Shadowhunters 1×01 — The Mortal Cup

Com um piloto fraco e confuso, Shadowhunters tem apelo maior apenas para os fãs dos livros de Cassandra Clare.

Você é uma Shadowhunter, Clary” — ÓBVIO, Jace

E então Shadowhunters finalmente estreou, para a alegria de uns e tristeza de outros. A Freeform (antiga ABC Family) com certeza ficou muito feliz, foi sua melhor estreia em audiência dos últimos 2 anos, com uma demo de 0,8, atingindo cerca de 1,82 milhões de pessoas. E com a exibição mundial no dia seguinte pela Netflix, parece que os números da série serão muito bons.

Mantendo em mente a palavra “adaptação”, o piloto foi razoavelmente apresentado. Quem não leu os livros pode ter tido certa dificuldade de entender o raciocínio lógico da série, e considerando algumas falhas de roteiro, pode não ter agradado muito. Enquanto isso, quem leu pode estar se enganando que gostou muito ou pode estar aí nas redes sociais expressando sua opinião.

Não é que ficou ruim, mas com certeza poderia ter sido melhor, e talvez com mais episódios seja mais fácil de aceitar as mudanças com relação à história original. A questão é que a série de 6 livros de Cassandra Clare é muito rica em ação e detalhes, e baseia-se inteiramente na personalidade de Clary e na interação entre os personagens para manter o ritmo da história, o que não foi transportado para as telinhas.

Shadowhunters-1x01-Clary e Simon

Luke não tem uma biblioteca, mas é um detetive que trabalha com uma nova personagem, a Capitã Vargas, e os demônios não estão apenas tentando matar humanos, mas parecem ter um esquema de drenagem de sangue para algum fim obscuro.

A vizinha vidente de Clary, Dot (Dorothea nos livros), é bem mais nova, e ao invés de ter sua própria casa dedicada às artes ocultas, vende objetos junto com Jocelyn, mãe de Clary, que não é uma pintora profissional — se é que podemos dizer que ela era isso nos livros.

Maureen de repente faz parte da história, talvez para ser mais fácil explicar o que acontece no seu futuro — essa parte realmente não me incomodou, até gostei dela.

Já vimos que efeitos especiais não são bem o forte de Shadowhunters, são fortes candidatos ao selo OUAT — sério gente, assistam The Shannara Chronicles e aprendam como se faz!

Os atores fizeram um trabalho mediano, e Simon (Alberto Rosende) foi o melhor do grupo. A Clary de Katherine McNamara até teve algumas boas falas, porém a qualidade de interpretação da atriz deixou MUITO a desejar. Dominic Sherwood entrega um Jace muito superficial para um personagem com tantas camadas a serem desfeitas ao longo da jornada, e ele e Clary tem absolutamente ZERO química. Sério produção, tem que fazer melhor esses testes aí! Apesar do filme Os Instrumentos Mortais — Cidade dos Ossos ter sido um grande flop, não dá pra negar que seu casal principal tinha uma química muito melhor do que o casal da série.

clary and jace

Alec e Isabelle estão mais em linha com seus personagens, Matthew Daddario está no mesmo lugar incerto que Alec em Cidade dos Ossos, e Emeraude Toubia só apareceu sendo linda, o que é basicamente o que Izzy faz no início. O Instituto de Nova York também está muito mais cheio do que deveria ser, o que quebra um pouco o tom da aventura solitária dos herois.

A única parte que realmente ficou forçada foi o “portal” criado por Dot para transportar Clary para a delegacia, onde a garota escuta o diálogo de Luke com os enviados de Valentim. O vilão, aliás, deixou muito a desejar, não vi nada da personalidade fria e calculista por enquanto, apenas uma cara de louco e obsessão pela ex.

Resumindo, Clary não só precisa lutar contra os demônios e recuperar as memórias apagadas por Magnus Bane para reencontrar sua mãe, ela também tem a ajuda de um colar mágico (!!) e ainda precisa acabar com o crime organizado das criaturas do submundo. Os flashbacks atrapalharam mais do que ajudaram, deixando informações perdidas, e alguns demônios parecem ter saído dos episódios de Buffy, a Caça Vampiros.

Com um roteiro falho, o piloto deixou muito a desejar, mas ainda há esperança de que o elenco tenha interações mais desenvolvidas e apareça uma química entre Clace. Se for seguido por episódios melhores, ainda pode apresentar uma boa temporada. Oremos.

Na promo da próxima semana, Clary deve visitar a Cidade dos Ossos para recuperar a memória, e parece já descobrir a verdadeira identidade de seu pai.

Não esqueça de dar as estrelinhas que esse episódio merece — ou não — abaixo, e comente com a gente o que achou do piloto de Shadowhunters.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER