Ousadia do Amor e Sexo é fundamental para a TV brasileira

Amor e Sexo volta patrocinando o fim da caretice… do jeito que os brasileiros merecem.

Chegando em sua nona temporada, o programa Amor e Sexo retornou ontem na tela da Globo com uma missão: depor contra a caretice, cada vez maior no nosso país e representada na nossa TV à exaustão. O sucesso do programa, de audiência e repercussão, não é a toa: existe uma parcela dos telespectadores em buscas de programas ousados. E para o nosso deleite, vai ter um todo sábado, já para esquentar antes de sair pra balada.

O programa, como se sabe, está longe de ser como os finados Ponto Pê, Podsex e Sem Vergonha, todos da MTV. Primeiro porque é mais cedo, logo, menos explícito. Segundo, o programa não se limita a falar só sobre relações sexuais. O Amor e Sexo se expande para falar da vastidão de sentimentos, conflitos, problemas e delícias que a vida amorosa nos proporciona e fez disso uma personalidade única para compor esse show de bom humor.

Em meio a toda essa sacanagem, Fernanda Lima e sua trupe desenvolvem na TV brasileira um trabalho único: o produto que Amor e Sexo vende vai além das risadas, abrangendo debates, discussões e reflexões sobre os nossos tempos. Coisa de gente grande, quase um surto filosófico informal. Na estreia que rolou ontem (23), a atração discutiu o lugar dos nudes na nossa sociedade digital, de como atrapalham ou ajudam na hora da conquista.

O público que já faz isso há tempos ganha a oportunidade de ver na TV o assunto sendo discutido, tendo a chance de se identificar e tirar o assunto da penumbra constatando uma verdade: não devemos nos envergonhar da nossa sexualidade, desejos e vontades. E só a verdade liberta!

Sempre com as boas opiniões da especialista Regina Navarro Lins (autora do best seller A Cama na Varanda), os gracejos de Mariana Santos, José Loretto e Otaviano Costa e os ensinamentos de Xico Sá, o desenrolar natural do papo mais parece uma noite de happy hour no bar da esquina com os amigos. Assim que a gente gosta.

Provando que não ignora nenhuma parcela do seu público, a estreia dessa nova temporada também abordou a diversidade ao promover beijos entre desconhecidos, mas não pense que teve só mano beijando mina. Teve mano e mina, mas teve mina com mina e mano com mano. We’re queer, we’re here. Deal with it!

diversidade amor e sexo

Teve também curiosidades do BDSM e drag queen dublando pela vida e ensinando os boys magia a arte milenar do drag. Tudo tratado da maneira que deve ser: com naturalidade, normalidade e sem aquele medo de estar pisando em ovos. E a TV, que tantas vezes influenciou nosso modo de agir e pensar, não é? Esperamos que o Brasil se torne um dia, um Amor e Sexo da realidade: um espaço aberto, livre, democrático e divertido.

Imperdível para você que tá procurando um frescor inédito na nossa TV, Amor e Sexo vai ao ar todo sábado, logo após o BBB!

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Analisamos o feed de Instagram da dona do pop.

A poc de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!