Sobre a ilusão de Perfect Illusion

#GONGSHOW solta o verbo e fala sobre Perfect Illusion, o novo single de Lady Gaga.

Hello, hello, hello. Chegando mais arrasador que Mamma Ru ao receber seu Emmy com um terno rosa e de bolinhas brancas, a sua, a minha, a nossa #GONGSHOW está no ar. E hoje a gente tá mais polêmico que as fotos da Mulher Melão que ela afirma não ter photoshop.

E daí que o mundo pop entrou em colapso da semana passada quando a Mãe Monstro anunciou que lançaria um novo single. Indícios de uma possível invasão alienígena e de que o fim do mundo poderia estar próximo pulularam na internet após a declaração de Lady Gaga.

Os little monster, tão irritantes quanto fã de Supernatural tentando provar que a série é boa, começaram saudar o ressurgimento de seu ídolo maior como se fosse uma nova aparição de Maria ou de alguma entidade metafísica pronta para explicar aos seres humanos o significado de sua mortal existência.

Com o elucidativo nome de Perfect Illusion estava na cara que tudo poderia se tratar de um embuste, uma perfeita ilusão. Conhecendo Gaga, era evidente que seria obra do muito barulho por nada. E não é que eu estava certo?

Assim que foi lançado, os iludidos de plantão saudaram a música como um dos adventos da nova era. Eu o saudei como o que de fato a canção é: um pop farofa da pior categoria. Gente, como é que a galera achou aquilo bom? Onde é que está o senso crítico? Anda acho que eles são afetados pela síndrome das cantoras pops onde tudo o que elas fazem são chamados de lacres.

Antes de descermos a lenha na música nova, é preciso reconhecer algumas qualidades de Gaga. Sim, ela tem uma voz extremamente potente e já provou isso diversas vezes. Sim, ela soube incursionar pelo jazz quando sacou que seu pop não fazia lá tanto sucesso (Aguilera precisa sacar isso logo também; Britney idem). Sim, ela ganhou um Globo de Ouro por American Horror Story (nenhuma surpresa. Depois que a CW levou um, qualquer um tá ganhando). Mas sobre o novo single

Perfect Illusion parece sobre de estúdio de Born this way que Gaga teve a ousadia de dizer que era a obra fundamental do pop. Insira aqui seus risos sinceros. Aquela vibe oitentista do álbum é retomado aqui de forma ainda pior.

Sabe aquelas boas músicas pops dos anos 80? Esqueça, porque a nova da Gaga é apenas uma sombra distorcida daquela coisa boa das pistas de dança. E, mais uma vez, uma música da Gaga evoca outra canção de Madonna. Born this way já fazia isso com Express Yourself e titia Madge aproveitou para escancarar isso na turnê MDNA. Agora a elegida é Papa don’t preach. Por todo o tempo, a clássica de Madonna ecoa ao longo de Perfect Illusion.

O problema é que a música tinha tudo pra dar certo, dada as pessoas envolvidas da empreitada: Mark Ronson, que produziu Amy Winehouse e fez o hit “Uptown funk”; Kevin Parker, líder do Tame Impala e BloodPop, coprodutor e coautor de “Sorry”, de Bieber. Mas deu muito errado.

Cara, a canção tem pouco mais de três minutos e quando a ouvi pela primeira vez achei que tinha caído em uma fenda no espaço-tempo na qual ficava em um looping infinito de tão interminável que parecia. Não acaba nunca. E ela fica repetindo o refrão a partir dos trinta segundos. Repetindo aos berros, que alguém teve a insanidade de dizer que é rock.

Alguém da internet lembrou que a temática da música é parecida com Cilada, do Molejão. Mas o grupo do Andrezão tinha mais originalidade. E ainda vão dizer que Gaga não é obrigada a seguir critérios de gente que pensa pequeno e não tem mente aberta pra entender suas escolhas musicais. Aham.

O fato é que Perfect Illusion decepcionou demais e não agradou ninguém. Exceto os fãs. Mas fã é fã. E quando se trata de Lady Gaga, aceitam qualquer coisa. Até um CD chamado ARTPOP que não era nem arte, nem pop. Vai entender.

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

The Handmaid's Tale voltou!!! O que rola de novo nesta temporada? Descubra mas SEM SPOILER!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!