RuPaul’s Drag Race 8×02 — Bitch Perfect

Bitch Perfect é episódio estelar e sinérgico que surpreende em todos os aspectos, mostrando que esta temporada pode se consagrar como uma das melhores.

Durante a sessão de críticas ao desempenho das queens nos desafios de Bitch Perfect, Michelle Visage diz para Acid Betty que ela tem elevado o nível da competição para ela mesma, e que o grande desafio seria manter esse ritmo até o final.

O comentário de Michelle diz muito sobre a competição como um todo. O nível está alto e basta apenas não se equiparar às personalidades e ao nível técnico das concorrentes que em questão de momentos uma competidora se vê no bottom two.

Ao assistirmos à apresentação de Bitch Perfect, é possível perceber com clareza o quão alto é o nível da temporada. Não apenas pudemos ver a dimensão da atual competição, como o número musical foi altamente satisfatório no que diz respeito ao entretenimento.

Talvez o único comentário que possa ser feito sobre o desafio principal é que os membros do grupo Shade Bitches (Chi Chi Devayne, Thorgy Thor, Acid Betty, Naomi Smalls e Dax Exclamationpoint) tiveram mais possibilidades de explorar visualmente suas personagens.

Enquanto isso, as Lady Bitches (Kim Chi, Bob the Drag Queen, Derrick Barry, Cynthia Lee Fontaine, Laila McQueen e Robbie Turner) sumiram sob as perucas loiras e o uniforme colegial. Kim Chi foi a única exceção, porque usou sua falta de habilidade para dançar a seu favor, mas não o suficiente a ponto de evitar as críticas dos jurados.

Por isso não foi estranho ver que praticamente todo o grupo das Lady Bitches foi salvo. Na visão de RuPaul, esteja você no topo ou no fundo, isso significa que ao menos você foi notado. Ao contrário do que aconteceu com quem foi salvo nesta semana.

Bitch Perfect correspondeu o nível de qualidade do elenco apresentando um episódio bastante polido nos quesitos técnicos, oferecendo todos os elementos essenciais em um momento da temporada em que isso não é esperado. Os destaques ficam para os dramas pessoais de Kim Chi, Acid Betty e Dax comentando sobre seus problemas com o peso, enquanto a edição emendava com a declaração de Chi Chi sobre a época em que fazia parte de uma gangue.

Muito diferente do que acontecia na sétima temporada, os problemas pessoais das competidoras surgem com naturalidade e livres de clichês. E isso de fato colabora para a definição de caráter e personalidade de cada uma. É por isso a estreia da Shade Tree não faz sentido algum. Quando trabalhado de forma objetiva, a produção do programa e o elenco estabelecem sinergia suficiente para apresentar um episódio consistente como foi Bitch Perfect.

Claro que Drag Race é sobre edição também. E neste episódio a vimos funcionando em duas frentes. Enquanto a produção investia no clima acirrado entre Chi Chi e Acid Betty, em outro momento, cenas faziam questão de mostrar a inabilidade de Kim Chi com a coreografia.

A diferença entre as duas edições é que a primeira foi usada para incrementar a disputa de personalidades do elenco. Desafios de grupos servem exatamente para isso, além de elevar o estresse e fazer egos colidirem. Já a edição de Kim Chi é inteligente, porque se aproveita de sua vitória no primeiro desafio da temporada. Ela conquistou os holofotes e agora precisa corresponder às expectativas.

Coisa que Laila McQueen não conseguiu junto com Dax Exclamationpoint. Embora ambas não tenham cometido erros grotescos na execução dos desafios da semana, o desempenho de ambas foi opaco, sendo fácil para que o talento de suas concorrentes as atropelassem sem dó.

A redenção poderia ter acontecido durante o lip sync, mas o peso de uma música lendária sucumbiu as duas, que falharam em honrar a música ao proporcionarem uma apresentação que por pouco não se tornou um combate.

Dentre as duas, Laila teve o pior desempenho, seus gestos continham energia demais e beiravam o desespero. Ela teria alguma esperança de sobreviver se não tivesse se despido da forma que fez. A ilusão é parte integrante da arte drag, nós não precisamos ter acesso ao artista que dá vida ao personagem além do que o programa já nos permite ver.

Dax resolveu fazer algo semelhante e causou o mesmo efeito de Laila, conquistando seu passaporte para fora do programa. RuPaul fez certo em aproveitar a oportunidade da dupla eliminação para assustar as competidoras a fazerem o seu melhor e provocar com o retorno de alguma participante.

A parte divertida sobre o mistério deste retorno é que não apenas RuPaul trará de volta alguém. Mas que essa drag queen é possivelmente alguém que tenha o mesmo calibre das competidoras da atual temporada. E não seria impossível que esse alguém viesse de outras temporadas, dado que seria muito óbvio trazer de volta a primeira eliminada.

Sem contar que é contraditório trazer Naysha Lopez de volta porque ela também não está mais no mesmo nível de competição do programa. E RuPaul deixou bem claro neste episódio que brincar em serviço não será tolerado.

Confira abaixo uma crítica individual às drag queens da temporada:

Acid Betty

Foi a que teve o melhor desempenho. Embora tenha recebido críticas sobre alguns aspectos do vestido, nenhum desses apontamentos deveria ter tirado dela a vitória. Acid Betty combinou energia e criatividade resultando em um desempenho que deveria ter sido melhor reconhecido.

Bob the Drag Queen

Embora ela seja ótima para o humor, infelizmente Bob brilha mais nos bastidores do que nos desafios. Ser salva pela segunda vez mostra que ela precisa se destacar mais nos próximos desafios, embora ela tenha mostrado energia durante a dublagem e um bom visual na passarela.

Chi Chi Devayne

O visual simples e a liderança rígida deveriam ser motivos fortes para não torná-la vencedora da semana. Não que ela não tenha méritos no desafio. A coreografia criada — na maior — parte por ela elevou o desempenho do seu grupo sem deixar que ela se apagasse nele.

Cynthia Lee Fontaine

Como líder do grupo, Cynthia desapareceu junto com todos seus membros de uma forma que é quase impossível criticá-la. Na passarela, o vestido usado estava bom, mas o penteado era simples demais.

Dax Exclamationpoint

A razão pela qual Dax foi parar no botton two foi a falta de comprometimento consigo mesma. Ela não se permitiu explorar todo o potencial, mesmo tendo como colegas as maiores personalidades. Foi fácil parecer desleixada no meio de tanto talento.

Derrick Barry

Foi perceptível o esforço dela pra não parecer a Britney o tempo todo mesmo quando usava roupa de colegial. No entanto, nem sempre isso foi possível, dá pra ver bem que ela é tão moldada pra ser Britney que os gestos provocam a lembrança. Derrick tem esse desafio pela frente ao mesmo tempo em que precisa dançar melhor, porque mesmo este sendo o trabalho dela, seus movimentos não parecem tão naturais e isso ficou visível no desafio da semana.

Kim Chi

Tendo ciência de quais são as habilidades que não possui, Kim Chi usou da astúcia pra esconder um pouco suas falhas no desafio principal. Porém, apesar do visual impecável na passarela, o já criticado caminhar não sofreu alteração. Pelas entrevistas e comentários dá pra ver que ela sofre com falta de confiança, e se quiser seguir em frente terá que desabrochar logo.

Laila Mcqueen

Vinda de um lip sync na semana anterior, Laila deveria ter tido muito mais empenho no desafio desta semana. Mas suas tentativas de provar algo para os juízes, falharam na escolha do figurino para a passarela — não era exatamente ruim, mas ao apostar em apenas uma cor e uma peruca que cobria seu rosto, Laila desapareceu (de novo), sobrando o desespero para seu segundo, e último, lip sync.

Naomi Smalls

Naomi tirou proveito tanto do desafio principal quando da passarela. Enquanto membro do grupo Shady Bitches, Naomi mostrou versatilidade e energia ao mesmo tempo que ressaltou seu melhor traço: as pernas. Na passarela, o visual reafirmava seu estilo top model.

Robbie Turner

Assim como suas colegas de grupo, Robbie esteve bastante apagada durante o desafio. Seu desempenho na passarela só agrava sua situação no programa. Novamente, Robbie escolhe um visual de época. É normal querer reforçar seu estilo, ruim é não mostrar versatilidade.

Thorgy Thor

Comparado com o desempenho da semana passada, Thorgy Thor mostrou ascensão clara. Bastante participativa com o grupo e cheia de ideias criativas, Thorgy pode ser competição direta para Acid Betty com a vantagem de não ser tão difícil de lidar com trabalhos em grupo. Seu visual na passarela foi simples de entender e ela entrou no personagem do começo ao fim.

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER