Os melhores realities shows brasileiros

Os Reality Shows ganharam a TV brasileira. Mas qual deles é melhor?

Há mais de dez anos, a maneira de se fazer televisão estava mudando. Muitos alardeavam o declínio da dramaturgia e a crise criativa dos autores. Buscava-se uma nova maneira de se contar histórias, algo que fosse mais real, mais verdadeiro, mais próximo do público. Uma nova produção onde os egos inflados dos artistas dessem lugar ao povo comum, gente como a gente, colocado em situações específicas de convivência e sobrevivência, brigando por um sonho ou por uma quantia em dinheiro [que, para muitos, não deixa de ser um sonho (eu, incluído)]. Nasciam assim, os realities shows.

Em terras brasilis, o formato proliferou nos mais diversos gêneros, desde subcelebridades (o termo mesmo é um retrato fiel do pós-show) se engalfinhando em fazendas fictícias a anônimos comendo olhos-de-cabra em lugarejos inóspitos.

Com a estreia de mais um desses sucessos, a Top5 resolveu elencar os cinco melhores realities shows produzidos no Brasil, ainda que o formato tenha sido importado. Se o seu não estiver entre os mencionados, vá ao nosso confessionário logo após a matéria e escolha o seu indicado para entrar na academia da fama.

5º No Limite — 1ª edição

A música épica de abertura e anônimos jogados em um pedaço isolado da natureza no litoral. Equipes separadas de acordo com os elementos da natureza brigando contra as intempéries da natureza em um ambiente sem os confortos oferecidos pela tecnologia. Um Zeca Camargo sarcástico em diversos momentos e uma prova de degustação pra lá de desconfortável (quem nunca se lembra do olho-de-cabra?). O girl power com as mulheres eliminando todos os homens. E uma vencedora, mulher e gordinha, para coroar a versão brasileira de Survivor. O programa teve outras edições, mas nada tão marcante quanto a primeira.

4º A Fazenda — 5ª edição

A Record continuou sua estratégia de se aproximar da Globo em termos de qualidade, mas tentar manter seu caráter de vanguarda. Apesar de todos os surtos psicóticos de Théo Becker na primeira edição e dos vários barracos entre Monique Evans e Janaína Jacobina na quarta, foi na quinta edição que A Fazenda consolidou seu formato inovador. Ótimo elenco, boas novidades e um domínio melhor das ferramentas de edição ajudaram a fazer desta edição a mais atraente da série. Subcelebridades se digladiam em rede nacional em uma fictícia fazenda. E é justamente essa busca desesperada por mais quinze minutos de fama que rendem os melhores plots do programa. Viviane Araújo, depois de rivalizar com Nicole Bahls, sagrou-se a vencedora.

3º Big Brother Brasil — 1ª edição

Mais de dez edições. É esse o histórico do mais tradicional dos realities shows brasileiro. Um apresentador tarimbado no jornalismo e se arriscando na seara do entretenimento, lançando bordões e discursos conhecidos por qualquer ser nascido nesse país. Participantes descerebrados, investindo muito mais no corpo que na mente, confinados por mais de três meses na casa mais vigiada do Brasil. O recorde mundial de maior votação em um reality show. No entanto, lá no longínquo ano de 2002 que o país conhecia sua primeira versão e elegia um simplório participante, chorando com a ausência de sua boneca, como vencedor.

2º Popstars — edição Rouge

Esqueça tudo o que já ouviu falar de realities shows musicais. Geralmente, o vencedor, ainda mais no Brasil, dificilmente faz sucesso após o programa (Vanessa Jackson e Leandro Lopes mandam um beijo). Mas nem sempre foi assim. Em 2002, a emissora de Sílvio Santos era a maior rival da Globo e se enveredava na produção de shows da vida real. Apostando na busca de talentos desconhecidos, nascia o Popstars, encarregado de formar uma banda pop feminina. O programa deu tão certo que o Rouge, girl band formada no programa, vendeu mais de um milhão de cópias e emplacou sucessos como Ragatanga, Um anjo veio me falar e Não dá pra resistir. Nenhum outro programa brasileiro conseguiu repetir o mesmo feito e colocar seus vencedores em um patamar de sucesso tão alto.

1º Casa dos Artistas — 1ª edição

Só mesmo Sílvio Santos para proporcionar o melhor reality show brasileiro de todos os tempos. Os mais novos não vão se recordar do estouro que foi a estreia da primeira Casa dos Artistas. O programa possui o mesmo formato que o Big Brother. No entanto, é o maior golpe criativo da TV recentemente. A Globo, que pagou um absurdo pelo formato original, ficou a ver navios quando Sílvio lançou primeiro o programa que acompanhava pessoas confinadas em uma casa. Porém, com um diferencial: ao invés dos anônimos, um mar de subcelebridades! O programa rendeu processos ao SBT, mas também segura um grande troféu: a maior audiência da emissora (picos de 55 pontos contra 18 da Globo!). Como esquecer as idas e vindas de Alexandre Frota? Ou o romance entre Supla e Bárbara Paz, a vencedora? Ou o formato das votações com Sílvio direcionando as escolhas? Memorável, emblemático, icônico.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER