Supergirl 1×09 — Blood Bonds

Independente de qual planeta você venha, Blood Bonds é a prova de que todo mundo tem problemas familiares.

E se eu não for tão diferente?” — DANVERS, Kara

“Você tem que ser Kara. Por que se não for, perderemos.” — SCHOTT, Winn

Família é um bicho complicado em qualquer planeta, não é verdade? Por mais que você tente fugir de tudo relacionado à esse laço, chega um momento que você tem que enfrentar sua verdadeira família.

Por anos Kara achou que a única família de Krypton que lhe restou foi o Clark. Com a aparição de sua tia, sua vida virou mais uma vez de cabeça para baixo. Tia Astra mexe com os sentimentos de Kara e faz com que ela chegue até a se descontrolar. Querendo ou não, o laço que ela criou com a tia em Krypton continua firme e forme, caso contrário ela não se afetaria tanto com os métodos do General Lane para fazer a tia falar.

Blood Bonds foi mais um daqueles episódios em que você não quer piscar com medo de perder alguma coisa interessante. Tudo que envolve a destruição de Krypton ainda está um pouco confuso, mas por sorte, a cada episódio que passa temos algumas respostas totalmente diferentes do que o esperado.

Supergirl 1x9

Se o episódio passado deu a entender que Alura não era a pessoa que Kara pensava ser, em Blood Bonds foi esclarecido que ela era sim e, de um jeito torto, os laços familiares permaneceram quando ela disse que tinha fé na irmã.

Mas ainda fica a pergunta: O que de tão grave aconteceu a ponto de Krypton explodir? Foi muito questionado o caráter das pessoas, com o argumento de que elas próprias não entendiam como o mundo funcionava e que acabariam destruindo o próprio planeta. Mas o que desencadeou isso? E, se Astra estiver certa, o que poderá desencadear isso na Terra?

No caso terrestre a resposta pode ser a mais simples possível: Max Lord.

Ele tem uma empresa tecnológica avançadíssima. Ele encobre que alienígenas brigaram com humanos na sua empresa. Ele ameaça e bate em pessoas que invadem a sua empresa. Ela pega ex-vilãs em coma para experimentos. Ele quer saber a identidade secreta da Supergirl.

Aos poucos vão mostrando como Max é perigoso e dissimulado, e do que ele é capaz de fazer para… Ficar no poder? Mostrar que a Terra é dos humanos e que alienígenas não tem vez? Que ninguém de capa vai ficar sendo considerado herói? Independente de quais sejam seus reais motivos, com toda tecnologia que ele tem, dá para destruir um planeta facilmente sim. E também dá para transformá-lo em um excelente vilão.

Ainda bem que Max não gosta de alienígenas e Non não gosta de humanos, caso contrário seria uma aliança choque de monstros, pois está claro que vai chegar um momento que Non vai se rebelar contra a Astra, tendo em vista que o amor da tia pela Garota de Aço ainda a afeta, e isso com toda certeza vai prejudicar os planos futuros de “salvar” a Terra.

Existem séries que ganham o público pela história. Os enredos cheios de reviravoltas fazem com que as pessoas nem pisquem e sofram a cada episódio. Outras séries prendem o público pelo casal. Já Supergirl, que tem uma boa história e, se tivermos sorte, não vão aprofundar em um romance tão cedo, nós temos a sorte de ter algo precioso e extremamente importante que é a relação de Cat Grant com Kara Danvers aka Supergirl.

Foi registrado aqui o receio por, em oito episódios, Cat ter descoberto sozinha somente juntando as peças do quebra-cabeça que Kara é a Supergirl.

O receio era pelos produtores não desenvolverem dignamente a história ou a série perder toda a interação que Kara e Cat tem, todo o laço que elas vêm criando de confiança, admiração e, por que não, amizade? E, mais uma vez, a série tomou um rumo totalmente fora do esperado.

Como fazer entrar na cabeça da maior jornalista do mundo (desculpa Lois) que você é só a assistente e não a super-heroína que ela adotou como sua? Em todo episódio parecia uma missão impossível.

A esperteza de Cat causava tanta aflição que sempre que ela chamava Kara para uma conversa era de se esperar que ela fizesse alguma pegadinha só para a Garota de Aço revelar seus poderes e ela dizer que ela estava certa. Por sorte, Cat não tem esse nível meio Lex Luthor (Smallville) de tentar descobrir a todo custo uma identidade, independente de quem saia machucado no meio do caminho.

Acredito que até agora uma das cenas mais comoventes foi Kara dizendo que o emprego na CatCo importava muito para ela e um dos principais motivos era a Cat. Assim como foi importante ver a magnata da mídia sentindo falta de sua assistente com um bônus dela dizendo que era completamente errado a Kara trabalhar pra ela quando tinha gente correndo perigo por ai.

Citando Smallville mais uma vez, Cat colocando quem precisava de ajuda acima das suas necessidades e abrindo mão de sua assistente para que ela pudesse salvar a cidade em tempo integral, lembrou muito Lois abrindo mão de ser feliz ao lado de Clark para que ele pudesse focar somente em salvar a cidade também.

Essa atitude de Cat trouxe muito mais do caráter dela e do quanto ela se importa com a cidade e admira todo o trabalho que a Supergirl faz. Que ela pode ter “adotado” a Garota de Aço, mas ela não tem aquela possessividade de que “ela é minha heroína, vocês que continuem correndo perigo. Primeiro eu, depois vocês”. Algo que eu acho fundamental em uma série de heróis.

De tudo que tem em Supergirl e de tudo que tem nas outras séries, nada chega perto desse relacionamento da Kara com a Cat. É algo que está sendo desenvolvido com um cuidado fora do comum e causa infinitos tipos de reações e sentimentos para quem assiste.

Pode ser por causa da química que Melissa e Calista tem. Pode ser por causa do roteiro que ajuda muito a apreciar cada cena das duas ou pode ser a junção dos dois, mas definitivamente é enriquecedor para a série ter essas duas em cena.

E se Cat Grant pensou que nunca seria trollada, ela foi trollada.

Kara saber a identidade do Hank nesse episódio foi uma mão na roda para tirar Cat do seu pé. Acredito que todo mundo ficou com a mesma cara que a jornalista ao ver a Supergirl e a Kara. A coitada da Cat chegou a ficar se tremendo toda, algo que era totalmente compreensível porque ela não está acostumada a errar.

Foi engenhosa a forma que encontraram de trazer tudo de volta aos eixos e assim não mexer em absolutamente nada do relacionamento Kara x Cat x Supergirl, pois por mais interessante que fosse ela saber agora, a história tem caminhos mais longos para seguir enquanto seus conselhos atingirem sua assistente e sua heroína. Ainda tem muito o que estabelecer no relacionamento dessas duas para Cat descobrir o segredo da Kara logo no começo da temporada.

E atualizando o placar tombos que a Supergirl dá: Supergirl 2 x 0 General Lane.

Confira a promo do próximo episódio:

E não deixe de votar!

[taq_review]

Sobre o Autor

Avatar

BOXPOP

Site especializado em cultura pop, fundado em agosto de 2007. Confira nossos podcasts, vídeos no youtube e posts em redes sociais. Interessados em contribuir como autor no site podem entrar em contato: contato@boxpop.com.br

Deixe um comentário

clique para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

OUÇA O BOXCAST

VIDEOCAST

Lidio Mateus, o brazilian singer da internet, comenta todos os bafos e segredos de sua carreira.

Tem série nova na HBO e os bastidores dela foram recheados de TRETAS. A gente conta todas neste vídeo.

Esse é o filme que vai ganhar o Oscar de filme estrangeiro. Neste vídeo comentamos Parasite. Assista!

SEJA UM PADRINHO!

Contribua!

OUÇA ACABEI DE LER