Oscar 2018

Oscar 2018: é a vez da diversidade!

Após um ano marcado por denúncias e protestos, Academia acerta nas escolhas e deixa disputa para o Oscar equilibrada.

Sem grandes surpresas, a lista de indicações para a 90ª edição do Oscar veio recheada de grandes títulos – e uma clara mensagem de que é hora de abraçar a diversidade.

A Forma da Água lidera a lista de produções com 13 chances ao prêmio, incluindo melhor filme, melhor diretor (Guillermo del Toro), melhor atriz (Sally Hawkins) e melhor atriz coadjuvante (Octavia Spencer). Dunkirk e Três Anúncios Para Um Crime, que também estão entre os melhores filmes do ano, somam oito e sete indicações, respectivamente. E a disputa se equilibra com os bem comentados Corra!, Lady Bird, The Post, Me Chame Pelo Seu Nome, Trama Fantasma e Destino de Uma Nação.

Como pronunciado pelo presidente da Academia: “Este foi um ano notável para os filmes”, tanto nos bastidores, quanto nas telas. Desde o movimento #OscarSoWhite em 2015, e atualmente com #MeToo e #TimesUp, Hollywood se prontificou pela necessidade de abrir portas para novos e diversos talentos. O resultado é visível neste ano: Jordan Peele (Corra!) é o quinto diretor negro a concorrer ao prêmio, assim como Greta Gerwig (Lady Bird), que é a quinta mulher que compete também na categoria de direção.

Condutas que vão contra a liberdade, tão combatidas nos últimos meses, ficaram prontamente de fora dessa reunião de talentos. Assim como Harvey Weinstein, Brett Ratner e Dustin Hoffman, James Franco não foi contemplado com a indicação por O Artista do Desastre, mesmo após a vitória no Globo de Ouro – que despertou denúncias contra atitudes suas nos bastidores. Christopher Plummer, por outro lado, foi reconhecido por substituir Kevin Spacey em Todo Dinheiro do Mundo, e está entre os melhores atores coadjuvantes.

Contra as probabilidades

O Oscar é uma premiação de histórico, conseguimos, então, prever algumas derrotas, assim como sugerir certas vitórias. Os dois filmes favoritos do ano têm a chance de serem a exceção a regra, ou endossar as tendências sobre os vencedores. A Forma da Água perdeu o SAG Awards de melhor elenco, um dos termômetros em 22 anos que indicam o melhor filme (o mesmo aconteceu com La La Land em 2017, que curiosamente teve o mesmo número de indicações); Três Anúncios Para Um Crime tem destaques em categorias importantes como atriz e roteiro, mas lhe faltou a indicação por melhor diretor para Martin McDonagh, e em 85 anos, apenas dois títulos venceram sem esta indicação. Por fora, corre Dunkirk, que embora tenha a primeira indicação para Christopher Nolan como diretor, não conseguiu colocações nas categorias de performance, o que também é atípico de vencedores como melhor filme.

Os astros que brilharam

Gary Oldman (Destino de Uma Nação), Daniel Day-Lewis (Trama Fantasma), Timothée Chalamet (Me Chame Pelo Seu Nome), Daniel Kaluuya (Corra!) e Denzel Washington (Roman J. Israel, Esq.) foram os eleitos para a categoria de melhor ator. Day Lewis é um forte candidato, com suas três vitórias e o recente anúncio de aposentadoria, mas Oldman também pode sair na frente com sua performance camaleônica como Winston Churchill – será que veremos mais uma versão do ex-Primeiro Ministro britânico ganhando uma premiação?

Meryl Streep (The Post) faz dessa a sua 21ª indicação ao Oscar, mas tem competição equilibrada com Sally Hawkins (A Forma da Água), Frances McDormand (Três Anúncios Para Um Crime), Margot Robbie (Eu, Tonya) e Saoirse Ronan (Lady Bird). McDormand, que interpretou uma mãe em busca de justiça após sua filha ser torturada, abusada e morta, já venceu por Fargo em 1996, e tem levado as demais premiações, o que é um forte indicativo para sua vitória na cerimônia deste ano.

A vez do streaming

Mesmo com seu crescimento notável, redes de streaming já foram negligenciadas em edições passadas pela Academia, mas dessa vez o Oscar reconheceu seu espaço na indústria do entretenimento.

Mudbound – Lágrimas Sobre o Mississipi, da Netflix, foi listado em categorias importantes, como melhor atriz coadjuvante (Mary J. Blige), Melhor Canção Original, e em Fotografia fez história com Rachel Morrison, a primeira mulher indicada nesta categoria.

A comédia romântica Doentes de Amor, que foi distribuído pela Amazon nos Estados Unidos, embora bem avaliado pela crítica, não teve tanto destaque quanto esperado, mas concorre pelo roteiro, assinado por Kumail Nanjiani e Emily V. Gordon.

Super-heróis, galáxias e outras dimensões

Já faz mais de uma década que os heróis se expandiram na TV, e Wolverine será o primeiro a ultrapassar a barreira do Oscar – ou tentar. Logan, a despedida de Hugh Jackman como o mutante da FOX, foi indicado para melhor roteiro adaptado, com Scott Frank, James Mangold e Michael Green dividindo os créditos.

Da mesma marca, mas (por enquanto) não do mesmo estúdio, Guardiões da Galáxia Vol. 2 também está no páreo, concorrendo ao prêmio de Efeitos Visuais. A competição conta com outros blockbusters: Kong – A Ilha da Caveira, Blade Runner 2049, Planeta dos Macacos: A Guerra e Star Wars: Os Últimos Jedi.

O mais recente capítulo da saga da Lucasfilm, inclusive, retorna ao Oscar com mais três chances ao prêmio, e a 51ª indicação para John Williams, na categoria Melhor Trilha Sonora.

O dia foi bom para os blockblusters, mas nem todos foram contemplados. A excluída do ano foi Mulher Maravilha que, mesmo com bom êxito na bilheteria e críticas favoráveis, não teve o suficiente para chegar ao Oscar. O primeiro filme protagonizado por Gal Gadot como Diana Prince teve que dividir o ano com Liga da Justiça, o que o prejudicou na hora da votação dos melhores do ano.

Os esquecidos

Mesmo com toda atenção que recebeu da imprensa americana e os votos confianças para a temporada de premiações, A Batalha dos Sexos não foi incluída nas categorias desta edição. Aposta certa em direção e ator, The Post terá apenas duas chances de vitória, uma delas com Meryl Streep.

O romântico Me Chame Pelo Seu Nome tem Timothée Chalamet na disputa, mas Armie Hammer na categoria principal, Michael Stuhlbarg como coadjuvante, e Luca Guadagnino em direção foram ausência também sentidas pelo público.

Entre as atrizes, as apostas estavam nas estreantes Hong Chau (Pequena Grande Vida) e Tiffany Haddish (Viagem das Garotas) como coadjuvantes.

 

Vamos ter que esperar até o dia 4 de março para conhecer a decisão final da Academia. Quais são suas apostas?

Sobre o Autor

Leo Sousa

Séries de TV, filmes, realities shows, livros, música e mais. Editor no boxpop.com.br.

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

The Handmaid's Tale voltou!!! O que rola de novo nesta temporada? Descubra mas SEM SPOILER!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!