South Park: A cidade dos amaldiçoados

Quem poderia imaginar que quatro garotos da escola primária de uma cidadezinha no Colorado poderiam causar tamanho alvoroço?

Quando Trey Parker e Matt Stone criaram Stan, Kyle, Cartman e Kenny, poderiam esperar por sucesso, mas nem de longe imaginavam a proporção que as desventuras de seus meninos boca-sujas tomariam.

Desde a concepção South Park era polêmico, não apresentava pudores e nem se deixava afetar pelos movimentos das senhorinhas por uma TV politicamente correta.

South Park simplesmente esbanjava palavrões a torto e a direto, jogava na cara da audiência seu humor extremamente negro, que por vezes beirava o extremismo. Conforme os quatro amigos e os demais habitantes daquela cidadezinha construíam sua mitologia, angariavam mais e mais seguidores.

A liberdade de expressão estava de volta, sem censura, sem controle. Um mundo novo, onde críticas políticas e religiosas totalmente abertas eram fartas e desmedidas.

Nunca faltariam piadas sobre os presidentes das mais diversas nações (até o nosso “companheiro” apareceu por lá), sobre as celebridades e sobre as maiores perversões do ser humano. Tudo era abundante.

E o que antes fora sua maior arma, tornou-se o maior de seus problemas: as piadas acabaram recorrentes demais. Nessas 14 temporadas, tudo o que temos visto é sempre um pouco mais do mesmo. Sempre as mesmas críticas políticas, as mesmas piadas com divindades, as mesmas piadas com canadenses e flatulências.

Um exemplo de repetição ao extremo, é o fato de Kenny morrer em praticamente todo episódio, seguido do famoso jargão: “Oh my God, they killed Kenny. You bastard”. Isso surgiu já no primeiro episódio e tornou-se extremamente

popular desde então. Depois de algumas temporadas, a cena já não tinha o mesmo apelo junto ao público e, sabiamente, os produtores resolveram usar desse recurso com mais escassez nas últimas temporadas.

Falando em Kenny, já explico que, ao contrário do que muitos pensavam (ou ainda pensam), ele não usa um escafandro, aquilo é a touca de sua jaqueta laranja de frio, que ele usa fechada cobrindo quase todo o rosto. E é por isso que toda vez que ele diz algo escutamos apenas alguns grunhidos abafados.

South Park já não é o mesmo, isso é fato. Não há como negar a comoção que as primeiras temporadas causaram e que seu “diálogo aberto” influenciou muitos outros produtos na TV, mas após tantas temporadas, a audiência ficou um pouco desgastada e as tentativas de renovação parecem não ser tão efetivas. Ainda assim, South Park continua sendo a produção de maior “prestígio” da Comedy Central, contando com aqueles que continuam a assitir pelo simples costume.

Se quiser conferir por sí mesmo e ver no que dá, os episódios completos das 14 temporadas estão disponíveis (em inglês) no site do South Park Studios.

Sobre o Autor

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Personagem afeminado de Cavaleiros do Zodíaco será mulher em remake da Netflix.

Confira o que achamos da versão ilustrada de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban em português.

Wanessa tá de clipe novo. E o clipe define o que "é ruim mas é bom".

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!