fique triste achando que tudo é fracasso. A TV já obteve ótimos resultados com séries baseadas em filmes. Há inclusive casos de séries que fizeram mais sucesso que os filmes em que elas se basearam. Duvida? Pois fique ligado no Box que semana que vem eu conto para vocês os grandes sucessos da TV que saíram do cinema!

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!