Quem é o assassino de Sharp Objects?

Teorias preenchem a lista de suspeitos dos crimes que aconteceram na misteriosa cidade de Wind Gap, da minissérie Sharp Objects.

Baseada no romance de Gillian Flynn, a minissérie da HBO Objetos Cortantes (ou Sharp Objects) tem deixado a audiência se perguntando o que realmente aconteceu na misteriosa cidade de Wind Gap. A cada episódio, mais perguntas aparecem no ar, do que respostas. Há especulações para todos os lados, mas alguns personagens tem ganhado uma atenção especial, o que nos deixa de olho aberto a cada cena que aparecem para tentarmos desvendar esse mistério.

A essa altura, tudo é possível, e o menor detalhe aponta para a verdade, ou pode ser apenas uma distração.

E pra você, quem é o criminoso de Wind Gap?

Foto: HBO

Alan Crellin

Tudo parece apontar para o “patriarca” da família Crellin e seus suéteres de tom pastéis, ainda mais após o final do episódio três, quando ele soltou um grito silencioso e abafado em punho durante uma onda de frustração. Ainda não sabemos muito sobre o passado de Alan, e como ele se casou com Adora, mas sua vida doméstica não parece tão boa, né? Ele não parece ter uma relação próxima com Amma, e menos ainda com sua esposa, Adora (Clarkson) – eles dormem em quartos separados por um bom tempo – e ele parece apenas se divertir quando está sentado sozinho na sua sala de música, em pose dos seus fones de ouvido. Ele precisa extravasar de tudo que o perturba em casa, e isso talvez se manifeste da pior forma: torturar e matar garotas adolescentes. Pense bem, o assassino tem como alvo meninas em torno da idade de Amma que têm relacionamentos saudáveis ​​e invejáveis ​​com seus pais – algo que ele não tem com a sua filha.

Foto: HBO

Adora Crellin

Deixando as comparações com a mulher de branco de lado, o constante desespero de Adora em impedir Camille de fazer seu trabalho e investigar os assassinatos talvez não seja por conta da sua natureza repressiva, mas sim ao fato de que ela cometeu os assassinatos e não quer que ninguém descubra – principalmente sua filha. Nós já sabemos que Adora tinha relacionamentos maternais com as duas meninas assassinadas, mas talvez os relacionamentos tivessem uma vantagem mais sinistra que levou ela a matá-las. Ou, quem sabe, Adora poderia ser cúmplice por saber dos crimes de seu marido e encobri-lo.

Foto: HBO

Amma e suas amigas

Nunca subestime a força brutal – psicológica e física – de uma adolescente. Ou três adolescentes. Sendo criada em uma família tão repressiva, é de se imaginar que a Amma poderia se rebelar de maneira anormal, para afirmar seu domínio, especialmente quando seu grupo dedicado de amigos está disposto a fazer qualquer coisa por sua abelha rainha.

Foto: HBO

Marian Crellin

Claro, este aqui está realmente em termos de probabilidade – afinal de contas, nós vimos o funeral de Marian – mas não dá para confiar totalmente no potencial de Camille em narrar os fatos por conta do alcoolismo e sua saúde mental um tanto debilitada, por que não considerar a chance de que Marian nunca tenha realmente morrido e Camille esteja confundindo suas memórias com outra garota morta? E se Marian, sabendo muito bem que sua meia-irmã é uma jornalista, começa a matar garotas na esperança de atrair Camille para reencontrá-la? Talvez Adora e Alan estejam cientes de sua existência e tendências violentas, e tentem escondê-la da cidade.

Foto: HBO

Xerife Vickery

Sendo direto, o manda-chuva de Wind Gap parece está jogando contra (ou apenas não é tão bom no seu trabalho). Ele é incapaz de acreditar que os habitantes da cidade são capazes de cometer crimes tão terríveis, evitando a teoria do detetive Richard Willis (Chris Messina) de que as duas meninas assassinadas são ligadas por crimes passionais de pessoas que já a conheciam, se reduzindo a acreditar que forasteiros ou “mexicanos” são responsáveis pelos assassinatos. A aversão de Vickery a investigar minuciosamente todos os ângulos dos crimes, ou usar Willis e Camille como ativos úteis na investigação, pode ser um indicativo de que ele tem algum a esconder. Inclusive, já o vimos provar da força ao usar um alicate, ferramenta usada para torturar Natalie Keene.

Foto: HBO

Bob Nash

Bob é um dos principais suspeitos do caso, sendo descrito pelos vizinhos como “estranho”. Certos aspectos da sua personalidade realmente são indicativos de que ele poderia, sim, ter algum envolvimento com os crimes, como a constante agressividade com suas filhas, e o fato de sua esposa nunca estar por perto (será que ela também está morta?). O álibi de Bob não o abona completamente, já que ele estava supostamente voltando do trabalho, a cerca de uma hora de distância, durante o desaparecimento de Ann. Quem sabe quando Bob realmente saiu do escritório?

Foto: HBO

John Keene

Os espectadores ainda estão conhecendo o irmão de Natalie, John, mas ele ainda se destaca como um dos principais suspeitos dos assassinatos. Não só vimos o adolescente bebendo em bares (ele está tentando afogar sua culpa com bebida?), mas ele também se sentou quando a meia-irmã de Camille, Amma Crellin e seus amigos adulteraram o memorial de Natalie. Mas, em defesa de John, ele também parece muito perdido e deprimido para ficar bem com a perda de sua irmã.

Sobre o Autor

Leo Sousa

Séries de TV, filmes, realities shows, livros, música e mais. Editor no boxpop.com.br.

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!