RuPaul’s Drag Race 7×03 — ShakesQueer

O que faz um episódio de reality show ser bom? A forma como avaliamos um episódio é diferente de séries roteirizadas (embora, não sejamos tolinhos, a edição de reality shows sabe construir linhas de história), deixando claro que, em alguns aspectos, as regras do jogo são diferentes. Em RuPaul’s Drag Race desta semana pudemos ver, mais uma vez, o quanto ter completa consciência do que se faz é benéfico para o programa, que trouxe um dos melhores episódios da temporada.

Começamos com uma jogada esperta da edição mostrando Kennedy Davenport e Jasmine Masters soltando a língua e disparando críticas para as outras queens. O programa é consciente que pra criticar é preciso, pelo menos, sustentar o próprio talento e não se intimida em jogar os holofotes em quem simplesmente tem uma boca grande, exibindo suas contradições.

Mas não foi só isso que ShakesQueer teve. Como o inteligentíssimo nome do episódio nos indica, o desafio da semana foi inspirado na obra de Shakespeare, que fez a primeira referência à palavra drag como um acrônimo para Dressed As a Girl, usada para homens que faziam papeis femininos no teatro. Sim, é chocante isso. E aposto que você não sabia que a cultura drag ia tão longe, não é mesmo?

DEUS EXISTE!

Nessa semana, as queens foram novamente divididas em grupos e tiveram que interpretar duas adaptações das obras de Shakespeare: Romy & Juliet e McBitch (gargalhei um tempão com isso). E permita-me fazer um comentário muito pertinente sobre algo que foi muito consistente no episódio e é visto com frequência nesses sete anos de Drag Race: o uso da linguagem. Quão rico torna-se este programa quando a habilidade para fazer referências externas e contextualizar com o mundo drag está no ápice. Até mesmo o polêmico SheMail é uma gema do programa. Toda a vez que RuPaul e seus roteiristas usam esse tipo de linguagem, eu vejo a substância que a arte drag merece.

Voltando ao episódio:

Max e Kennedy Davenport eram as líderes de suas equipes e ficaram responsáveis por distribuir os papeis e coordenar os ensaios de suas equipes. E se vale o comentário, como nós nunca entendemos os critérios usados para julgar quem ganha o mini desafio da semana, ao menos o programa poderia fazê-los tão divertidos quanto o que assistimos nessa semana.

RuPaul’s Drag Race 7x03 - ShakesQueer

Enquanto Max foi acertadamente estrategista — atitude que a levou à merecida vitória -, Kennedy se importou mais em ser mandona e se impor toda a vez que foi questionada. Principalmente quando os comentários vinham de Violet, que já está coroada como a menos favorita dentre a turma, após ser deixada por último pela segunda vez na escolha de equipes.

Essa má administração do próprio grupo mais do que justificou o desastre de sua apresentação e a ida de Kennedy para o lipsync for your life. Sem nenhuma surpresa, Jasmine também se deu mal e teve que disputar a permanência no programa com sua colega. E é exatamente isso que acontece toda a vez que você tem uma opinião que não se traduz através de suas atitudes. Foi pra casa porque não demonstrou substância. Bianca del Rio não ensinou nada pra vocês ano passado?

Na passarela, Ru pediu para que suas queens usassem barba. E, em algum lugar desse mundo, Milk ficou chateada por ter sido massacrada quando usou uma na temporada anterior. Ao que parece, Ru quis demonstrar como os pelos faciais não são significadores de gênero, uma decisão muito acertada e a grande maioria das competidores chegaram à passarela estonteantes com o figurino, referencial e, principalmente, a feminilidade de sempre, independente da barba. Menção especial para Max e o visual inspirado em Salvador Dali.

Trixie também foi um dos destaques da noite.

Outro aspecto que só colaborou para o episódio desta semana foi a bancada de jurados bastante afiada, principalmente Mel B., que usou sua experiência como jurada em outro programa para fazer apontamentos muito importantes e bastante assertivos. Rolou até um momento muito engraçado quando ela disse que gostou da barba da Jasmine e o silêncio constrangedor tomou conta do estúdio.

Sendo esta a sétima temporada, é esperada uma cobrança maior das competidoras a cada ano. Afinal, há anos de material disponível por aí para que elas saibam o que RuPaul e seu programa cobram em seus desafios. Preparo é o mínimo que se espera. Isso justifica a bronca homérica que RuPaul deu no grupo de Kennedy Davenport. Além de assustadora, Ru estava cheia de razão, não há muito espaço para desculpas e agirem como amadores (embora eu concorde com Jasmine quando ao problema de pele dela, que passou todo o programa com marcas no rosto).

RuPaul’s Drag Race 7x03 - ShakesQueer

Nesse quesito, Pearl demonstrou uma postura mais profissional que as demais ao ouvir as críticas direcionadas a ela. No entanto, me confunde o fato de que pouco tem sido cobrado quando se trata de corte e costura. Até o momento, não houve grandes momentos em que pudemos ver as participantes desta semana trabalhando na montagem de seus figurinos. Não é esse um fator divisor de águas no programa? Por que não o vimos até então?

É justo que essa a cobrança seja direcionada tanto para as queens quanto para a própria RuPaul, que a cada nova temporada precisa elevar o nível do programa em todos os sentidos. Do jeitinho que foi feito com ShakesQueer, que imediatamente se tornou o melhor da temporada.

Incompreendida, Milk azedou.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER