Spotlight revive o jornalismo e aborda escândalo religioso

Spotlight expõe sem medo a questão da pedofilia na igreja católica, e mostra jornalistas como heróis ajudando as vítimas dos mais de 70 padres acusados.

É preciso uma vila para criar uma criança, é preciso uma vila para abusar dela. Essa é a verdade.” — GARABEDIAN, Mitchell

Spotlight — Segredos Revelados é baseado em fatos reais e pode ser o novo queridinho do Oscar, já tendo sido indicado como melhor filme para o Globo de Ouro. A história segue um grupo de jornalistas que investiga casos de pedofilia cometidos por padres em Boston, que não mede esforços para expor a verdade para os leitores do Boston Globe.

Quando o novo editor Marty Baron (Liev Schreiber) chega à redação questionando a falta de investigação de um caso relacionado à pedofilia cometida por um padre, a equipe de Robby Robinson (Michael Keaton), conhecida como Spotlight, assume a tarefa de pesquisar o assunto mais a fundo. Os jornalistas Mike Rezendes (Mark Ruffalo), Sacha Pfeiffer (Rachel McAdams) e Matt Carroll (Brian d’Arcy James) começam a pesquisar matérias já feitas pelo jornal e procurar pessoas que estiveram envolvidas nos casos, descobrindo um número cada vez maior de vítimas e padres envolvidos.

É assustador perceber a influência da igreja na cidade, mais ainda quando lembramos que o que está sendo retratado acontece não só em Boston como em muitas outras cidades do mundo e que tudo isso provavelmente continua sendo acobertado pelas mesmas razões que tinham sido até então. Ponto positivo para o cinema que discute essa questão na mesma época em que As Sufragistas aborda o início do movimento feminista no século XX, dois tabus que demoraram muito para sequer terem sua existência reconhecida.

Passamos uma boa parte da história achando que talvez Ben Bradlee Jr. (John Slattery) fosse o culpado por não expor as questões que já tinham sido levadas ao jornal anos atrás, até descobrimos que quem ignorou tudo foi na verdade Robby, que passa por um óbvio conflito interno ao perceber a gravidade das informações que foram deixadas de lado. É interessante como a perspectiva de uma pessoa de fora mudou tudo, já que ele não viu importância na história até receber o direcionamento para isso.

Tom McCarthy faz um ótimo trabalho como diretor e roteirista, e não é possível destacar uma estrela entre o elenco de peso, já que todos trabalham como uma verdadeira equipe.

Os jornalistas que inspiraram a história estiveram presentes nas filmagens, e o verdadeiro Walter ‘Robby’ Robinson ficou assustadíssimo com a semelhança com que Michael Keaton o interpretou. O ator chegou a se mudar para perto do jornalista e estudou vídeos e áudios do mesmo antes de conhecê-lo, deixando-o assustado quando isso finalmente aconteceu. Ele afirmou que “minha persona foi sequestrada. Se Michael Keaton roubasse um banco, a polícia rapidamente iria me colocar algemas.”

Mark Ruffalo também estudou Mike Rezendes de perto, usando um gravador para tentar se aproximar da sua entonação e pedindo para ele recitar as falas durante os intervalos das gravações. Não dá pra dizer que o elenco não se comprometeu com seus personagens, não é mesmo?

spotlight-atores-jornalistas

O advogado Mitchell Garabedian foi o mocinho da história, tendo representado diversos casos das vítimas e tentado de todas as maneiras expor o caso sem prejudicar seus clientes. A atuação de Stanley Tucci também merece destaque, conseguindo mostrar a dificuldade da profissão de conseguir justiça quando necessário.

Spotlight também aborda de maneira sutil a decadência do jornalismo impresso, que continua em crise com redações cada vez menores. No entanto, deixa claro o apelo para a importância da profissão, sendo bem difícil não se emocionar quando a matéria é publicada — esse trabalho jamais deve perder seu lugar, por mais digitalizado que o mundo se torne. Ainda que possa ser uma visão romântica, todo escritor gosta de acreditar que suas palavras fazem mais do que apenas informar.

Considerando todas as questões abordadas por Spotlight e a qualidade do trabalho entregue pelo diretor e elenco, não será nenhuma surpresa se o filme aparecer na lista do Oscar ou quando começar a acumular estatuetas. Que sirva também para a discussão e exposição do tema, sempre tratado com receio por contrariar uma instituição milenar tão enraizada principalmente no Brasil. E prestem atenção nos créditos finais, várias cidades brasileiras, como Franca e Mariana, aparecem na lista de lugares onde escândalos parecidos foram descobertos.

Spotlight estreia no Brasil nessa sexta feira, dia 8 de janeiro.

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER