Outlander 1×05 — Rent

Outlander dá uma aula de história e constrói uma narrativa cada vez mais coerente, sem pressa de errar.

“Você não pode julgar coisas que não conhece — FRASER, Jamie

Se você tivesse o privilégio de conhecer o futuro, quando Pedro Alvares Cabral adentrasse em nossa terrinha você avisaria os índios que aquilo seria a maior furada da vida deles? Impediria o suicídio de Getúlio Vargas? Ou não deixaria os Mamonas Assassinas entrarem no avião? Difícil, né?.

Outlander nos faz pensar em muitas coisas. Por exemplo: como uma mulher do século XX pode se adaptar a um mundo completamente diferente, em que os homens detém de todo o poder e que sua única função é procriar e criar? (que, by the way, ela não pode). Como Claire se movimenta nessa cultura machista é digna de aplauso. Ela, definitivamente, não é perfeita e seus defeitos são evidentes.

Em Rent adentramos nesse mundo hostil e frio. Claire é a única mulher num grupo que tem como função arrecadar dinheiro e, nas horas vagas, atazanar a vida alheia. Não tem jeito, muda a época, os costume, a cultura mas os homens continuam os mesmos. A hostilidade para com ela é nítida e, sinceramente, não sabemos como Claire consegue suportar tudo isso. Conviver com Ned Gowan e Jamie ajuda mas a angústia da personagem é nítida.

Outlander 2014

No inicio fica meio confuso entender o motivo de Dougal arrastar Claire e Jamie para a viagem. Trazer um homem que é procurado por meio mundo não parece ser a coisa mais segura. Se o objetivo fosse somente arrecadar doações entenderíamos, mas não era. Dougal usa Jamie e suas cicatrizes para a causa Jacobina e, assim, tenta formar um exercito pela independência da Escócia.

Saber como, quando e onde as pessoas irão morrer é assustador. Mesmo tendo em mente o plano de escapar dessa realidade, não tem como Claire separar esse conflito mesmo sendo maluca o suficiente para 1) discutir com um homem na frente de todo mundo 2) Acusar Dougal de roubo 3)Não aceitar a comida roubada 4) Tentar devolver a cabrita para uma família cujo o filho passa fome.

Como explicar a presença de Claire? Qual o interesse de Dougal? Sim, ele disse que o conhecimento medicinal dela seria bem aproveitado, mas percebemos que ela dá muito prejuízo. Uma inglesa que não respeitas as regras, desafia a todos e desconhece nenhuma etiqueta. Claire não tem pavor de ser estuprada ou tomar uma facada?.

Bonito ver como a série vai nos levando por caminhos diferentes. Também ficamos irritados com o clã à principio, sem entender o real motivo de tudo aquilo. Claire compreende que a motivação política os torna mais humanos e menos bárbaros. A empatia é imediata. A cena dos meninos defendendo Claire também ajudou né?.

Outlander termina com o primeiro cliffhanger da temporada. Claire vai pensar no marido, confiar no exercito inglês e fugir ou vai assumir que os escoceses conquistaram o seu coração?.

Nas primeiras reviews critiquei o fato dos diálogos em gaélico não terem legenda, estava redondamente enganada. Outlander é todo contado do ponto de vista da protagonista, temos que sentir seu isolamento e desespero nessa empreitada. Colocar a legenda tiraria todo o propósito. Vou ser repetitiva, mas os figurinos são espetaculares. A fotografia também não dá uma bola fora. A qualidade da produção é primorosa.

Que venham os próximos episódios!

E vocês? Curtiram? Então dê a sua nota!

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Será que a Elsa se assumiu lésbica cantando e ninguém percebeu?

Curiosidades de Euphoria, a série BAFOOOO da HBO.

Viajamos no verdadeiro trem do Harry Potter! Na vira real!!! Veja como foi a experiência neste vídeo.

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER